segunda-feira, 29 de maio de 2017

EVANGELHO DO DIA

João 16,29-33

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João. Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, 29os discípulos disseram a Jesus: “Eis, agora falas claramente e não usas mais figuras. 30Agora sabemos que conheces tudo e que não precisas que alguém te interrogue. Por isto cremos que vieste da parte de Deus”. 31Jesus respondeu: “Credes agora? 32Eis que vem a hora – e já chegou – em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis só. Mas eu não estou só; o Pai está comigo. 33Disse-vos estas coisas para que tenhais paz em mim. No mundo, tereis tribulações. Mas tende coragem! Eu venci o mundo!” Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


29/05/2017-2ª. feira VII semana da Páscoa 

- Atos 19,1-8 - “ O Espírito Santo é agente transformador e libertador.” 

Abraçar a fé é um ato de vontade e de consciência. Os discípulos que ajudavam a edificar a Igreja de Jesus Cristo, já haviam recebido o Batismo de João, por isso estavam empenhados no reino e reconheciam Jesus decidindo conscientemente por Ele. Porém, o Batismo de João era de penitência, de arrependimento e conversão, e o poder do Espírito Santo ainda não se manifestara através deles. Quando Paulo impôs as mãos sobre eles o Espírito Santo desceu e se manifestou vivamente, soltando as cadeias que os prendiam. A força que movia Paulo era a força do Espírito Santo, mas ele ministrou o Batismo, em Nome de Jesus. O Espírito Santo nos é dado por Jesus, foi Ele quem nos prometeu que não nos deixaria órfãos. Portanto, todos nós somos convidados por Jesus a participar do serviço do reino e ficar atentos (as) às moções do Espírito Santo porque Ele vai falar, com certeza. O Espírito Santo é quem nos encoraja, nos motiva e nos anima, quem nos sustenta e nos protege, mas muitos ainda não O conhecem. A maioria das pessoas vive uma religião morta, sem ação, como se ainda estivesse presa ao pecado. Precisamos mais e mais fazer com que os batizados tomem consciência de que o poder de Deus mora dentro de nós. Só reconheceremos verdadeiramente a Jesus e só conseguiremos louvar a Deus como convêm pela manifestação do Espírito Santo em nós. O Espírito Santo é agente transformador e libertador. É Ele quem nos santifica e realiza em nós as obras que o Pai deseja que aconteçam na nossa vida. Faça com que por seu intermédio o Espírito Santo de Deus seja conhecido e amado. O Senhor deseja manifestar o Seu poder amoroso no mundo. - O que precisamos fazer, então? – Orar constantemente pedindo o Espírito Santo, em Nome de Jesus. – Faça isto na sua casa, com as pessoas que estão perto de você: imponha as mãos e invoque, em Nome de Jesus, a manifestação do Espírito Santo nas suas vidas e comprove essa realidade. 

Salmo 67 – “Reinos da terra, cantai ao Senhor”

Deus Pai é o nosso Criador e o nosso sustentador, por isso o salmista nos convoca a cantar a Sua glória. Ele é o protetor, libertador e o maior motivo da nossa alegria. Por isso, cantemos ao rei, nosso Senhor, porque é Ele o pai dos pobres e deserdados, quem liberta os prisioneiros e os sacia com fartura. O Seu louvor alimenta a nossa alma. Ele está de pé para nos defender das astúcias do inimigo. Não somos deserdados nem prisioneiros, habitamos na tenda do Senhor nosso Deus!

Evangelho – João 16, 29-33 –” Coragem, a vitória de Jesus é nossa”

Jesus conhecia profundamente o coração dos Seus discípulos! Por isso, quando eles deram mostras de que já entendiam as Suas palavras e que estavam bem firmes na fé, afirmando: “cremos que viestes da parte de Deus”, Ele lhes respondeu: “Credes agora?” Vocês têm certeza disso? “eis que vem a hora em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis só”. As mesmas palavras também Jesus poderá dizer para nós, porque Ele também conhece o nosso coração e sabe do que somos capazes! Ele nos conhece profundamente e por mais que tenhamos as melhores intenções nunca conseguiremos estar convictos (as) e inabaláveis na fé. Às vezes diante de qualquer problema nós sucumbimos, mas, porque conhece verdadeiramente a nossa humanidade e sabe do que somos capazes sem o Seu auxílio, Jesus no encoraja a vencer o mundo, apesar de todas as nossas tribulações, dúvidas e fragilidades. Antes mesmo da Sua ressurreição Jesus proclamou a Sua Vitória porque sabia em quem podia confiar. “Mas eu não estou só. Porque o Pai está comigo!” Nós também somos vitoriosos, porque já possuímos o Espírito de Jesus. Sem o Espírito Santo nós agiremos conforme o que Jesus falou sobre os apóstolos: dispersar-nos-emos, nos acovardaremos e não enfrentaremos os desafios, as provas, os testes, que a vida nos impõe. Tenhamos, pois a paz em Jesus. Ele venceu o mundo e, com Ele, nós seremos mais que vencedores, seremos felizes, apesar de todos os percalços. – Não tenha receio, Jesus é o vencedor do mundo e o Espírito Santo o (a) ajudará a vencer as tribulações. – Faça um exercício diário na sua vida: peça a ajuda do Espírito Santo antes de decisão, a toda hora, diante de todos os seus empreendimentos. “Espírito Santo, vem, vem – acompanha-me, converte-me, toma a minha vida! Santifica-me consola-me, Espírito Santo vem!”

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SÃO MAXIMINO


Nasceu na França no século IV e muito cedo sentiu o chamado a vida sacerdotal.
Sucedeu Agrício e teve que combater o Arianismo, que confundia muitos cristãos.
São Maximino apoiou Santo Atanásio nessa luta, sofreu com ele, e se deparou até com o Imperador. Bispo da Igreja, viveu seu magistério e serviço à Palavra sob ataques, mas não conseguiram matá-lo. Viveu até o ano de 349 deixando este testemunho e convocação: sermos cooperadores da verdade.
O santo de hoje é um ícone do amor a Cristo, à Igreja e à Verdade.
São Maximino, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

domingo, 28 de maio de 2017

FESTA DE SANTO ANTÔNIO: CORTEJO DO PAU DA BANDEIRA ARRASTA MULTIDÃO EM BARBALHA










Festa de Santo Antônio, padroeiro de Barbalha, foi aberto oficialmente neste domingo (foto André Costa)

Barbalha. “A Festa de Santo Antônio; Em Barbalha é de primeira; A cidade toda corre; Pra ver o Pau da Bandeira; Olha quanta alegria, que beleza, a multidão faz fileira, hoje é o dia; Vamos buscar o Pau da Bandeira; Homem, menino e mulher, Todo mundo vai a pé”. A canção do músico caririense Alcymar Monteiro, cantada na voz marcante de Luiz Gonzaga, retrata bem a importância cultural que reveste a Festa de Santo Antônio, iniciada oficialmente neste domingo, dia 28.
Mais de 200 mil pessoas lotaram as ruas da cidade para participar da abertura dos festejos alusivos ao padroeiro de Barbalha. O tradicional cortejo do Pau da Bandeira começou por volta das 11 horas. Cerca de 300 homens conduziram o mastro pesando mais de duas toneladas até a Praça da Matriz, que leva o nome do padroeiro. O percurso de quase 8 km, com saída do Sítio Flores, local onde foi selecionada a árvore Jatobá de 25 metros de comprimento, durou cerca de seis horas.
Cortejo do Pau da Bandeira levou mais de 200 mil pessoas as ruas de Barbalha (foto André Costa)
“Capitão do Pau” há 15 anos, Rildo Teles, destaca que a condução do mastro é uma demonstração de fé, persistência, força e espírito coletivo. Como diz a tradição, nos intervalos de descanso dos carregadores durante o percurso, as mulheres se aproximaram para pegarem no mastro que será erguido a bandeira do Santo casamenteiro. “Além de pegarem no tronco, diz à lenda que elas também podem sentar ou até mesmo retirar suas lascas para fazer chás, óleos e lembranças. Tudo em busca de um companheiro”, explica Rildo.
Simbolismo
O hasteamento do tronco aconteceu às 17h50 horas. Esse ato marca o início da festa que prosseguirá até o dia 13 de junho, data do Padroeiro. De acordo com a Secretaria de Cultura e Turismo de Barbalha, até o dia do encerramento devem passar 500 mil pessoas pela cidade. A festa de Santo Antônio é considerada a maior do país em louvor ao santo. Para a segurança do evento, o efetivo policial foi reforçado. Além dos seguranças contratados, serão 150 homens da Polícia Militar, além de agentes do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran).
Segundo a tradição, a condução do mastro é uma demonstração de fé, persistência, força e espírito coletivo
Dois anos após ter sido reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como patrimônio imaterial brasileiro, a festa tem fortalecido a tradição e buscado o resgate da originalidade presente no início dos festejos, ainda no século XVIII, antes mesmo do surgimento da cidade. São mais dois séculos de tradição, cultura, fé e devoção, levando às ruas de Barbalha, mais de 40 grupos folclóricos e cerca de 500 brincantes que desfilam com os seus grupos de maneiro-pau, incelenças, penitentes, reisados, quadrilhas, bacamarteiros, entre outros.
Homenagens
Este ano, grandes mestres da cultura popular estão sendo homenageados na Festa de Santo Antônio. Os palcos das apresentações musicais levam os nomes do Capitão Zé Veloso, Carregador Careca e Mestre Tico Neves. José da Costa Veloso, o Capitão Zé Veloso, também conhecido como Pavão, começou a participar do carregamento do Pau da Bandeira aos 10 anos e tornou-se o “animador do Pau” com suas músicas e tiradas surpreendentes.
Ricart, o Careca, perdeu sua vida em 2015, aos 39 anos, fazendo o que mais gostava: carregando o Pau da Bandeira, o que ocorria há 15 anos, com dedicação e alegria. Há dois anos, com o cortejo já próximo à Matriz, sofreu um acidente e morreu. O mastro caiu por sobre seu corpo.
Francisco Belizário dos Santos, o Mestre Tico Neves, era um líder e brincante do Reisado do Sítio Lagoa, com atuação de mais de quatro décadas. Com sua morte, em 2011, o grupo passou a se chamar Reisado de Congo Mestre Tico Neves. Tem apresentações não só em Barbalha mas em diversas cidades da Região do Cariri.
Noitários
Os noitários, que também fazem parte da tradição, iniciam hoje, com visitas da imagem do santo a instituições, residências, entidades, comunidades e escolas. No dia 13 de junho, acontece a tradicional procissão que marca o encerramento da festa alusiva ao padroeiro da cidade.
Shows
Nove atrações musicais se apresentaram após o cortejo do pau em três espaços distintos. No Marco Zero, tocaram as Bandas Cabloco Nordestino, Flávio Leandro e Alcymar Monteiro. No palco ao lado da Igreja do Rosário, Dorgival Dantas, Pra Xotear e Chambinho do Acordeom animaram a multidão e, na Praça da Estação, se apresentaram Santanna, Forró Tapera e a grande atração da noite, Solange Almeida.
Ao todo, a festa do padroeiro da cidade vai reunir mais de 20 bandas, em cinco dias de festa. A programação no Parque de Eventos, que inicia no próximo dia 7 de junho, contará com os mais variados estilos. Serão quatro ações por noite, com destaque para Xandy Aviões, Leo Santana, Jonas Esticado, Toca do Vale, Victor e Léo, Thiaguinho, Pablo e muito mais.
Fonte: Diário do Nordeste





COROAÇÃO DE NOSSA SENHORA NA CAPELA DO PERPÉTUO SOCORRO, NO GUARARAPES



Hoje,  domingo, dia 28 de maio, a Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, do bairro Guararapes, nas proximidades do Iguatemi,  pertencente à Paróquia São João Eudes, lotada, realizou a coroação de Nossa Senhora, antes da bênção final da missa das 17 horas, celebrada pelo padre Zacarias. 

PROGRAMAÇÃO DA COROAÇÃO

A solenidade da coroação contou com a presença de anjos que entraram com rosas, que representam a paz, pureza e inocência e sempre são associadas às grandes uniões e novos começos. Considerados como símbolo de honra, reverência, respeito, esperança, lembrança e espiritualidade.

O coração, que é um símbolo do amor, também esteve presente. Além do amor, representa a força, a verdade, a justiça, a sabedoria,  o nascimento e a regeneração.

Os anjos não poderiam faltar numa coroação. Eles são criaturas espirituais que habitam no céu e têm a função de mensageiros entre Deus e os seres humanos. A palavra anjo tem origem no termo grego angelos, que significa mensageiro.

Uma criança entrou com o terço e rosário. A palavra rosário significa "Coroa de Rosas". É uma antiga devoção católica que a Virgem Maria revelou que cada vez que se reza uma Ave Maria lhe é enregue uma rosa e por cada Rosário completo lhe é entregue uma coroa de rosas.

E finalmente, a coroa, que tem o formato circular usado sobre a cabeça como insignia de soberania ou nobreza, como emblema de vitória.

MATRIZ

Por outro lado, o padre Luís Gabriel Mendoza, pároco de São João Eudes, presidirá a solenidade de coroação de Nossa Senhora, na Capela Menino Deus (Igreja Matriz), no bairro Luciano Cavalcante, no dia 31 de maio, na próxima quarta-feira, às 19 horas.

CARTA DO CONIC SOBRE A SEMANA DE ORAÇÃO PELA UNIDADE CRISTÃ



“Reconciliação – é o amor de Cristo que nos move” este é o tema central da Semana de Oração pela Unidade Cristã deste ano promovida pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), que relembra os 500 anos da Reforma Protestante iniciada por Lutero, em 1517, na Alemanha.

No documento, os membros do Conic destacam que a reforma não foi um evento histórico isolado. Ela ocorreu em um contexto de muita efervescência social, política e religiosa.
A carta reflete ainda que a Semana de Oração que ocorre de 28 de maio a 4 de junho seja uma oportunidade a mais para que as igrejas abordem a questão da reconciliação entre as diferentes denominações cristãs, focando na riqueza e na diversidade que há cada uma delas e, ao mesmo tempo, conclamando para a necessidade de uma união mais plena.
O texto é finalizado convidando os cristãos a retirar os tijolos dos muros que os dividem e a enxergar através das frestas, a beleza do amor de Deus que se expressa na diversidade que pode ser reconciliada.
Leia na íntegra a carta das Igrejas-membro sobre a Semana de Oração.
“Reconciliação – é o amor de Cristo que nos move” é o tema da Semana de Oração pela Unidade Cristã (SOUC) de 2017. Inspirada em 2 Co 5.15-20 a SOUC deste ano traz como mensagem central a afirmação de que é a graça de Deus que nos reconcilia. A relação entre graça e reconciliação é motivada pela celebração dos 500 anos da Reforma, ocorrida em 1517, na Alemanha.
A Reforma não foi um evento histórico isolado. Ela ocorreu em um contexto de muita efervescência social, política e religiosa. Antes de Martim Lutero, outras pessoas falaram sobre a importância de uma reflexão crítica sobre os diferentes papéis desempenhados pela Igreja na sociedade europeia da Idade Média. Recuperar o testemunho cristão como uma expressão da graça de Deus era uma das reivindicações de diferentes movimentos.
O movimento da Reforma não foi isento de conflitos e extremismos religiosos, causados pelos lados envolvidos. É justamente por causa desses conflitos que a palavra reconciliação torna-se central ao refletirmos sobre estes 500 anos.
O tempo em que vivemos, infelizmente, se caracteriza por muitos conflitos. Alguns deles são legitimados em nome de religiões. Também hoje extremismos são provocados. Ressurgem formas antigas de intolerância religiosa. A ideia de disputa por um mercado religioso tende a colocar Igrejas em oposição. Não raras vezes nos vemos como ameaças uns aos outros. Não podemos cair na tentação de nos sentirmos uns melhores do que os outros. Todas as pessoas, independentemente da confessionalidade, professamos a fé em Jesus Cristo, cujo testemunho foi o de reconhecer o próximo naquela pessoa que está distante de mim e com quem, muitas vezes, tenho dificuldades de me relacionar em função dos preconceitos e das desigualdades socais.
O amor de Cristo desperta a reconciliação. Ele não divide e nem constrói muros. As diferentes formas de expressar a fé em Jesus Cristo são riquezas graça. Por isso, em um mundo que tem se caracterizado por diferentes formas de intolerâncias, reafirmarmos que o amor de Cristo nos reconcilia é uma forma de mostrar que as divisões, as brigas, as violências, as desigualdades econômicas, os racismos e preconceitos nos distanciam de Deus e criam muros entre nós. O que nos aproxima é a possibilidade de nos reconhecermos como irmãos e irmãs, em Jesus Cristo é que somos um!
Temos, em nosso país muitos exemplos do testemunho comum entre Igrejas. Os vários espaços de diálogo bilateral, o reconhecimento mútuo do Batismo, a possibilidade de celebrarmos a Declaração conjunta pela Justificação por Graça e Fé, a realização do Dia Mundial de Oração, a Semana de Oração pela Unidade Cristã. Estas experiências não se devem somente ao nosso esforço, mas brotam da fé em Deus que possibilita os encontros e a comunhão.
A Semana de Oração pela Unidade Cristã, nos ajude a caminharmos ao encontro de nossos irmãos e irmãs. Vamos retirar tijolos dos muros que nos dividem. Através das frestas, veremos a beleza do amor de Deus que se expressa na diversidade que pode ser reconciliada. O Deus da reconciliação nos conduza cada vez mais para a unidade!
Dom Leonardo Ulrich Steiner
Secretário Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil
Pastor Dr. Nestor Paulo Friedrich
Pastor Presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil
Dom Francisco de Assis da Silva
Bispo Primaz da Igreja Anglicana
Presbítero Wertson Brasil de Souza
Moderador da Igreja Presbiteriana Unida do Brasil
Dom Paulo Titus
Arcebispo da Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia


Fonte: Site da Arquidiocese de Fortaleza

REGINA COELI. A IGREJA EXISTE PARA ANUNCIAR O EVANGELHO: PAPA FRANCISCO RECORDOU VÍTIMAS DOS ATENTADOS NO EGITO E MANCHESTER



Domingo 28 de Maio. Sol brilhante em Roma. Uma grande multidão reuniu-se na Praça de São Pedro para recitar, ao meio dia, a oração do Regina Coeli com o Santo Padre. Antes porém, Francisco fez uma reflexão sobre o significado cristão deste domingo que, em Itália e vários outros países, é dedicado à Ascensão de Jesus ao Céu, 40 dias depois da Páscoa.
O Papa partiu da página bíblica que encerra o Evangelho de São Mateus para descrever a cena da despedida de Jesus dos seus discípulos.
Tudo se passa na Galileia, onde Jesus os tinha convidado a segui-Lo e a formar o primeiro núcleo da sua nova comunidade. Depois de ter passado através do “fogo” da paixão e da ressurreição, os discípulos ao ver Jesus prostram-se perante Ele, embora alguns tivessem ainda dúvidas - disse o Papa que acrescentou:
É a essa comunidade temerosa que Jesus deixa a imensa tarefa de evangelizar o mundo; e concretiza este encargo com a ordem de ensinar e baptizar em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo” .
A Ascensão de Jesus ao Céu – explicou o Papa – constitui, portanto, o fim da missão que o Filho recebera do Pai e o início da continuação dessa missão pela Igreja. A partir desse momento a missão de Jesus na terra é mediada por aqueles que acreditam n’Ele e O anunciam aos outros. É uma missão que durará até ao fim dos tempos como disse o próprio Jesus.
É uma presença que traz fortaleza, conforto, apoio nas situações em que o anúncio do Evangelho comporta dificuldades. A Ascensão recorda precisamente esta assistência de Jesus e do seu Espírito que dão confiança e segurança ao nosso testemunho cristão no mundo. Rerevela-nos porque é que a Igreja existe:
A Igreja existe para anunciar o Evangelho! Só para isto. E a alegria da Igreja é anunciar o Evangelho. A Igreja somos todos nós baptizados. Hoje somos convidados a compreender melhor que Deus nos deu a grande dignidade e responsabilidade de O anunciar ao mundo, de O tornar acessível à humanidade. Esta é a nossa dignidade, este é a maior honra de cada um de nós, de todos os baptizados!
O Papa convidou a reforçarmos, com os olhos elevados ao Céu nesta festa da Ascensão, os nossos passos na terra para continuar com entusiasmo e coragem o nosso caminho, a nossa missão de dar testemunho e de viver o Evangelho no nosso meio ambiente. Advertiu, porém, a termos a consciência de que tudo isso não depende em primeiro lugar das nossas forças, capacidade organizativa e recursos humanos, mas sim da luz do Espirito Santo…
Somente com a luz e a força do Espirito Santo é que podemos desempenhar eficazmente a nossa missão de dar a conhecer e fazer experimentar cada vez mais aos outros o amor e a ternura de Deus.”
Francisco concluiu pedindo a Nossa Senhora para nos ajudar a contemplar os bens do Céu, que o Senhor nos promete e a tornarmo-nos testemunhos cada vez mais credíveis da sua Ressureição, da verdadeira Vida.
**
Depois da oração do Regina Coeli, o Papa exprimiu a sua proximidade ao “caro irmão Papa Tawadros IIe à comunidade copta ortodoxa no Egipto, que há dois dias foi vítima de mais um acto feroz de violência. As vítimas, entre as quais crianças, são fiéis que se dirigiam a um santuário para rezar, e foram mortos depois de se terem recusado a renegar a sua fé cristã. O Senhor acolha na sua paz estes corajosos testemunhos destes mártires, e converta o coração dos terroristas.”
Seguidamente, o Papa convidou a “rezar pelas vítimas do horrível atentado de segunda-feira passada em Manchester, onde tantas jovens vidas foram cruelmente interrompidas” .
Francisco declarou-se próximo dos familiares e de quantos choram o desaparecimento dessas vidas.
A seguir Bergoglio recordou que hoje se celebra o Dia Mundial das Comunicações Sociais, sobre o tema “Não temas porque eu estou contigo”.
“Os meios de comunicação social – prosseguiu – dão a possibilidade de partilhar e difundir instantaneamente a notícia de forma capilar. Essas notícias podem ser belas ou tristes, verdadeiras ou falsas; rezemos para que a comunicação, em todas as formas, seja efectivamente construtiva, ao serviço da verdade, recusando os preconceitos, e difunda a esperança e a confiança no nosso tempo”.
A concluir o Papa saudou diversos grupos da Itália e de outros países, presentes na Praça. De entre eles os Missionários Combonianos que estão a comemorar 150 anos de fundação.
Uma menção especial e um encorajamento foi para os representantes das associações de voluntariado que promovem a doação de órgãos, “um acto nobre e meritório” , disse Francisco.
Depois saudou os trabalhadores da cadeia televisiva Mediaset/Roma, desejando que a sua situação de trabalho se possa resolver, tendo como finalidade o verdadeiro bem da empresa e não limitando-se ao mero lucro, mas respeitando os direitos de todas as pessoas envolvidas.
O Papa concluiu a sua alocução dominical recordando a sua visita ontem a Gênova e agradecendo aos genoveses. 
"Quero concluir com uma grande saudação aos genoveses e uma grande obrigado pelo caloroso acolhimento que me reservaram ontem. Que o Senhor os abençoe abundantemente e Nossa Senhora da Guarda os proteja"(DA)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

PAPA FRANCISCO: MISSÃO DO CRISTÃO - PODER DE INTERCESSÃO E ANÚNCIO


Cidade do Vaticano (RV) – O Santo Padre concluiu sua Visita Pastoral a Gênova, presidindo a uma solene concelebração Eucarística, no Largo Kennedy da cidade.
 
Além dos milhares de fiéis genoveses, participaram da Santa Missa cerca de 40 pessoas excepcionais dos Centros da Obra Don Orione, como também os religiosos, religiosas e voluntários da “constelação de solidariedade” da Congregação Orionita de Gênova.
Em sua homilia aos milhares de fiéis presentes, o Papa citou as palavras de Jesus antes da sua Ascensão ao Céu: “Foi-me dado todo poder no céu e na terra”.
O poder de Jesus e a força de Deus são temas que permeiam as leituras da Liturgia de hoje sobre a Ascensão do Senhor. Mas, no que consistem esta força e este poder? Falando de poder de ligar o Céu e a Terra, o Papa respondeu:
“Quando Jesus subiu ao Pai, a nossa carne humana cruzou o limiar da porta do Céu; a nossa humanidade está em Deus, para sempre. Deus jamais se separará dos homens. Jesus prepara o lugar para cada um de nós no Céu. Eis o poder de Jesus: manter-nos ligados com o Céu”.
Porém, - acrescentou o Papa - este poder de Jesus não acaba com a sua Ascensão ao Céu, mas continua hoje e sempre: “Eu estarei com vocês até o fim do mundo”. Logo, Jesus está conosco e intercede por nós junto do Pai. Eis, então, que a palavra-chave do seu “poder” é “intercessão” por nós. E acrescentou:
“Esta capacidade de interceder, Jesus deu também a nós, à sua Igreja, que tem o poder e o dever de interceder e rezar por todos. Ele é a nossa âncora! Na oração, confiamos o nosso mundo a Deus. Intercessão é caridade, é pedir, bater à porta, buscar e colocar-se em jogo. Logo, interceder, sem cessar, é a nossa primeira responsabilidade de cristãos; é a nossa missão!”.
Além da intercessão, o Papa acrescentou outra palavra-chave do poder de Jesus: o “anúncio”. O Senhor envia seus discípulos a anunciar a sua Mensagem, com o poder do Espírito Santo. Trata-se de um ato de extrema confiança. Ele confia em nós, apesar das nossas faltas e de não sermos perfeitos. Mas, podemos superar uma nossa grande “imperfeição”: o “fechamento”. E explicou:
“O Evangelho não pode ser fechado e sigilado, porque o amor de Deus é dinâmico e deve chegar a todos. Para anunciar é preciso ir com confiança, sair de si mesmos, livres de qualquer tentação de comodismo. Com o Batismo, Jesus conferiu a cada um de nós o poder de anunciar. Eis a identidade do cristão!”.
O cristão - disse ainda Francisco - é um peregrino, um missionário, um maratonista esperançoso, confiante e ativo, criativo e respeitoso, empreendedor e aberto, laborioso e solidário. Com este estilo, como fizeram os discípulos, – frisou – o cristão deve percorrer as estradas do mundo transmitindo a Mensagem de Jesus, com a força límpida e mansa do seu alegre testemunho.
O Papa concluiu sua homilia pedindo ao Senhor a graça de dedicar-nos plenamente à urgente missão, trabalhando concretamente pelo bem comum e pela paz! (MT)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

ENCONTRO COM AS CRIANÇAS NO HOSPITAL: ASSISTÊNCIA GENEROSA E CARITATIVA



Cidade do Vaticano (RV) – O penúltimo encontro que o Papa manteve em sua Visita Pastoral a Gênova foi com as Crianças das várias repartições do Hospital Pediátrico “Giannina Gaslini” e com o pessoal que se dedica, há mais de 80 anos, à assistência da infância.
 
Em sua breve saudação, Francisco recordou, inicialmente, a função especial deste conhecido Hospital, fundado pelo Senador Gerolamo Gaslini, em honra da sua filha morta em tenra idade: continuar sendo símbolo de generosidade e solidariedade com base na fé católica.
A seguir, detendo-se no aspecto do sofrimento das crianças, que não é fácil aceitar, o Pontífice disse que “a fé sem a caridade é morta”.
Por fim, Francisco encorajou os presentes a desempenhar esta nobre obra com caridade, como “bons samaritanos”, atentos às necessidades dos pequenos pacientes e das suas fragilidades”.
O Papa Francisco assinou o Livro de honra do Hospital Pediátrico "Giannina Gaslini" e escreveu as seguintes palavras:
“A todos aqueles que trabalham neste hospital, onde a dor encontra ternura, amor e cura, agradeço de coração pelo seu trabalho, sua humanidade e pelo carinho a muitas crianças que, desde pequenas, carregam a cruz. Com admiração e gratidão. Por favor, não se esqueçam de rezar por mim.”(MT/MJ)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

HORÁRIO DE MISSAS


Paróquia São Vicente de Paulo, à Avenida Desembargador Moreira, 2211, no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza.

*Diariamente: 6h30 e 17h30
* De 3ª a 6ª: 11h30 e 19 horas
*Sábado: 6h30, 12 horas e 17h30
* Domingo: 6h30, 8h30, 11h30, 17h30 e 19h30

Comunidade Face de Cristo, à Rua Edmilson Barros de Oliveira, 191, no bairro Cocó, em Fortaleza
* De segunda à quinta-feira, às18 horas
* De segunda à sexta-feira: 7 horas.
* Domingo: às 8 e 18h30

 Paróquia São João Eudes:

Na Igreja  Menino Deus, à Rua Jaime Leonel, s/n, no bairro Luciano Cavalcante

* Às 3ªs e 5ªs feiras, às 19 horas
* Domingo: às 7 e 19 horas.

Na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, à rua Albert Sabin, s/n, no bairro Cocó/Guararapes.

* Às  4ªs feiras, às 18h30, novena de Nossa Senhor do Perpétuo Socorro, às 19 horas, missa e, às sextas-feiras, às 18h30, Adoração ao Santíssimo Sacramento e, logo em seguida, missa.
* Domingo: às 9, 17 e 19 horas.

Paróquia Nossa Senhora da Assunção (Santuário), no bairro Barra do Ceará

* De terça-feira a sábado, as 6 e 19horas.
*Domingo : às 7, 9, 17, 18h30 e 20horas.

Paróquia Nossa Senhora Aparecida, à Avenida Gomes de Matos, no bairro Montese.

*De 2ª à sexta-feiras, às 18h30, exceto nas terças-feiras.
*Domingo: às 7, 9,17 e 19 horas;*Nos dias 12, Missa em honra a Nossa Senhora Aparecida; dia 13, Nossa Senhora de Fátima, e dia19, Santo Expedito. E toda 1ª terça-feira do mês, Missa de Cura.

Paróquia do Coração de Jesus, no Centro de Fortaleza, na Praça do Coração de Jesus.

*Diariamente, de segunda-feira a domingo, às 7 horas.
* Domingo: às 7,8,30, 16 e 18 horas.

Paróquia de Cristo Rei, à Rua Nogueira Acioli, 263, na Aldeota.

De segunda-feira à sexta-feira, às 6h30 e às 17 horas
Sábado, às 6h30, 17 e 19 horas.
Domingo, 6h30, 9, 11, 17 e 19 horas
Últimas terças-feiras: “Noite da Misericórdia”. Observação: não há missa das 17 horas.
Dia 13 – Missa Mariana: às 12 horas, na Igreja Matriz e às 18 horas, na Praça Ceart.

Paróquia Nossa Senhora do Carmo, na Avenida Duque de Caxias, no Centro de Fortaleza

Domingo, às 8, 10, 17 e 18h30
Sábado, às 7h30, 17h30 e 17h30
De 3ª A 6ª feira, às 7h30 e 17 horas.     

Paróquia de Santa Luzia,  Rua Tenente Benévolo esquina com Rua Antônio Augusto

Diàriamente, às 17 horas
Sábado, às 17 e 19 horas.
Domingo, às 8, 10 (missa das crianças), 17 e 19 horas (missa dos jovens)
Todo dia 13 de cada mês, missa às 12 horas, em honra a Nossa Senhora de Fátima.

Paróquia de São Gonçalo do Amarante, a 57 quilômetros distante de Fortaleza

De terça-feira à sexta-feira, às 18 horas.
Domingo, às 19 horas.

Igreja Matriz de São José - Lagoa Redonda (Avenida Recreio, 1815)
- Sábado, 20 horas
- Domingo, 7 e 17h30

Capela de Santa Edwiges, Conjunto Curió Lagoa Redonda (Rua Isabel Ferreira, 1001)
- Domingo às 9 horas

Igreja dos Remédios – Benfica – na Avenida da Universidade
- Às segundas e quartas-feiras, às 6h30m.
- Às terças, quintas e sextas-feiras, às 17h30min.
- Aos sábados – 15h30min e 17 horas.
- Aos domingos, às 7, 17 e 19 horas.
- Domingos, ás 9horas, Missa com crianças (exceto no 1. domingo de cada mês, dia dos batizados)
- No primeiro sábado, missa pela saúde e todo o dia 13, às 12 horas, celebração em honra a Nossa Senhora. Mais informações pelo telefone (85) 3223.5644.

Envie-nos os horários de Missa de sua Paróquia ou Comunidade para o e-mailvaivém@secrel.com.br