sábado, 25 de março de 2017

EVANGELHO DO DIA


Lucas 1,26-38

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.— Glória a vós, Senhor! Naquele tempo, 26o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, 27a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. 28O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”29Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. 30O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. 31Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. 32Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. 33Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.34Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?” 35O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. 36Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, 37porque para Deus nada é impossível”. 38Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se. Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE



25/03/2017 - sábado – Anunciação do Senhor

– 1ª.Leitura - Isaías 7, 10-14; 8,10 – “Emanuel, é o Deus conosco!”

O nome Emanuel significa "Deus conosco”, portanto, sugere mais do que uma breve visita para um ato sacrifical, revela antes o compartilhar da experiência humana com o próprio Deus que veio ao mundo para assumir a nossa humanidade e ser um conosco. Por isso, nesta leitura o próprio Deus quis ser fiel a nós e nos deu a garantia do Seu projeto para nossa salvação: “uma virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe porá o nome de Emanuel, porque Deus está conosco”. Jesus Cristo é a figura central da Sagrada Escritura e todos os profetas predisseram a Sua vinda como sinal de Salvação de Deus para a humanidade. Temos que sair do plano material para “enxergar” o plano divino que é o projeto de Deus para a nossa vida feliz. É algo espiritual! Jesus Cristo foi concebido na terra do nosso coração! Ele é o grande mistério de Amor de Deus por nós. Enquanto vivemos ansiosos (as) por sinais que nos revelem um pouco de Deus para a nossa vida, nós esquecemos de que Jesus, o Emanuel, é o Deus conosco, nos acompanha e está sempre perto de nós em todos os momentos. Deus planejou dar a nós não só instruções, mas um modelo perfeito, Seu próprio Filho, a quem fomos criados para copiar. Por isso, para que Jesus pudesse servir-nos de modelo, Ele teve de viver no mesmo mundo pecaminoso em que vivemos e enfrentar os mesmos desafios que enfrentamos. Dessa forma, nós precisamos ter consciência de que as barreiras que temos de enfrentar aqui na terra são algo inerente ao nosso ser humano e nem o Filho de Deus feito homem foi isento de encará-las. – Você pode afirmar que Jesus já foi concebido na terra do seu coração? – Para você o que significa Deus estar consigo - A presença de Jesus na sua vida tem ajudado nos seus relacionamentos? – Você costuma imitar a Jesus nas suas ações? -

Salmo 39 – “Eis que venho fazer, com prazer a vossa vontade, Senhor!”

A vontade de Deus é para nós o paraíso! Fazer a vontade de Deus deveria ser para nós o nosso maior prazer, visto que assim acontecendo teríamos a certeza da nossa felicidade. O desejo ardente de seguir os caminhos que Deus traça para nós deverá ser muito mais importante do que todos os sacrifícios e holocaustos que podemos oferecer a Ele. Assim como também propagar a Sua graça e verdade na presença de todos.

2ª. Leitura – Hebreus 10, 4-10 – “É da vontade do Pai que sejamos santificados”

Jesus ofereceu o Seu Corpo para ser imolado pelos nossos pecados! Esta oferenda suprime todo e qualquer sacrifício e holocausto que possamos fazer. Nós somos santificados pela oferenda do Corpo de Jesus Cristo, realizada uma vez por todas, desta forma, não podemos mais afirmar que não temos condições de perseguir a santidade porque somos fracos (as) e incapazes. Jesus Cristo veio ao mundo para fazer a vontade do Pai e para cumprir o que está escrito na Sagrada Escritura. Assim, Ele falou: “Eu vim para fazer a tua vontade! ” É da vontade do Pai que sejamos santificados. O sacrifício de Cristo, de uma vez por todas é o nosso aval para alcançarmos a salvação. Fazer a vontade de Deus, portanto, é também para nós o ideal mais perfeito que podemos aspirar aqui na terra. Deus tem também para cada um de nós, uma missão específica. Somos colaboradores do Seu Plano de salvação e fazemos parte do Corpo de Cristo e, como tal, precisamos ter consciência de que temos um papel importante como protagonistas da História. Só o Pai que nos criou e nos enviou ao mundo pode saber o que é melhor para a nossa prosperidade e felicidade. A cada um de nós, compete somente, dizer como Jesus: “Eu vim ó Pai, para fazer a tua vontade!” – Você já se pôs diante do Senhor para fazer a Sua vontade? - Você já tem ideia de qual é a sua missão aqui na terra? – O que você pode entender sobre a sua participação na terra dos viventes?

Evangelho – Lucas 1, 26-38 – “motivo de grande alegria! ”

A alegria é consequência do fato concreto de se estar cheio da graça de Deus. Por isso, o anjo quando apareceu junto de Maria já antecipou: “Alegra-te, cheia de graça...” E acrescentou: “O Senhor está contigo!” Assim, pois, o anjo deu a Maria a garantia de que ela era bem-aventurada, isto é feliz, pois a graça do Senhor estava com ela. Cada um de nós, homem ou mulher assim também como Maria, foi escolhido (a) pela graça do Pai para receber o Amor, que é o Espírito Santo, dentro do coração. Isto também é motivo de grande alegria! Deus toma a terra do nosso ser e nos modela para que possamos acolher no nosso “ventre espiritual” a semente do Seu Amor. Pelo poder do Espírito Santo Jesus também é gerado em nós e, assim, podemos entregá-lo ao mundo através das nossas ações e do nosso testemunho de alegria. Não tem como não acontecer, é um imperativo de Deus! A presença do Espírito Santo em nós é segurança de júbilo e contentamento. Nós também encontramos graça diante de Deus e a nós Ele também nos ordena: “Alegrai-vos!” “Não tenhais medo!” É outro imperativo, por que temer se o Senhor está próximo? É o Espírito Santo quem faz vir a nós o Emanuel, o Deus conosco e a força poderosa do Senhor nos sustenta. E mesmo, que fiquemos um pouco perturbados, pela nossa incapacidade de entender os sinais do céu, nós precisamos, como Maria, nos entregar à Ação poderosa do Espírito que vem sobre nós com o Seu poder e nos cobre com sua sombra. Precisamos dizer, sim! Deus precisa do nosso sim para fazer em nós a obra nova da qual nós precisamos. Maria seguiu o exemplo do Seu Filho Jesus e ofereceu-se diante do anjo para fazer tudo conforme a Palavra do Pai. Nós podemos também, agora, seguir o exemplo da Mãe e diante do Senhor apresentar a Ele a nossa vida, para que se faça nela a Sua vontade. Mesmo que até hoje tenhamos vivido em busca do nosso próprio querer, temos ainda a oportunidade de começar uma vida promissora para o engrandecimento do reino de Deus aqui na terra. A vontade de Deus para nós é a nossa salvação desde já e a nossa missão é fazer com que mais e mais pessoas também conheçam o verdadeiro caminho e a verdadeira vida. – Você quer a partir de hoje começar uma vida nova? - Você quer experimentar a alegria do Espírito Santo? – Então, faça hoje a sua oração e assuma diante de Deus a vida nova que Ele quer lhe dar neste tempo de quaresma. Peça a força e o poder do Espírito Santo! Faça os seus propósitos. Confie no Senhor!

Helena Serpa,

Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - ANUNCIAÇÃO DO SENHOR


Neste dia, a Igreja festeja solenemente o anúncio da Encarnação do Filho de Deus. O tema central desta grande festa é o Verbo Divino que assume nossa natureza humana, sujeitando-se ao tempo e espaço.
Hoje é o dia em que a eternidade entra no tempo ou, como afirmou o Papa São Leão Magno: “A humildade foi assumida pela majestade; a fraqueza, pela força; a mortalidade, pela eternidade.”
Com alegria contemplamos o mistério do Deus Todo-Poderoso, que na origem do mundo cria todas as coisas com sua Palavra, porém, desta vez escolhe depender da Palavra de um frágil ser humano, a Virgem Maria, para poder realizar a Encarnação do Filho Redentor:
“No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem e disse-lhe: ‘Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo.’ Não temas , Maria, conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Maria perguntou ao anjo: ‘Como se fará isso, pois não conheço homem?’ Respondeu-lhe o anjo:’ O Espírito Santo descerá sobre ti. Então disse Maria: ‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tu palavra’” (cf. Lc 1,26-38).
Sendo assim, hoje é o dia de proclamarmos: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,14a). E fazermos memória do início oficial da Redenção de TODOS, devido à plenitude dos tempos. É o momento histórico, em que o SIM do Filho ao Pai precedeu o da Mãe: “Então eu disse: Eis que venho (porque é de mim que está escrito no rolo do livro), venho, ó Deus, para fazer a tua vontade” (Hb 10,7). Mas não suprimiu o necessário SIM humano da Virgem Santíssima.
Cumprindo desta maneira a profecia de Isaías: “Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco” (Is 7,14). Por isso rezemos com toda a Igreja:
“Ó Deus, quisestes que vosso Verbo se fizesse homem no seio da Virgem Maria; dai-nos participar da divindade do nosso Redentor, que proclamamos verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Por nosso Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo”.

Fonte: Canção Nova Notícias

sexta-feira, 24 de março de 2017

COMISSÃO SE REÚNE NA CNBB E PREPARA ATIVIDADES PARA O ANO DO LAICATO


“O que nós queremos atingir é a transformação da sociedade”, diz dom Severino
A Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), está reunida na sede da entidade, em Brasília (DF), para preparar as atividades que serão realizadas durante o Ano do Laicato. A abertura será na festa de Cristo Rei, que este ano será celebrada dia 26 de novembro e segue até a mesma festa em 2018. Durante este período, a comissão espera realizar seminários regionais e temáticos, eventos, publicação de livros e de mensagens, na busca de disponibilizar diversas estruturas que possam envolver ao máximo os cristãos leigos e leigas. 
De acordo com o bispo de Caçador (SC) e presidente da Comissão  para o Laicato da CNBB, dom Severino Clasen, a Igreja deve ser um sinal para que os leigos e leigas sejam protagonistas da transformação da sociedade. “O que nós queremos atingir é a transformação da sociedade. Os cristãos leigos e leigas devem ser sal e luz no mundo, na sociedade. Purificar os mecanismos da sociedade que nós temos, que aí sim a graça do batismo seja de fato o sacramento que transforma, que ilumina. E que a graça de Deus perpasse e penetre em todas as camadas da sociedade", disse o bispo.
Dom Severino espera que o Ano do Laicato sirva de motivação para que a sociedade se engaje cada vez mais. “O legado que a celebração quer deixar é o envolvimento de toda a sociedade para que faça a auditoria da dívida pública. Como fazer? Com o espírito cristão, com a luz do Espírito Santo, com a consciência de igreja para transformar o mundo”, declarou.
A expectativa é que a abertura do Ano do Laicato seja feita com uma mensagem do papa Francisco. Para o bispo, é importante que as pessoas se engajem durante a celebração e que todas as pessoas sintam-se participantes, e para isso, não fique esperando pelos outros. Dom Severino deseja que os leigos participem deste momento e esteja engajada com as questões sociais propondo, debatendo e apresentando ideias.
Durante o Ano do Laicato também será comemorado os 30 anos do Sínodo Ordinário sobre os Leigos (1987) e da Exortação Apostólica Christifideles Laici, de São João Paulo II, sobre a vocação e a missão dos leigos na Igreja e no mundo (1988). A comemoração terá como eixo central a presença e a atuação dos cristãos leigos e leigas como “ramos, sal, luz e fermento” na Igreja e na sociedade. “Um ano que se nós pudéssemos trabalhar a expressão do acolhimento, acolher todas as pessoas e fazer com que nesse acolhimento façamos o exercício do cuidado”, destaca dom Severino.
Além do presidente dom Severino Clasen, estiveram presentes na reunião o bispo de Cachoeira do SUl (RS) e membro a Comissão, dom Remídio José Bohn, o assessor Laudelino Augusto Azevedo, o assessor das Comunidades Eclesiais de Base (Cebs), Celso Carias, o secretário do Centro de Fé e Política Dom Helder Câmara (Cefep), padre Ernane Pinheiro e a presidente do Conselho Nacional do Laicato do Brasil, Marilza Schuina.
Foto: Maurício Sant´Ana/CNBB

MUTIRÃO DE CONFISSÕES NA PARÓQUIA SÃO JOÃO EUDES



A Paróquia de São João Eudes, no bairro Luciano Cavalcante realizará um Mutirão de Confissões nas comunidades que pertence a Paróquia.
Programação
Mutirão de Confissões nas Comunidades da Paróquia São João Eudes:
– Dia 28 de março, às 17h, na Comunidade N. Sra. da Libertação localizada à Rua Natanael Cortez, 05, no bairro Eng. Luciano Cavalcante.
– Dia 29 de março, às 16h30, na Igreja Santa Luzia localizada à Rua Antonio Rocha, 555, no bairro Jardim das Oliveiras.
– Dia 03 de abril, às 16h30, na Igreja Matriz Menino Deus localizada à Rua Jaime Leonel, s/n, no bairro Luciano Cavalcante.
– Dia 05 de abril, às 16h30, na Igreja N. Sra. do Perpétuo Socorro localizada à Rua Albert Sabin, s/n, no bairro Coco/ Guararapes(Perto do /Iguatemi).
–  Dia 20 de abril, às 18h30 na Comunidade Divina Misericórdia localizada à Rua Dr. Pontes Netos, 211, no bairro Luciano Cavalcante (Próximo a Pracinha Lurdinha Campos).
Maiores informações: 085 3278-1263 (Segunda a Sábado das 15h30 às 21h).
FacebookTwitterGoogle+WhatsAppFacebook MessengerEmail

ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA CELEBRA HOJE ANIVERSÁRIO DE POSSE DE DOM JOSÉ ANTONIO


A Arquidiocese de Fortaleza celebra hoje (24), o 18º aniversário de posse de Dom José Aparecido Tosi Marques. São 18 anos de pastoreio nesta centenária Igreja Particular. Dom José tem sempre procurado, com muita dedicação e zelo, exercer o múnus episcopal junto a seu rebanho.
Agradeçamos a Deus por sua presença e por seu pastoreio e a ele por tão denodadamente caminhar conosco.
Nasceu em 13 de maio de 1948, na cidade de Jaú, SP, sendo ordenado presbitero em 8 de dezembro de 1974. Foi ordenado bispo em 20 de setembro de 1991, com nomeação para ser bispo auxiliar de Salvador, BA.
Para Fortaleza foi nomeado em 13 de janeiro de 1999 e tomou posse como arcebispo em 24 de março de 1999.
Eis algumas das realizações de Dom José na Arquidiocese:
Principais Ações Pastorais e AdministrativasNestes dezoito anos de governo episcopal na Arquidiocese de Fortaleza, Dom José Antonio já marcou sua presença com muitas iniciativas e realizações, tanto nas ações de pastoreio e evangelização como nas de infraestrutura necessária para o trabalho pastoral. Entre elas destacamos:
– Conselhos.
Desde o início, Dom José Antonio tem governado a Arquidiocese com a participação dos Conselhos Episcopal, Presbiteral, Pastoral e Econômico, do Colégio de Consultores e das Assembleias Arquidiocesanas.
– Visitas Pastorais.
Realiza, todos os anos, visitas pastorais a cada uma das Regiões Episcopais.
– Planos de Pastoral.
Favoreceu e apoiou o Planejamento Participativo da ação Evangelizadora da Arquidiocese e fez publicar os Planos de Pastoral da Arquidiocese 2003-2007, 2008-2011, 2012-2015, 2015-2019.
– Diretório Pastoral, Litúrgico e Sacramental.Publicou o “Diretório Pastoral, Litúrgico e Sacramental” da Arquidiocese de Fortaleza. Esse Diretório, obrigatório em toda a Arquidiocese, já teve quatro edições: 2003, 2008, 2012 e 2015.
– Projeto do Dízimo.
Após anos de estudo e elaboração em toda a Arquidiocese, desde o pastoreio de Dom Aloísio, aprovou, sancionou e promulgou, em setembro de 2007, o Projeto do Dízimo – Partilha Eclesial para a Arquidiocese de Fortaleza. Os sacramentos são dons gratuitos de Deus, devem, pois, ser ministrados gratuitamente. Em toda a Arquidiocese, conforme seu decreto, seja criado, animado e trabalhado o Dízimo – Partilha Eclesial, substituindo o sistema de espórtulas e taxas.
– Fundo Arquidiocesano de Solidariedade.
Desde seu primeiro ano, em 1999, tem acompanhado e apoiado a Comissão Arquidiocesana para análise dos Projetos dirigidos ao Fundo Arquidiocesano de Solidariedade.
– Fórum dos Movimentos Eclesiais.
Criou o Fórum dos Movimentos Eclesiais – FAMEC, com o objetivo de os movimentos, associações, serviços e comunidades novas terem uma instância de partilha, articulação e comunhão na Igreja Arquidiocesana.
– Caminhada com Maria.
Assumiu, desde 2003, a realização desta caminhada no dia 15 de agosto, Festa da Assunção de Nossa Senhora, padroeira de Fortaleza, com a participação dos padres e fiéis das paróquias e áreas pastorais de Fortaleza, por ele convocados, anualmente, em carta circular. A Caminhada com Maria inicia no Santuário de Nossa Senhora da Assunção, Barra do Ceará, e percorre oito quilômetros até chegar à Catedral Metropolitana. Em 2016 foi realizada a 14ª. Caminhada com Maria.
– Casa do Povo da Rua.
Doou uma casa da Arquidiocese para servir de apoio aos moradores de rua, sob a orientação e administração da Pastoral do Povo da Rua.
– Reforma de prédios.
Reformou a Residência Episcopal, no Seminário da Prainha, o centenário prédio do Colégio Castelo, tornando-o o Centro de Pastoral “Maria, Mãe da Igreja”, o Centro de Treinamento Frederico Pontes, em Pacatuba, e a Cúria Metropolitana, no Seminário da Prainha.
– Presbíteros.
Durante seu ministério episcopal, mais de cem jovens foram ordenados por ele presbíteros diocesanos, incardinados na Arquidiocese de Fortaleza. Além dos encontros normais dos padres nas Regiões Episcopais, do Curso de Formação, em janeiro, dos dois Retiros, em julho e outubro, tem agendado e participado, anualmente, de encontros semestrais, de três dias, com os padres que tenham até cinco anos de ordenação, e com os padres com mais de cinco anos de ordenação.
– Fundo de Sustentação dos PresbíterosApoiou e aprovou a criação do Fundo de Sustentação dos Presbíteros, com o dízimo sacerdotal e a participação de 3% ou 5% dos rendimentos mensais de cada paróquia e área pastoral. Objetivo principal é garantir que o padre não tenha receio de assumir paróquias ou áreas pastorais mais distantes, mais periféricas, cujo povo é muito pobre ou não tem a prática da participação.
– Diaconato Permanente.
Criou a Comissão para o Diaconato Permanente, a Escola Diaconal e já ordenou vinte e um diáconos permanentes para a Arquidiocese de Fortaleza.
– Seminário Arquidiocesano.
Em substituição ao Seminário Regional NE1 – Ceará, criou a 22 de dezembro de 2003 o Seminário Arquidiocesano São José – Filosofia e Teologia, em bairros diferentes, dando continuidade à formação presbiteral para a Arquidiocese de Fortaleza.
– Faculdade Católica de Fortaleza.
Apoiou a transformação dos cursos seminarísticos de filosofia e de teologia do Instituto Teológico Pastoral – ITEP e o Instituto de Ciências Religiosas em cursos de bacharelato e criou, em 28 de agosto de 2009, a Faculdade Católica de Fortaleza – Seminário da Prainha.
– SeminaristasTem tido uma dedicação especial à formação dos seminaristas, nos três seminários da Arquidiocese – Propedêutico, Filosofia e Teologia – e na Faculdade Católica de Fortaleza, realizando sempre encontros, em conjunto e em separado, com os seminaristas, com as equipes de formação e com o Conselho Diretor da Faculdade.
– Caminhada Penitencial.
Realizou em 2009 a 1ª Caminhada Penitencial no Terceiro Domingo da Quaresma. Em 2016 foi realizada a 8ª Caminhada Penitencial com a convocação, em carta circular, dos padres da Arquidiocese para participarem e caminharem com os fiéis.
– Conselhos Paroquiais.
Tem insistido para que todas as paróquias e áreas pastorais tenham Conselho Econômico e Conselho Pastoral. Os membros dos Conselhos Econômicos são sempre provisionados por ele.
 Regiões Episcopais.
Após estudos e assembleias das Regiões Episcopais e da Arquidiocese, aprovou em 2009 a criação de novas Regiões Episcopais, reconfigurando a Arquidiocese de Fortaleza, que passou de seis Regiões, criadas em 1985, a nove Regiões Episcopais, conforme o decreto 005/2009, de 8 de dezembro de 2009.
– Vigários Episcopais.
Tem mantido, dando continuidade ao que fizeram seus dois últimos antecessores, a nomeação dos vigários episcopais a cada dois anos, a partir de uma lista tríplice indicada em assembleia eletiva de cada Região Episcopal.
– Regimento das Regiões Episcopais.
Em 12 de dezembro do mesmo ano, 2009, aprovou o Regimento das Regiões Episcopais “Em busca da unidade pastoral na organização das Regiões Episcopais”, em que estão contidas as normas para garantir a unidade arquidiocesana na organização pastoral das Regiões Episcopais: Coordenação Pastoral, Conselho Pastoral, Conselho Econômico e Assembleia Pastoral, em cada Região.
– Novas casas de apoio e encontrosComprou a Casa e terreno dos Irmãos Maristas, em Maranguape, e a Casa Vocacional da Companhia de Jesus, em Mondubim. Esta a ser administrada pela Região Nossa Senhora da Conceição, aquela pela Região Episcopal Sagrada Família.
– Festa da Vida.
Tem apoiado, desde 2009, a realização da Festa da Vida da Arquidiocese de Fortaleza, no terceiro domingo do Advento.
– Centenário da ArquidioceseCelebrou em 2015 um Ano Jubilar na Arquidiocese de Fortaleza como comemoração de seu centenário. Atividades diversas de formação e missão perpassaram o ano, encerrado solenemente com a presença do Núncio Apostólico Dom Giovanni D’Aniello e sua presidência na Celebração Eucarística, no Condomínio Espiritual Uirapuru-CEU, em 13 de novembro de 2015.
Congregações ReligiosasDom José Antonio tem acolhido na Arquidiocese várias Congregações Religiosas.
– Congregações Religiosas Masculinas:Congregação Brasileira dos Cistercienses, 2001;
Congregação dos Religiosos da Sagrada Face, 2001;
Ordem dos Agostinianos Recoletos, 2001;
Pequena Obra da Divina Providência (Orionitas), 2001;
Instituto dos Filhos da Pobreza do Santíssimo Sacramento (Toca de Assis), 2001;
Ordem dos Clérigos Regulares de São Paulo (Barnabitas), 2005;
Congregação de São José (Josefinos de Murialdo), 2005.
– Congregações Religiosas Femininas:Irmãs da Purificação de Maria Santíssima, 1999;
Humildes Servas do Senhor, antes de 2002;
Irmãs Auxiliares de N. Sra. da Piedade, antes de 2002;
Irmãs do Imaculado Coração de Maria, antes de 2002;
Congregação do Divino Mestre, antes de 2002;
Congregação Santa Teresinha, antes de 2002;
Instituto Coração de Jesus, antes de 2002;
Instituto das Filhas da Pobreza do Santíssimo Sacramento (Toca de Assis), antes de 2002;
Missionárias do Sagrado Coração de Jesus, antes de 2002;
Missionárias Diocesanas, antes de 2002;
Missionárias Mãe da Vida, antes de 2002;
Instituto São Vicente, antes de 2002;
Congregação Missionária da Sagrada Família, 2003;
Oblatas do Sagrado Coração de Jesus, 2003;
Congregação de Notre Dame de Namur, 2003;
Irmãs Franciscanas Bernardinas da Terceira Ordem de São Francisco, 2003;
Obra de Nossa Senhora da Glória, 2003;
Irmãs Franciscanas de Siessen, 2003;
Irmãs de Santa Catarina Virgem e Mártir, 2003;
Irmãs Missionárias Combonianas, 2003;
Missionárias Camilianas Maria Mãe da Vida, 2003 (fundação em Fortaleza);
Ordem de Santa Clara, 2003;
Instituto Secular das Irmãs de Maria de Schöenstatt, 2003;
Irmãs da Caridade Dominicanas da Apresentação da Santíssima Virgem, 2004;
Irmãs de Jesus Missionário, antes de 2005;
Associação Católica “A Tenda de Cristo”, antes de 2005;
Religiosas Missionárias de Nossa Senhora das Dores, antes de 2010;
Missionárias da Mãe da Vida na Visitação, antes de 2010.
Congregação das Filhas de Jesus, em 2016.
Criação de ParóquiasSagrada Família, Ocara, 1999;
São João Batista, Aruaru, Morada Nova, 2000;
São José, Lagoa Redonda, Fortaleza, 2000;
Nossa Senhora de Lourdes, Dunas, Fortaleza, 2000;
São Diogo, Cajazeiras, Fortaleza, 2000;
São Pedro, Barreira, 2001;
Santo Antônio, Capuan, Caucaia, 2002;
Sant’Ana e São Joaquim, Eusébio, 2002;
Santo Antônio de Pádua, Jardim Iracema, Fortaleza, 2002;
Santo Antônio, Itaitinga, 2003;
Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Alto Alegre, Fortaleza, 2003;
Nossa Senhora de Lourdes, Antônio Diogo, Redenção, 2003;
São João Eudes, Luciano Cavalcante, Fortaleza, 2003;
Sagrado Coração de Jesus, Nova Metrópole, Caucaia, 2004;
Nossa Senhora das Graças, Manoel Sátiro, Fortaleza, 2004;
Menino Jesus, Conj. Industrial, Maracanaú, 2004;
Imaculada Conceição, João XXIII, Fortaleza, 2004;
São Luís Gonzaga, Pecém, São Gonçalo, 2005;
Santo Antônio de Pádua, Maraponga, Fortaleza, 2005;
São José, Edson Queiroz, Fortaleza, 2006;
Nossa Senhora da Penha, Sucatinga, Beberibe, 2006;
Bom Jesus dos Navegantes, Parajuru, Beberibe, 2006;
São Francisco de Assis, Tapera, Aquiraz, 2008;
Nossa Senhora das Graças, Pindoretama, 2008;
Nossa Senhora Aparecida, Praia do Futuro, Fortaleza, 2009;
Mãe Santíssima, Parque Dois Irmãos, Fortaleza, 2009;
Nossa Senhora das Graças, Parque Santa Maria, Fortaleza, 2009;
Sagrado Coração de Jesus e Santa Luzia, Pedras, Fortaleza, 2010;
São Francisco de Assis, Conjunto Palmeira, Fortaleza, 2010;
Nossa Senhora das Graças, Parque Potira, Caucaia, 2010;
Nossa Senhora das Graças – São Pedro, Cumbuco-Icaraí, Caucaia, 2010;
São Vicente de Paulo, Tabapuá, Caucaia, 2010;
Santo Antônio, Granja Portugal, Fortaleza, 2011;
Nossa Senhora do Carmo, Croatá, São Gonçalo, 2012;
São Francisco das Chagas, Conj. Jereissati II, Pacatuba, 2012;
Nossa Senhora Mãe dos Pobres, Tancredo Neves, Fortaleza, 2012;
Nossa Senhora de Lourdes, Vila Ellery, Fortaleza, 2012;
São Francisco de Assis, Canindezinho, Fortaleza, 2012;
São Geraldo Magela, Planalto Caucaia, Caucaia, 2012;
Nossa Senhora das Dores, Campos Belos, Caridade, 2012;
Nossa Senhora da Saúde, Caponga, Cascavel, 2012;
São José, Papicu, Fortaleza, 2012;
São Pedro, Barra do Ceará, Fortaleza, 2012;
Nossa Senhora de Fátima, Álvaro Weyne, Fortaleza, 2013;
São José, Alto Luminoso, Cascavel, 2013;
São José, Vila Peri, Fortaleza, 2013;
São Francisco de Assis, Quintino Cunha, Fortaleza, 2013;
Nossa Senhora de Fátima, Lagoa Seca, Pacajus, 2013;
São João Paulo II, Acaracuzinho, Maracanaú, 2014;
São João Paulo II, Guajeru, Fortaleza, 2015;
São José Operário, Araturi, Caucaia, 2015;
Nossa Senhora da Imaculada Conceição, Taquara, Caucaia, 2015;
Cristo Rei, Putiú, Baturité, 2015;
São Francisco Xavier, Conjunto Esperança, Fortaleza, 2015;
São José, Bela Vista, Canindé, 2015;
São José, Passaré, Fortaleza, 2016;
Nossa Senhora de Fátima – Parque Genibaú, Fortaleza, 2016;
Nossa Senhora, Mãe da Igreja – Parque Rio Branco, Fortaleza, 2016.
Paróquia São Francisco de Assis – Mangabeira, Eusébio, 2016.
– Áreas Pastorais.
Dom José Antonio criou diversas áreas pastorais. Várias delas, bem como outras criadas por seus antecessores, já as erigiu como paróquias. As criadas por ele e ainda mantidas como áreas pastorais são dez:
Santo Antônio de Pádua, Caiçara, Canindé, 2009;
Santo Antonio de Pádua, Planalto Pici, Fortaleza, 2009;
São Francisco de Assis, Vila Velha, Fortaleza, 2010;
Santa Paula Frassinetti, Granja Lisboa, Fortaleza, 2011;
Nossa Senhora do Brasil, Messejana, Fortaleza, 2012;
São Miguel Arcanjo, Novo São Miguel, Caucaia, 2013;
São Pedro e São Paulo, Capim de Roça, Pindoretama, 2013;
São João Batista, Jaçanaú, Maracanaú, 2015;
São João Batista, Jacarecoara, Cascavel, 2016.
Fonte: Site da Arquidiocese de Fortaleza

PAPA FRANCISCO RECEBE CHEFES DE ESTADO DA UNIÃO EUROPEIA NO VATICANO


Por ocasião dos 60 anos dos Tratados de Roma que consolidaram o que conhecemos hoje como comunidade europeia, o Papa Francisco encontrará, a partir das 18 horas desta sexta-feira (24/03), no Vaticano, os Chefes de Estado e de governo de 27 países, presentes na capital italiana para as comemorações da data.
Os presidentes do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, do Conselho Europeu, Donald Tusk, e da Comissão Europeia, Jean-Claude Junker, também farão parte do encontro. Está previsto um discurso do Papa depois das intervenções do primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni, e do presidente do Parlamento Europeu. No fim da audiência, o Pontífice juntamente com os chefes de Estado farão uma foto oficial de grupo na Capela Sistina.
Entre os líderes visionários que inspiraram a criação da União Europeia estava o italiano Alcide de Gasperi. A filha dele, Maria Romana, comentou sobre o projeto dos fundadores e o papel fundamental do Papa Francisco para uma Europa unida, próspera e de paz.
Maria Romana de Gasperi - “A esperança é que também os jovens escutem as palavras dos líderes que se encontrarão aqui na Itália, todos juntos, não somente para lembrar, mas sobretudo para produzir projetos para esta Europa que, neste momento, caminha muito lentamente e diria quase com pouca esperança. O importante seria conseguir dar um novo ar, um novo e importante futuro, que seja sério e construtivo, não somente de palavras!”
Ao receber o Prêmio Carlo Magno, Francisco, um Papa não-europeu, se dirigiu à Europa e fez um apelo para se “sonhar” um novo humanismo europeu. Maria Romana de Gasperi falou sobre a contribuição do Pontífice à liderança política europeia.
Maria Romana de Gasperi - "Acredito que seja a serenidade da sua fé. Pode ajudar a entender que não é suficiente lançar leis econômicas para estarmos unidos ou para se querer bem: penso que para se fazer uma unidade política, as dinâmicas econômicas não são suficientes, são positivas mas não suficientes para a unidade. Deve existir esse amor de um pelo outro, esse amor da cultura de um país com o outro. São necessárias esperanças comuns, uma estrada, uma esperança que seja comum." (BS/AC)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

PARÓQUIA DA PRAIA DO FUTURO REALIZA PRIMEIRO CONGRESSO MARIANO



 A Paróquia Nossa Senhora Aparecida na Praia do Futuro realizará nos dias 12, 13 e 14 de maio de 2017, das 8h às 19h com tema: “Maria dos Documentos da Igreja” e o lema: “Fazei tudo o que Ele vos disser” o Primeiro Congresso Mariano. Os conferencistas serão Padre Rafhael Silva Maciel, Padre Watson Holanda Façanha e Padre Helano Samy Holanda. A sua presença é fundamental. 

A inscrição e o pagamento devem ser feito na secretaria da paróquia, qualquer dúvida ligue para (85) 8793-6183.



CURSO PARA CASAIS NA COMUNIDADE CATÓLICA EMANUEL


A Comunidade Católica Emanuel promoverá nos dias 25 e 26 de março, das 14h às 16h30, no Centro de Evangelização São João Paulo II, localizado na Rua 73, nº 211 – 2ª etapa do Conjunto José Walter, o Curso para Casais onde abordará o tema: “A alegria do amor”. Pregadores: Fabiano e Samara – Consagrados da Aliança. Inscrições: R$ 5,00 + 1 Kg de alimento.


Informações: (85) 3291-3961 na Comunidade Católica Emanuel.

EVANGELHO DO DIA


Marcoa 12,28b-34
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos. — Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, 28bUm mestre da Lei, aproximou-se de Jesus e perguntou: 'Qual é o primeiro de todos os mandamentos?' 29Jesus respondeu: 'O primeiro é este: Ouve, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor. 30Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força! 31O segundo mandamento é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo! Não existe outro mandamento maior do que estes'. 32O mestre da Lei disse a Jesus: 'Muito bem, Mestre! Na verdade, é como disseste: Ele é o único Deus e não existe outro além dele. 33Amá-lo de todo o coração, de toda a mente, e com toda a força, e amar o próximo como a si mesmo é melhor do que todos os holocaustos e sacrifícios'. 34Jesus viu que ele tinha respondido com inteligência, e disse: 'Tu não estás longe do Reino de Deus'. E ninguém mais tinha coragem de fazer perguntas a Jesus.— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE



24/03/2017 - 6a. Feira III semana da Quaresma

– Oséias 14,2-10 – “ Voltar”!

“Volta, Israel, para o Senhor, teu Deus”! Se, atendermos ao chamado do Senhor e voltarmos para Ele o nosso coração cansado de perambular como mendigos famintos, por causa do nosso pecado todos nós poderemos nos inserir nesta profecia de Oséias. A “palavra-chave” que o profeta nos revela para que possamos regressar para o Senhor quando estivermos caídos no pecado é “Voltar”! Oséias nos convida a reconhecer como são falsos os deuses nos quais colocamos a nossa confiança e que nos afastam do amor de Deus. Voltamos para Deus quando reconhecemos que somos pecadores (as) e necessitados (as) da Sua misericórdia. Quando deixamos de viver em função dos produtos que fazem as nossas próprias mãos e dos julgamentos que partem da nossa humanidade decaída pelo pecado. Os “produtos de nossas mãos” são os nossos desejos humanos, nossos planos equivocados que não procedem do coração de Deus, no entanto, muitas vezes os colocamos como prioridade na nossa vida. O Senhor nos promete restauração e nos acena com maravilhas que podem acontecer na depois que voltarmos para perto Dele. Floresceremos como o lírio e lançaremos raízes como as plantas, isto é, teremos uma vida frutuosa, atrairemos as pessoas para Deus, exalaremos no mundo o perfume do Seu amor. O homem que é sábio e bom entendedor confia nas promessas que Deus lhe faz pela boca dos profetas, por isso os seus caminhos são retos. Resta-nos, portanto, firmarmo-nos nas Suas promessas e acolhermos o Seu chamado, para que tenhamos a nossa vida restaurada e um novo tempo possa despontar, para nós e nossos descendentes. – O que você considera como justiça de Deus para a sua vida? - Você tem se apropriado da justiça de Deus para si? - Você tem acolhido as promessas de restauração que Deus lhe tem feito? – Você já tem percebido o cumprimento dessas promessas? - Quais são os frutos que você tem produzido por estar perto de Deus?

Salmo 80 – “Ouve, meu povo, porque eu sou o teu Deus!”

Você já imaginou que a voz do Senhor parece uma súplica para nós? A todo o momento o Senhor nos pede para ouvi-Lo! A voz de Deus quer fazer-se conhecida por nós; o Senhor tem desejo de nos falar, de nos ensinar, de nos exortar, de nos consolar e nós teimamos em não prestar atenção aos Seus apelos e nos voltamos para deuses desconhecidos, só porque os podemos tocar enxergá-los com os olhos físicos.

Evangelho – Marcos 12, 28-34 – “ Ouvir faz parte do primeiro de todos os mandamentos

“Ouve, ó Israel!” “O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força!” O fundamento da Lei de Deus é o AMOR, portanto, Amar a Deus, a si mesmo e ao próximo é o resumo de todo o ensinamento divino. No entanto, só poderemos praticar o primeiro mandamento, se primeiramente, ouvirmos a Deus quando se manifesta na Sua Palavra e nos ensina a fazer todas as coisas. Como poderemos amar a Deus e aos irmãos se não soubermos como agir para entrar em comunhão com eles? Ouvir o Senhor, escutá-Lo e atendê-Lo de todo o coração, alma e entendimento, é o mesmo que amá-Lo com toda a nossa força. Todo aquele (a) que entende de coração essa verdade não está longe do Reino de Deus, foi isto que Jesus disse àquele escriba. Portanto, poderemos ter a certeza de que estamos vivendo o reino dos céus aqui na terra, se estivermos ouvindo a Deus e acolhendo o mandamento do Seu amor, tendo-O como único Deus e Senhor dos nossos relacionamentos. É com o Amor de Deus que conseguiremos amar ao próximo, como a nós mesmos (as). A Palavra nos garante que Deus nos amou primeiro, e é por meio dela que o Amor de Deus penetra no nosso coração e nos toca dando-nos o entendimento do amor que devemos ter para com os nossos irmãos e irmãs. Quando nos amamos, nós nos aceitamos e praticamos o amor ao próximo por amor a Deus. Ai, então, podemos ter a plena consciência de que estamos realizando a vontade do Pai. Maior que todos os holocaustos e sacrifícios, são o zelo, o cuidado e o carinho que dedicamos às pessoas em Nome de Deus. Não precisaremos mais fazer perguntas quando assim estivermos agindo porque o próprio amor que vivermos será a resposta certa para as nossas dúvidas e inquietações. “Ouve, ó Israel”, este é o apelo que o Senhor nos faz, hoje, quando tantas vozes se confundem ao nosso redor. Se entendermos isso, se escutarmos e colocarmos em prática os ensinamentos do Senhor vivenciaremos desde já o reino dos céus aqui na terra. - Você tem ouvido o Senhor lhe falar? – O que Ele tem lhe dito? Você sabe qual é a diferença entre gostar e amar? - Você ama a você mesmo (a)? - O que você deseja ao seu vizinho (a) é o mesmo que você deseja para si? - Você tem dificuldade em aceitar-se a si mesmo (a)? E aos outros? – Para você o que é amar a Deus?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SANTA CATARINA DA SUÉCIA


Nasceu na Suécia, de família ligada aos reis. Sua mãe era Santa Brígida, que após o falecimento do esposo, se tornou uma peregrina até instalar-se em Roma.
Catarina foi formada na Abadia de Bisberg, permanecendo ali até casar-se. Não demorou muito tempo e seu esposo veio a falecer. Tinha um coração rendido a uma intimidade profunda com Deus, abriu-se a uma consagração total e foi viver junto de sua mãe em Roma, onde permaneceram por 23 anos.
Tornou-se Abadessa em Valdstena, onde permaneceu até sua morte em 1381.
Santa Catarina da Suécia, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

quinta-feira, 23 de março de 2017

ANUNCIAÇÃO DO SENHOR



Pe. Brendan Coleman Mc Donald - Redentorista fez o seguinte artigo com tema 

No dia 25 de março 2017 a Igreja Católica celebra a Festa da Anunciação do Senhor. Esta festa recorda a mensagem do anjo Gabriel à Virgem Maria para lhe anunciar a Encarnação. O consentimento da Virgem, que, segundo o beneplácito de Deus, antecedeu a encarnação (cf. LG 56) é de máxima importância na história da salvação, pois a encarnação do Verbo é a restauração do homem. O Verbo é o protagonista deste mistério, pois é Deus que escolheu a mãe de seu Filho Unigênito, na jovem moça israelita de Nazaré, Maria, descendente da família de Davi. O anúncio do anjo a Maria e o diálogo entre eles visa enfatizar a iniciativa de Deus na encarnação do Verbo. A iniciativa de Deus, no entanto, quis contar com o consentimento livre da jovem Maria, que é apresentada como “a que recebeu o favor de Deus”. Com a encarnação de Jesus tem início também a Igreja. Por isso, o grande papa Paulo Vl não duvidou de proclamar, no discurso de encerramento da terceira sessão do Concílio Vaticano ll, a Mãe de Jesus também Mãe da Igreja. Santo Afonso Maria de Ligório chamou a Festa da Anunciação de “a festa do sim”.

Falando sobre Maria na linguagem poética e erudita, que lhe era peculiar, Paulo Vl disse: “Podemos contemplar com olhar de admiração Maria, firme na fé, pronta a obedecer, simples na humildade, exultante quando magnifica o Senhor, ardente na caridade, forte e perseverante no cumprimento da missão, a ponto de se oferecer a si mesma, unida com todos os sentimentos de seu coração ao Filho que morreu na cruz para presentear aos homens com uma nova vida” (Exortação Apostólica “Signum Magnum”, no. 27).


O fiat de Maria, isto é, o seu “Seja feito conforme a sua Palavra”, marcou o momento em que a história da humanidade se dividiu em duas partes, antes e depois; a eternidade entrou no tempo e Deus se fez história. A Festa da Anunciação é a festa que celebra este fulgurante enxerto de Deus no homem, dando seu fruto no Natal com o nascimento de Jesus Cristo (cf. O Santo do Dia, S. Conti, Vozes, 4ª. ed., 1990, p.136). Hoje lhe agradecemos, adorando o mistério do Verbo presente em seu seio puríssimo. Na festa da 

Anunciação Maria é apresentada como aquela que escuta, confia e se engaja plenamente na realização da vontade de Deus. Nisso ela é modelo do discípulo e da Igreja. Em 1987, a Congregação para o Culto Divino aprovou uma missa especial para a bem-aventurada Maria na Anunciação do Senhor.

PARA CNBB,REFORMA DA PREVIDÊNCIA "ESCOLHE O CAMINHO DA EXCLUSÃO SOCIAL"


Entidade se manifesta após reunião do Conselho Permanente, realizada em Brasília, entre os dias 21 e 23 de março
A Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou, nesta quinta-feira, dia 23 de março, uma nota sobre a Reforma da Previdência. No texto, aprovado pelo Conselho Permanente da entidade, os bispos elencam alguns pontos da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, considerando que a mesma “escolhe o caminho da exclusão social” e convocam os cristãos e pessoas de boa vontade “a se mobilizarem para buscar o melhor para o povo brasileiro, principalmente os mais fragilizados”.
Em entrevista coletiva à imprensa, também foram apresentadas outras duas notas. Uma sobre o foro privilegiado e outra em defesa da isenção das instituições filantrópicas. Na ocasião, a Presidência da CNBB falou das atividades e temas de discussão durante a reunião do Conselho Permanente, que teve início na terça-feira, dia 21 e terminou no fim da manhã desta quinta, 23.

Apreensão

Na nota sobre a PEC 287, a CNBB manifesta apreensão com relação ao projeto do Poder Executivo em tramitação no Congresso Nacional. “A previdência não é uma concessão governamental ou um privilégio. Os direitos Sociais no Brasil foram conquistados com intensa participação democrática; qualquer ameaça a eles merece imediato repúdio”, salientam os bispos.
O Governo Federal argumenta que há um déficit previdenciário, justificativa questionada por entidades, parlamentares e até contestadas levando em consideração informações divulgadas por outros governamentais. Neste sentido, os bispos afirmam não ser possível “encaminhar solução de assunto tão complexo com informações inseguras, desencontradas e contraditórias”. 
A entidade valorizou iniciativas que visam conhecer a real situação do sistema previdenciário brasileiro com envolvimento da sociedade.
Leia na íntegra:

NOTA DA CNBB SOBRE A PEC 287/16 – “REFORMA DA PREVIDÊNCIA”


“Ai dos que fazem do direito uma amargura e a justiça jogam no chão”
 (Amós 5,7)

O Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunido em Brasília-DF, dos dias 21 a 23 de março de 2017, em comunhão e solidariedade pastoral com o povo brasileiro, manifesta apreensão com relação à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, de iniciativa do Poder Executivo, que tramita no Congresso Nacional.
O Art. 6º. da Constituição Federal de 1988 estabeleceu que a Previdência seja um Direito Social dos brasileiros e brasileiras. Não é uma concessão governamental ou um privilégio. Os Direitos Sociais no Brasil foram conquistados com intensa participação democrática; qualquer ameaça a eles merece imediato repúdio.
Abrangendo atualmente mais de 2/3 da população economicamente ativa, diante de um aumento da sua faixa etária e da diminuição do ingresso no mercado de trabalho, pode-se dizer que o sistema da Previdência precisa ser avaliado e, se necessário, posteriormente adequado à Seguridade Social.
Os números do Governo Federal que apresentam um déficit previdenciário são diversos dos números apresentados por outras instituições, inclusive ligadas ao próprio governo. Não é possível encaminhar solução de assunto tão complexo com informações inseguras, desencontradas e contraditórias. É preciso conhecer a real situação da Previdência Social no Brasil. Iniciativas que visem ao conhecimento dessa realidade devem ser valorizadas e adotadas, particularmente pelo Congresso Nacional, com o total envolvimento da sociedade.
O sistema da Previdência Social possui uma intrínseca matriz ética. Ele é criado para a proteção social de pessoas que, por vários motivos, ficam expostas à vulnerabilidade social (idade, enfermidades, acidentes, maternidade...), particularmente as mais pobres. Nenhuma solução para equilibrar um possível déficit pode prescindir de valores éticos-sociais e solidários. Na justificativa da PEC 287/2016 não existe nenhuma referência a esses valores, reduzindo a Previdência a uma questão econômica.
Buscando diminuir gastos previdenciários, a PEC 287/2016 “soluciona o problema”, excluindo da proteção social os que têm direito a benefícios. Ao propor uma idade única de 65 anos para homens e mulheres, do campo ou da cidade; ao acabar com a aposentadoria especial para trabalhadores rurais; ao comprometer a assistência aos segurados especiais (indígenas, quilombolas, pescadores...); ao reduzir o valor da pensão para viúvas ou viúvos; ao desvincular o salário mínimo como referência para o pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC), a PEC 287/2016 escolhe o caminho da exclusão social.
A opção inclusiva que preserva direitos não é considerada na PEC. Faz-se necessário auditar a dívida pública, taxar rendimentos das instituições financeiras, rever a desoneração de exportação de commodities, identificar e cobrar os devedores da Previdência. Essas opções ajudariam a tornar realidade o Fundo de Reserva do Regime da Previdência Social – Emenda Constitucional 20/1998, que poderia provisionar recursos exclusivos para a Previdência.
O debate sobre a Previdência não pode ficar restrito a uma disputa ideológico-partidária, sujeito a influências de grupos dos mais diversos interesses. Quando isso acontece, quem perde sempre é a verdade. O diálogo sincero e fundamentado entre governo e sociedade deve ser buscado até à exaustão.   
Às senhoras e aos senhores parlamentares, fazemos nossas as palavras do Papa Francisco: “A vossa difícil tarefa é contribuir a fim de que não faltem as subvenções indispensáveis para a subsistência dos trabalhadores desempregados e das suas famílias. Não falte entre as vossas prioridades uma atenção privilegiada para com o trabalho feminino, assim como a assistência à maternidade que sempre deve tutelar a vida que nasce e quem a serve quotidianamente. Tutelai as mulheres, o trabalho das mulheres! Nunca falte a garantia para a velhice, a enfermidade, os acidentes relacionados com o trabalho. Não falte o direito à aposentadoria, e sublinho: o direito — a aposentadoria é um direito! — porque disto é que se trata.” 
Convocamos os cristãos e pessoas de boa vontade, particularmente nossas comunidades, a se mobilizarem ao redor da atual Reforma da Previdência, a fim de buscar o melhor para o nosso povo, principalmente os mais fragilizados.
Na celebração do Ano Mariano Nacional, confiamos o povo brasileiro à intercessão de Nossa Senhora Aparecida. Deus nos abençoe!

Brasília, 23 de março de 2017.


Cardeal Sergio da RochaArcebispo de Brasília
Presidente da CNBB

Dom Murilo S. R. Krieger, SCJArcebispo de São Salvador da Bahia
Vice-Presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner, OFM
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário-Geral da CNBB