terça-feira, 27 de junho de 2017

EVANGELHO DO DIA


Mateus 7,6.12-14

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 6“Não deis aos cães as coisas santas, nem atireis vossas pérolas aos porcos; para que eles não as pisem com o pés e, voltando-se contra vós, vos despedacem.12Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também a eles. Nisto consiste a Lei e os Profetas. 13Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso é o caminho que leva à perdição, e muitos são os que entram por ele! 14Como é estreita a porta e apertado o caminho que leva à vida! E são poucos os que o encontram”!— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


27/06/2017 - 3ª feira da 12ª Semana Tempo Comum

Gênesis 13, 2.5-18 - "Não deve haver discórdia entre nós "

 Nesta leitura Abrão nos ensina a superar as diferenças existentes entre nós e as pessoas da nossa convivência e nos dá o exemplo de como podemos evitar discórdias. Com ele nós aprendemos que é melhor ceder para alguém uma parte do que nos foi dado, do que, apossados de tudo, viver em desarmonia e litígio com as pessoas a quem mais amamos. Assim, pois, ele não se importou em colocar disposição do seu sobrinho Lot, a terra que o Senhor lhe concedera. A cada um de nós está reservado um “espaço” para que possamos realizar a nossa missão dentro do plano de Deus. Recebemos de Deus, os dons, os bens e os talentos, armas necessárias para que ponhamos em prática o grande desafio da nossa vida que é o bom relacionamento entre nós e os nossos irmãos e irmãs. Cada um de nós tem em si as riquezas pertinentes ao seu modo de ser e, por isso, devemos respeitar o pensamento e as opiniões uns dos outros. Às vezes nós insistimos em querer mudar as pessoas que convivem conosco e tentamos com que elas tenham o mesmo pensamento que nós e lutamos para que permaneçamos juntos no mesmo ideal, tendo os mesmos objetivos. Por isso, surgem os conflitos de opiniões, as divergências que terminam em litígio, em separação dolorosa. Além do mais dentro do plano de Deus cada um tem o seu lugar, a sua terra e o seu próprio quinhão. Viver em harmonia e em paz dentro da nossa realidade é o que deseja para nós, o Senhor. Assim também, nós devemos fazer, pois como diz a palavra: "Não deve haver discórdia entre nós e entre os nossos pastores, pois somos irmãos!" - Como é a sua relação com as pessoas que convivem com você? - Você insiste em querer mudá-las para que se adaptem ao seu modo de pensar e continuem convivendo? - Você é uma pessoa possessiva, ciumenta? - Você sabe dar o "seu ao seu dono"?

Salmo 14 - "Senhor, quem morará em vosso monte santo?"

O salmista descreve as características dos que habitam na casa do Senhor: “quem em nada prejudica o seu irmão; quem não empresta o seu dinheiro com usura, mas honra os que respeitam o Senhor e não se deixa subornar contra o inocente." O desejo da nossa alma é morar no monte santo do Senhor, por isso nós buscamos a santidade e a justiça de Deus. Porém, é nos nossos relacionamentos que nós demonstramos se estamos à procura do monte santo de Deus. Se, assim estivermos vivendo jamais vacilaremos, estamos no caminho certo.

Evangelho - Mateus 7, 6.12-14 - " A porta estreita é a vivência do amor,"

Jesus nos motiva a ter coerência nas nossas atitudes para não desperdiçar o bem precioso que temos nas mãos. Somos cristãos, carregamos em nós a riqueza do Espírito Santo o qual nos dá dons preciosos para que possamos caminhar firmes na no seguimento de Jesus e, por isso, não devemos nos expor às investidas da mentalidade mundana sem estar preparados. Muitas vezes banalizamos as coisas de Deus e perdemos o nosso precioso tempo discutindo e medindo forças com pessoas que não têm conhecimento de Deus e querem nos influenciar e destruir a nossa fé e a nossa esperança nas promessas divinas. Assim fazendo nós estamos dando aos porcos as nossas pérolas. Precisamos, portanto, aproveitar bem o que o Senhor colocou à nossa disposição. A Palavra de Deus é um tesouro e ao mesmo tempo uma arma que Deus coloca a nosso favor, por isso, precisamos sempre estar fundamentados nos Seus ensinamentos para viver em harmonia com Deus e os nossos irmãos. Algumas pessoas confundem os ensinamentos do Evangelho e vulgarizam a Palavra de Deus de acordo com as suas conveniências. Quando preservamos os ensinamentos do Evangelho nós aprendemos a desejar para o outro aquilo que desejaríamos também para nós. As nossas atitudes com os nossos irmãos, as nossas ações diante dos apelos do mundo que nos acena com as coisas fáceis e ilusórias nos mostram se estamos realmente fazendo o itinerário do caminho que nos leva à vida. A porta estreita é a porta dos ensinamentos evangélicos, difíceis de vivenciar, mas que nos levam à vida eterna. O homem que tem uma vida “fácil” perde-se também com facilidade, porque coloca a sua alma naquilo que só dá prazer. Muitas vezes queremos seguir o caminho mais fácil, que nos custa menos, no entanto, é a estrada que nos leva a perdição. A porta estreita é a vivência do amor, é o amor vivido em atos concretos. A porta larga é o egoísmo, o querer só para si esquecendo que a Lei e os Profetas consistem em amar a Deus e ao próximo como a si mesmo. - Você costuma banalizar a Palavra de Deus dizendo que as coisas mudaram? - Você brinca com as coisas santas? - Você conta anedotas que vulgarizam as coisas santas - O que você faz quando as pessoas o (a) desestimulam, e questionam a ação de Deus na sua vida? – Você confia no Senhor mesmo quando todos à sua volta dizem o contrário? – Você costuma discutir as coisas de Deus com pessoas alheias ao assunto, querendo convencê-las?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO


A devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro começou a ser propagada a partir de 1870 e espalhou-se por todo o mundo. Trata-se de uma pintura do século XIII, de estilo bizantino. Segundo a tradição, foi trazida de Creta, Grécia, por um negociante. E, desde 1499, foi honrada na Igreja de São Mateus in Merulana.
Em 1812, o velho Santuário foi demolido. O quadro foi colocado, então, num oratório dos padres agostinianos. Em 1866, os redentoristas obtiveram de Pio IX o quadro da imagem milagrosa. Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi colocada na Igreja de Santo Afonso, em Roma. De semblante grave e melancólico, Nossa Senhora traz no braço esquerdo o Menino Jesus, ao qual o Arcanjo Gabriel apresenta quatro cravos e uma cruz. Ela é a senhora da morte e a rainha da vida, c, o socorro seguro e certo dos que a invocam com amor filial.
Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

segunda-feira, 26 de junho de 2017

DEVOÇÃO MUNDIAL TEM GRANDE ADESÃO DE BRASILEIROS EM TODOS OS ESTADOS E NO DF



Festa litúrgica desta terça-feria, 27 de junho, traz ícone bizantino da Virgem da Paixão, conhecida no mundo inteiro como Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, é venerado no Brasil de norte a sul. Considerando apenas algumas paróquias a dedicadas a esse título de Maria nas arquidioceses das capitais dos 26 estados e do Distrito Federal, encontram-se os seguintes registros: Em Manaus (AM), é paróquia do Pe. José Amarildo Luciano da Silva e fica no bairro Educandos; em Brasília (DF), se localiza no Lago Sul, sob o cuidado dos missionários redentoristas, na Ceilândia sob os cuidados dos Frades Capuchinos e um grande Santuário em Taguatinga, cuidado pelos Claretinos; Em Belém (PA) está no bairro dos Telégrafos; em Macapá, Pe. José Cláudio Gomes Barros é pároco de uma paroquia dedicada a esse título desde 1964; em Porto Velho (RO), é a única igreja que olha para o rio; na diocese de Rio Branco (AC), se localiza na estada do Mutum, no bairro do Alto Alegre.
Em Boa Vista (RR) não tem paróquia a ela dedicada, mas se faz a novena à Nossa Senhora do Perpetuo Socorro na paróquia Igreja de São Francisco; um outro bloco, desta vez de dez capitais, com suas paróquias dedicadas à Mãe do Perpétuo Socorro: São Luís (MA): na Cohab; Fortaleza (CE): várias comunidades e paróquia no bairro de Mondubim; Natal (RN): no bairro de Quintas; Teresina (PI); localiza-se no bairro de Mafrense; Recife (PE): está no bairro da Madalena; João Pessoa (PB): está localizada no bairro Altiplano Cabo Branco; Maceió (AL): há mais de uma paróquia com essa dedicação, mas uma delas fica no bairro de Socorro; Aracajú (SE): está no bairro de São Conrado e em Salvador (BA), fica na Mata Escura.
As últimas onze capitais: Belho Horizonte (MG): há várias, uma delas no bairro de Boa vista; Rio de Janeiro (RJ): está localizada no bairro do Grajaú; Curitiba (PR): o santuário se localiza no Alto da Glória; Florianópolis (SC): no centro da cidade de Guabiruba; Porto alegre (RS): paróquia dirigida por Pe. Carlos Gustavo Haas; São Paulo (SP): várias, mas uma delas se encontra no Jardim Paulistano, aos cuidados dos Redentoristas; Campo Grande (MS): ao lado da Cúria Arquidiocesana, encontra-se o santuário dedicado à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro; Cuiabá (MT): encontra-se no Jardim santa Amália; Goiânia (GO): uma paróquia e um Santuário que reúne quase 20 mil pessoas todas as terças-feiras, para as novenas em louvor à Nossa Senhora; Palmas (TO): a paróquia está situada no Jardim Aureny IV.
O que o Ícone representa?
A resposta é dos responsáveis do Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Curitibaq: “Ícone é o nome dado a uma pintura que, não sendo apenas um quadro ou uma obra de arte, é carregada de significados sagrados e leva seu observador à oração. O Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é formado por quatro figuras: Nossa Senhora, o Menino Jesus e dois arcanjos. A aparição dos arcanjos com uma lança e a cruz mostram ao Menino Jesus os instrumentos de sua Paixão. Assustado corre aos braços da Mãe. Por causa do movimento brusco desamarra a sandália. Maria o acolhe com ternura e lhe transmite segurança. O olhar de Nossa Senhora não se dirige ao Menino, mas a nós. Porém, sua mão direita nos aponta Jesus, o Perpétuo Socorro. As mãos de Jesus estão nas mãos de Maria. Gesto de confiança do Filho que se apóia na Mãe. Na riqueza de seus símbolos, o ícone bizantino tem ainda muito a revelar”.

 Fonte: CNBB

A HERANÇA MISSIONÁRIA DE PEDRO




Padre Geovane Saraiva*
O convite de Jesus ao humilde pescador Simão foi maravilhoso e transformador, começando pelo nome, que de Simão passou a ser chamado de Pedro. É o Reino de Deus, anunciado por Jesus de Nazaré com características claras e definidas, que foi assimilado por Pedro no serviço da justiça e da caridade para com os irmãos. Coube a ele compreender a necessidade do testemunho, na fidelidade a Deus, afastando-se da ilusão do poder de um Messias triunfalista, conquistador e guerreiro, que, com certeza, logo restauraria o poder temporal em Israel fora de suas cogitações.
A obra redentora de Deus, em sua indizível bondade, ternura e mistério de amor, fazendo-se homem, quis e quer eternizar a criatura humana, restaurando-a e reconciliando-a consigo. É dentro desse contexto que a Igreja comemora São Pedro, homem simples e humilde, profundamente marcado pela graça de Deus, que, para os seguidores do Filho de Deus, no decorrer dos séculos, foi imprescindível, ao marcar e personificar a Igreja de um modo ininterrupto em toda a sua história. Pedro é a pedra que se traduz pela fé no serviço generoso, custe o que custar, muitas vezes doando a própria vida.
A amorosa exigência de Jesus foi no sentido vê-lo totalmente voltado ao serviço do Reino de Deus, convocando-o a fazer parte do número daqueles que seriam missionários a serviço do Mestre Divino e que perpetuariam Seu ministério, após sua partida para o Pai. Ele nos recorda a Igreja instituição com o poder recebido de Deus, na missão de “ligar e desligar”, de ficar à frente da exigente e fascinante incumbência de continuar, com dignidade e responsabilidade, o trabalho de santificar, ensinar e governar o rebanho do Senhor. Na conjuntura da solenidade de São Pedro, guardemos as palavras de Jesus aos discípulos, de não ter medo, que, segundo o Papa Francisco, “nas dificuldades do testemunho cristão do mundo, nunca somos esquecidos, mas sempre assistidos pela solicitude atenta do Pai”.
Após o chamado do seu Mestre e Senhor, com Ele conviveu, participou do privilégio de sua amizade e integrou como o primeiro no Colégio dos Apóstolos. Testemunhou, com os próprios olhos, a vida, a morte e a ressurreição do Senhor Jesus, confessando com a própria boca: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo!”, recebendo, da parte de Jesus, um grande elogio: “Feliz és tu, Simão, porque não foi a carne nem o sangue que te revelaram isso, mas o meu Pai que está nos céus” (cf. Mt 16, 16-17).  Por fim, o que acontece com Jesus repete-se com Pedro, sendo crucificado, mas de cabeça para baixo, julgando-se indigno de morrer do mesmo modo que seu Mestre e Senhor.


*Pároco de Santo Afonso, Jornalista, Vice-Presidente da Previdência Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza – geovanesaraiva@gmail.com

PAPA FRANCISCO: CRISTÃO NÃO PRECISA DE HORÓSCOPO, ABERTO ÀS SURPRESAS DE DEUS





Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco celebrou a missa, nesta segunda-feira (26/06), na capela da Casa Santa Marta.

“O cristão verdadeiro não é aquele que se instala e fica parado, mas aquele que confia em Deus e se deixa guiar num caminho aberto às surpresas do Senhor”, frisou o Pontífice em sua homilia.


0:00



Citando a Primeira Leitura, extraída do Livro do Gêneses, Francisco refletiu sobre Abraão, pois nele “há o estilo da vida cristã, o estilo nosso como povo”, baseado em três dimensões: o despojamento, a promessa e a bênção. “O Senhor exorta Abraão a sair de seu país, de sua pátria, da casa de seu pai”, recordou o Papa:

“O ser cristão tem sempre esta dimensão do despojamento que encontra a sua plenitude no despojamento de Jesus na Cruz. Sempre há um vai, um deixa, para dar o primeiro passo: ‘Sai da tua terra, da tua família e da casa do teu pai’. Se fizermos memória veremos que nos Evangelhos a vocação dos discípulos é um ‘vai’, ‘deixa’ e ‘vem’. Também nos profetas, não é? Pensemos a Eliseu, trabalhando a terra: ‘Deixa e vem’.”

“Os cristãos”, acrescentou o Papa, “devem ter a capacidade de serem despojados, caso contrário não são cristãos autênticos, como não são aqueles que não se deixam despojar e crucificar com Jesus. “Abraão “obedeceu pela fé”, partindo para a terra a ser recebida como herança, mas sem saber o destino preciso:

“O cristão não tem um horóscopo para ver o futuro. Não procura a necromante que tem a bola de cristal, para que leia a sua mão. Não, não. Não sabe aonde vai. Deve ser guiado. Esta é a primeira dimensão de nossa vida cristã: o despojamento. Mas, por que o despojamento? Para uma ascese parada? Não, não! Para ir em direção a uma promessa. Esta é a segunda. Somos homens e mulheres que caminham para uma promessa, para um encontro, para algo, uma terra, diz a Abraão, que devemos receber como herança.”

No entanto, enfatizou Francisco, Abraão não edifica uma casa, mas “levanta uma tenda”, indicando que “está a caminho e confia em Deus”, portanto, constrói um altar “para adorar ao Senhor”. Então, “continuar a caminhar” é estar “sempre em caminho”:

“O caminho começa todos os dias na parte da manhã; o caminho de confiar no Senhor, o caminho aberto às surpresas do Senhor, muitas vezes não boas, muitas vezes feias – pensemos em uma doença, uma morte - mas aberto, pois eu sei que Tu me irás conduzir a um lugar seguro, a um terra que preparaste para mim; isto é, o homem em caminho, o homem que vive em uma tenda, uma tenda espiritual. Nossa alma, quando se ajeita muito, se ajeita demais, perde essa dimensão de ir em direção da promessa e em vez de caminhar em direção da promessa, carrega a promessa e possui a promessa. E não deve ser assim, isso não é realmente cristão”.

“Nesta semente de início da nossa família” cristã, observou o Papa, aparece outra característica, a da bênção: isto é, o cristão é um homem, uma mulher que “abençoa”, que “fala bem de Deus e fala bem dos outros” e que  “é abençoado por Deus e pelos outros” para ir para frente. Este é o esquema da “nossa vida cristã”, porque todo mundo, “também” os leigos, devemos “abençoar os outros, falar bem dos outros e falar bem a Deus dos outros”. Muitas vezes, acrescenta o Pontífice, estamos acostumados “a não falar bem” do próximo, quando - explica – “a língua se move um pouco como quer”, em vez de seguir o mandamento que Deus confia ao nosso pai” Abraão, como “síntese da vida”: de caminhar, deixando-se “despojar” pelo Senhor e confiando em suas promessas, para sermos irrepreensíveis. Enfim, concluiu Francisco, a vida cristã é “tão simples”. (MJ-SP) (from Vatican Radio)

Fonte: Rádio Vaticano

EVANGELHO DO DIA


Mateus 7,1-5
 Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.  Glória a vós, Senhor.Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 1“Não julgueis e não sereis julgados. 2Pois, vós sereis julgados com o mesmo julgamento com que julgardes; e sereis medidos, com a mesma medida com que medirdes.3Por que observas o cisco no olho do teu irmão, e não prestas atenção à trave que está no teu próprio olho? 4Ou, como podes dizer a teu irmão: ‘Deixa-me tirar o cisco do teu olho’, quando tu mesmo tens uma trave no teu? 5Hipócrita, tira primeiro a trave do teu próprio olho e então enxergarás bem para tirar o cisco do olho do teu irmão”.— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


26/06/2017 - 2ª. feira XII semana comum 

–Gênesis 12, 1-9 – “Existe um desígnio de Deus para cada um de nós”

O chamado que Deus faz a cada um de nós para segui-Lo é como o que fez a Abrão, quando o convocou para ir em busca da Terra Prometida. Prometendo-lhe benção, prosperidade e descendência, o Senhor o convocou a sair da sua terra, da sua família, da casa do seu pai e ir à busca de uma nova terra e de uma nova vida. E Abraão partiu sem fazer comentários nem pedir mais garantias. Simplesmente ele foi impulsionado pela FÉ. Sair da nossa terra e da nossa família é sair de nós mesmos (as), das nossas seguranças, dos nossos apegos, das nossas afeições, dos nossos planos e motivos pessoais para assumir a Vontade de Deus em tudo o que Ele planejou para nós. Quando fazemos a vontade de Deus nós recebemos todas as bênçãos e graças para assumir o que Ele tem reservado para nós. Existe um desígnio de Deus, isto é, uma intenção, uma finalidade para cada passo que Ele nos motiva a dar. Não é fácil para nenhum de nós o sair da nossa própria vontade, sacrificar os nossos ideais para abraçar a vontade de Deus, assim também como não é simples descobrir no que consiste o desejo de Deus para nós. No entanto, vão surgindo, as oportunidades e os sinais vão se evidenciando quando o Senhor nos convoca de diversas maneiras. Muitas vezes, o maior sinal de que estamos fazendo a vontade de Deus é quando de alguma forma nós contrariamos a nossa própria vontade, porque estamos também em busca da terra prometida. Vontade de Deus é o paraíso e quando conseguimos nos desprender dos nossos próprios planos nós recebemos bênção de Luz para nós e para as pessoas com as quais convivemos. – Você já conseguiu se desprender da sua “terra” e da sua “família” para buscar a terra prometida por Deus? – Você ainda é uma pessoa presa às suas raízes e convicções? – Você tem muitos planos pessoais? – Eles estão em consonância com a vontade de Deus para você? – Para você onde estaria o paraíso?

Salmo 32 – “Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!”

O salmista nos revela que dos altos céus o Senhor olha e observa todos os homens. No entanto, Ele pousa o olhar sobre os que o temem e confiam nele. Os que temem o Senhor esperam em Seu amor e sabem que serão libertados da morte. Eles são herança do Senhor, pois seguem o Seu chamado e atendem à Sua convocação. Cada um de nós recebe o que nos convêm, de acordo e conforme com a nossa esperança. Se, esperamos do Senhor, receberemos a vida eterna, se esperamos do “mundo”, receberemos a morte eterna.

Evangelho – Mateus 7, 1-5 – “julgamento e medida”


“Vós sereis julgados com o mesmo julgamento com que julgares; e sereis medidos com a mesma medida com que medirdes”! Esta deve ser para nós uma regra de ouro! Jesus nos ensina a ter coerência nas nossas atitudes e no julgamento que fazemos em relação às ações dos outros. Muitas vezes ficamos inquietos e apreensivos tentando compreender se alcançaremos um bom lugar perto de Deus e como é que seremos julgados. No entanto, nós percebemos que não é difícil avaliar a nossa situação após a nossa morte. Trocando em miúdos podemos, então, deduzir que a regra de ouro para nós é, o “a começar em mim”. Tudo o que nós esperamos dos outros, precisamos também viver. Quando olhamos para o outro e logo “enxergamos” as suas falhas, nós inconscientemente estamos descobrindo também as nossas limitações, por isso, o erro do outro chama tanto a nossa atenção e tem tanto peso para nós. Precisamos, pois estar conscientes de que todos nós temos limitações, mas também temos a capacidade para grandes transformações. Desse modo, as advertências de Jesus nos servem para que olhemos menos para os defeitos dos nossos irmãos e irmãs e descubramos em nós mesmos (as) o que precisa ser transformado para o bem e a edificação do reino de Deus através das nossas atitudes. – Como você tem medido as ações do seu próximo? – Você tem meditado sobre si mesmo (a)? – Você se acha autossuficiente e incapaz de cometer “grandes pecados”? – O que você considera um grande pecado? – Você tem o costume de fazer julgamentos mesmo que sejam somente no seu pensamento? – Como você acha que será julgado (a)? Assim como você julga?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SÃO JOÃO E SÃO PAULO


Os santos que recordamos hoje pertenceram ao século IV e ali deram um lindo testemunho do martírio no ano de 362, no contexto em que a Igreja de Cristo era perseguida.
Eles pertenciam à Corte de Juliano, o Apóstata, que queria que todos os cristãos se rendessem aos deuses do Império. João e Paulo, porém, renunciaram ao cargo, e se retiraram para uma propriedade onde viveram da caridade e servindo aos pobres, testemunhando acima de tudo o amor a Deus.
Eram irmãos de sangue, mas responderam pessoalmente ao Evangelho.
O Imperador enviou uma autoridade para convencê-los a mudarem de ideia, e oferecerem sacrifícios ao deus Júpiter para não serem condenados.
Após alguns dias, os irmãos não negaram sua fé e acabaram morrendo degolados, testemunhando seu amor a Deus.
São João e São Paulo, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

domingo, 25 de junho de 2017

PAPA FRANCISCO: "MISSÃO NÃO É TURISMO; PODE HAVER FRACASSO E SOFRIMENTO"



Cidade do Vaticano (RV) - “Ir em missão não é fazer turismo”, frisou o Papa Francisco, falando aos fiéis antes de rezar a oração do Angelus domingo (25/06) na Praça São Pedro.
Apesar do forte calor, mais de 10 mil pessoas participaram da oração mariana e ouviram a reflexão de Francisco, inspirada no cap. 10 do Evangelho de Mateus, ‘Não tenhais medo daqueles que matam o corpo’.
Levar em conta insucessos e perseguições
“Ser enviado por Jesus em missão não é garantia de sucesso e tampouco protege de fracassos e sofrimentos. É preciso levar em consideração a possibilidade de rejeições e perseguições. Isto assusta um pouco, mas é a verdade!”.
Assim como Cristo – explicou o Papa – foi perseguido pelos homens, conheceu a rejeição, o abandono e a morte na Cruz,  devemos nos lembrar que nenhuma missão cristã é sinal de tranquilidade, mas entrever uma oportunidade:
Ver nas dificuldades uma ocasião
“Dificuldades e tribulações fazem parte da obra de evangelização e nós somos chamados a encontrar nelas a ocasião para verificar a autenticidade de nossa fé e de nossa relação com Jesus”.
Enfim, “no testemunho de fé não contam os sucessos, mas a fidelidade a Cristo”, reiterou, exortando:
Jesus nos assiste sempre
“Não tenham medo de quem os ofende ou maltrata, de quem os ignora, ou de quem ‘pela frente’ os honra, mas ‘pelas costas’ combate o Evangelho. Há muita gente assim”, completou.
A assim como Jesus, que tranquilizou os discípulos três vezes dizendo ‘Não tenham medo’, Francisco afirmou que “nas dificuldades do testemunho cristão do mundo, nunca somos esquecidos, mas sempre assistidos pela solicitude atenta do Pai”.
Perseguição de cristãos ainda existe 
E terminou pedindo para “rezarmos por nossos irmãos e irmãs ainda perseguidos e louvarmos a Deus porque apesar disso, continuam a testemunhar com coragem e fidelidade a sua fé. Seu exemplo nos ajuda a não hesitar em tomar posição em favor de Cristo, testemunhando-o corajosamente também no cotidiano”.   
Em seguida, Francisco concedeu a todos a sua bênção apostólica.  

Fonte: Rádio Vaticano


AS SAUDAÇÕES DO PAPA FRANCISCO AOS GRUPOS NA PRAÇA SÃO PEDRO



Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco, ao término da oração do Angelus na Praça São Pedro, domingo (25/06) expressou sua proximidade à população de Xinmo. Mais de 120 pessoas estão desaparecidas neste vilarejo na província de Sichuan, no sudeste da China, após terem sido soterradas por um deslizamento provocado pelas fortes chuvas que atingem a região.
 http://br.radiovaticana.va/Modules/Presentation/Styles/images-common/icons/download-audio-mp3_off.png
“Rezo pelos mortos, pelos feridos e por aqueles que perderam suas casas. Que Deus conforte as famílias e ampare quem presta socorro. Estou muito próximo deles”, disse, detendo-se em oração silenciosa.
Ainda antes de se despedir dos fiéis, Francisco lembrou que em Vilnius (Lituânia), está sendo proclamado Beato o Bispo Teofilo Matulionis, morto ‘em ódio à fé’ em 1962.
O Papa pediu aos presentes um aplauso para a Lituânia, sendo prontamente atendido.
Outra saudação especial do Papa foi dirigida à Igreja greco-católica ucraniana (muitos fiéis estavam na Praça), que celebra 150 anos da canonização de São Josafá.  “Que o Senhor ofereça a coragem do testemunho e o dom da paz para a querida terra ucraniana”. 
Fonte: Rádio Vaticano


INICIADO O TRÍDUO DE NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO NA PARÓQUIA SÃO JOÃO EUDES




Foram iniciados ontem, com uma Adoração ao  Santíssimo Sacramento, tríduo e uma celebração eucarística, presidida pelo padre Johnja, o festejos em honra a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Capela que recebe o seu nome e fica localizada no bairro Guararapes, nas proximidades do Shopping Iguatemi, tendo como tema: “Maria, a profundeza de um coração saciado pelo amor de Deus”.

Além da adoração, tríduo e adoração ao  Santíssimo, houve a solenidade de hasteamento da bandeira de Nossa Senhora do Perpétuo, tendo à frente o padre Johnja e, logo em seguida um convívio e barracas servindo bolos, pratinhos com comidas típicas (baião de dois, vatapá).

PROGRAMAÇÃO


A festa prossegue nesta noite de domingo, dia 25 de junho, com mais duas missas, sendo uma às 17 horas e a outra às 19 horas. No intervalo de uma celebração para outra, estão programados o terço mariano, às 18 horas e tríduo às 18h30min e, em seguida missa.  A comunidade convidada é a do Menino Deus (Igreja Matriz) e a Pastoral Familiar.

HORÁRIO DE MISSAS


Paróquia São Vicente de Paulo, à Avenida Desembargador Moreira, 2211, no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza.

*Diariamente: 6h30 e 17h30
* De 3ª a 6ª: 11h30 e 19 horas
*Sábado: 6h30, 12 horas e 17h30
* Domingo: 6h30, 8h30, 11h30, 17h30 e 19h30

Comunidade Face de Cristo, à Rua Edmilson Barros de Oliveira, 191, no bairro Cocó, em Fortaleza
* De segunda à quinta-feira, às18 horas
* De segunda à sexta-feira: 7 horas.
* Domingo: às 8 e 18h30

 Paróquia São João Eudes:

Na Igreja  Menino Deus, à Rua Jaime Leonel, s/n, no bairro Luciano Cavalcante

* Às 3ªs e 5ªs feiras, às 19 horas
* Domingo: às 7 e 19 horas.

Na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, à rua Albert Sabin, s/n, no bairro Cocó/Guararapes.

* Às  4ªs feiras, às 18h30, novena de Nossa Senhor do Perpétuo Socorro, às 19 horas, missa e, às sextas-feiras, às 18h30, Adoração ao Santíssimo Sacramento e, logo em seguida, missa.
* Domingo: às 9, 17 e 19 horas.

Paróquia Nossa Senhora da Assunção (Santuário), no bairro Barra do Ceará

* De terça-feira a sábado, as 6 e 19horas.
*Domingo : às 7, 9, 17, 18h30 e 20horas.

Paróquia Nossa Senhora Aparecida, à Avenida Gomes de Matos, no bairro Montese.

*De 2ª à sexta-feiras, às 18h30, exceto nas terças-feiras.
*Domingo: às 7, 9,17 e 19 horas;*Nos dias 12, Missa em honra a Nossa Senhora Aparecida; dia 13, Nossa Senhora de Fátima, e dia19, Santo Expedito. E toda 1ª terça-feira do mês, Missa de Cura.

Paróquia do Coração de Jesus, no Centro de Fortaleza, na Praça do Coração de Jesus.

*Diariamente, de segunda-feira a domingo, às 7 horas.
* Domingo: às 7,8,30, 16 e 18 horas.

Paróquia de Cristo Rei, à Rua Nogueira Acioli, 263, na Aldeota.

De segunda-feira à sexta-feira, às 6h30 e às 17 horas
Sábado, às 6h30, 17 e 19 horas.
Domingo, 6h30, 9, 11, 17 e 19 horas
Últimas terças-feiras: “Noite da Misericórdia”. Observação: não há missa das 17 horas.
Dia 13 – Missa Mariana: às 12 horas, na Igreja Matriz e às 18 horas, na Praça Ceart.

Paróquia Nossa Senhora do Carmo, na Avenida Duque de Caxias, no Centro de Fortaleza

Domingo, às 8, 10, 17 e 18h30
Sábado, às 7h30, 17h30 e 17h30
De 3ª A 6ª feira, às 7h30 e 17 horas.     

Paróquia de Santa Luzia,  Rua Tenente Benévolo esquina com Rua Antônio Augusto

Diàriamente, às 17 horas
Sábado, às 17 e 19 horas.
Domingo, às 8, 10 (missa das crianças), 17 e 19 horas (missa dos jovens)
Todo dia 13 de cada mês, missa às 12 horas, em honra a Nossa Senhora de Fátima.

Paróquia de São Gonçalo do Amarante, a 57 quilômetros distante de Fortaleza

De terça-feira à sexta-feira, às 18 horas.
Domingo, às 19 horas.

Igreja Matriz de São José - Lagoa Redonda (Avenida Recreio, 1815)
- Sábado, 20 horas
- Domingo, 7 e 17h30

Capela de Santa Edwiges, Conjunto Curió Lagoa Redonda (Rua Isabel Ferreira, 1001)
- Domingo às 9 horas

Igreja dos Remédios – Benfica – na Avenida da Universidade
- Às segundas e quartas-feiras, às 6h30m.
- Às terças, quintas e sextas-feiras, às 17h30min.
- Aos sábados – 15h30min e 17 horas.
- Aos domingos, às 7, 17 e 19 horas.
- Domingos, ás 9horas, Missa com crianças (exceto no 1. domingo de cada mês, dia dos batizados)
- No primeiro sábado, missa pela saúde e todo o dia 13, às 12 horas, celebração em honra a Nossa Senhora. Mais informações pelo telefone (85) 3223.5644.

Envie-nos os horários de Missa de sua Paróquia ou Comunidade para o e-mailvaivém@secrel.com.br

EVANGELHO DO DIA


Mateus 10,26-33

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, disse Jesus a seus apóstolos: 26“Não tenhais medo dos homens, pois nada há de encoberto que não seja revelado, e nada há de escondido que não seja conhecido. 27O que vos digo na escuridão dizei-o à luz do dia; o que escutais ao pé do ouvido, proclamai-o sobre os telhados! 28Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma! Pelo contrário, temei aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno! 29Não se vendem dois pardais por algumas moedas? No entanto, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do vosso Pai. 30Quanto a vós, até os cabelos da vossa cabeça estão contados. 31Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais. 32Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus. 33Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai que está nos céus. Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


25/06/2017 - XII domingo do tempo comum (ANO A)

– 1ª. leitura Jeremias 20,10-13- “O Senhor prova o homem justo”

Assim como o profeta perseguido, nós que estamos a serviço de Deus, também podemos passar pelo crivo das pessoas. Há momentos em que todos os amigos observam as nossas falhas para ver se cometemos algum engano. Isto é real e atual mesmo dentro da nossa casa, principalmente com as pessoas que ainda não encontraram o sentido maior da vida, pois não experimentaram a força e o amor de Deus. Consequentemente, elas confundem o desejo de que essas coisas também possam acontecer na sua vida, com sentimentos de inveja. Na verdade, elas nos “admiram” e querem também fazer tal experiência. Como ainda não conseguiram e não nos entendem, nos acusam. Inadvertidamente, porém, nós caímos na tentação e nos angustiamos porque achamos que somos perseguidos. “Mas o Senhor está ao meu lado como forte guerreiro”, diz o profeta. Esta tem que ser a nossa certeza. Ele está do nosso lado e combate por nós, portanto, somos mais que vencedores. O Senhor prova o homem justo e vê o seu coração. Ele salva a vida do homem que é perseguido por causa da justiça, por isso, não precisamos cair no laço dos inimigos que espalham o medo em nosso redor. Eles se cobrirão de vergonha. – Você costuma discutir religião? – Qual é a sua reação quando nota que alguém está vigiando as suas ações para vê-lo (a) cair em contradição? – Você confia nas sugestões do Espírito Santo?

Salmo 68 – “Atendei-me, ó Senhor, pelo vosso imenso amor!”

O salmista eleva a Deus sua oração pedindo proteção por causa da perseguição que ele sofre. O tempo em que somos perseguidos e atribulados é um tempo favorável a que procuremos o Senhor Deus. O nosso coração quando é acrisolado, isto é, purificado, é também renovado e reestruturado. Pois nosso Deus atende às preces dos seus pobres e não despreza o clamor dos que sofrem. Quando servimos ao Senhor com zelo e amor pela sua causa Ele opera em nós uma obra de reconstrução.

2ª. leitura - Romanos 5, 12-15 – “ o dom de Deus se derrama em abundância sobre nós”

A graça de Deus é muito maior que o pecado que entrou no mundo trazendo a morte como consequência pela desobediência de um homem, Adão. Com muito mais largueza, através da obediência de um só homem, Jesus Cristo, o dom gratuito de Deus nos foi concedido. Com o pecado entrou a morte que passou para todos os homens; com a graça de Deus, entrou a vida eterna, que consiste em estar constantemente na presença do Senhor. O dom da graça de Deus concedido através de um só homem, Jesus Cristo, se derramou sobre todos nós e é muito maior que a falta de Adão. Isso para nós é motivo de muita alegria! Portanto, não podemos parar no pecado nem na morte, mas precisamos nos fixar na graça e na salvação que Deus planejou para nós. Mesmo conscientes de que somos pecadores, nós temos a vantagem de termos sido justificados pelo próprio Filho de Deus. Por isso, todas as vezes em que caímos em tentação, nós sabemos que temos um justo juiz o qual não nos julga segundo as nossas faltas, mas nos acolhe com o Seu coração clemente. A Lei do Senhor é o amor e a Sua justiça é a Sua misericórdia. – Você tem consciência de que não pode morrer nos seus pecados? – Você
costuma se instalar nos seus vícios achando que não há saída? - Você entende o plano de salvação de Deus? – Isso (a) deixa mais confortável?

Evangelho – Mateus 10, 26-33 – “Por que temer os homens?”

Os homens matam o corpo, mas não podem fazer nada com a nossa alma, pois só o Pai que conhece tudo a nosso respeito tem poder para nos condenar. Neste Evangelho Jesus nos ensina a enfrentar os desafios da nossa caminhada, sem ter medo do que poderá nos acontecer. O Pai, que nos fez e sabe até o número dos nossos cabelos está vendo todas as coisas e nos revelará os Seus planos contra as nações, isto é, contra os nossos pecados, nossos medos, nossas iniquidades e até mesmo as pessoas. Dependemos de Deus, pois, na Sua onisciência, é o único que tem capacidade para nos julgar. Tudo, um dia irá ser revelado e a verdade é vencedora, por isso, por mais que tentemos não podemos fugir de Deus. Ao contrário, confiando na Sua misericórdia devemos cada vez mais nos expor a Ele, nos abrir, nos revelar e dar testemunho Dele diante dos homens. Se estivermos firmes nesta verdade, não poderemos mais ter vergonha de declarar diante dos homens o testemunho do que se passa na nossa vida, de como somos libertados do mal e de como nos sentimos felizes apesar de todas as tribulações. Negar a Deus diante dos homens é envergonhar-se de ser filho do Pai, é recolher-se, é omitir-se, é colocar os interesses acima dos interesses de Deus. Se negarmos a Jesus diante dos homens com as nossas contradições de vida, com o nosso contra testemunho, ai de nós, seremos também negados diante do Pai que está nos céus. - O seu testemunho é coerente com o que Jesus prega no Evangelho? - Você tem consciência de que Deus vê tudo o que faz, conhece o que você pensa e escuta o que você fala? - Diante dos homens você tem negado Jesus ou tem se declarado a seu favor? – Você tem vergonha de falar em nome de Jesus? – Você acha que pode esconder-se de Deus? – O que você teme?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminhho



REFLETINDO O EVANGELHO



Mateus 10,26-33

DÉCIMO SEGUNDO DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO A

           O evangelho de hoje (Mt. 10,26-33) nos apresenta a coragem dos discípulos de Jesus em testemunhar sua fé, motivados na insistência de Jesus em que a Boa Nova será plenamente revelada na convicção adquirida de Jesus.

           A mensagem de Jesus é insistente: não tenhamos medo. Como comunidade cristã, nós estamos comprometidos com a verdade, isto é, aderimos a uma realidade irreversível na história: o Reino de Deus e a sua justiça. A insistência do evangelho proclamado hoje é “não tenham medo”. O medo é o grande inimigo de quem quer proclamar o Evangelho e viver a verdade.

           O Evangelho apresenta Jesus dando orientações aos evangelizadores. Ele computa reações. Há acolhedores, mas também opositores ferrenhos. Não devemos temer. Eis as recomendações de Jesus:

  1. O pregador do evangelho não deve ter medo de anunciar o Evangelho, mesmo que a sua missão possa fracassar.
  2. Não devemos ter medo dos maus tratos e ameaças de morte por causa do Evangelho. Disse Jesus: “Não tenhais medo daqueles que matam o corpo e não podem matara a alma”.
  3. Não ter medo de perder os bens, os amigos, familiares porque Deus é providência para quem permanecer fiel. Deus conhece até os mínimos detalhes de nossa vida, nada escapa ao seu amor e suas atenções. Ele se interessa pela causa de quem está se comprometendo pelo seu Reino.

          O evangelho termina com uma promessa: Jesus reconhecerá diante do Pai aqueles que o tiverem reconhecido diante dos homens.

Mensagem: Jesus falando três vezes para não ter medo, com certeza está falando para nós hoje quando a cultura do medo está em voga. Somos cercados pelo medo de tantas coisas. O mundo em que vivemos é marcado pelo medo: da violência, falta de paz, o futuro, a insegurança. Caminhamos hoje entre avanços e recuos.

          Os avanços: progresso ilimitado da razão humana, nas ciências e técnicas. Nunca tivemos tantos conhecimentos sobre a psicologia humana, sobre as leis sociológicas que regem os comportamentos na política, na economia e na cultura. Os avanços ainda não resolveram a questão do medo e insegurança.

Os recuos: Com todos esses avanços que com certeza trouxeram grandes benefícios e bem estar para todos nós, recuamos na solidariedade, nos sentimentos de amor ao próximo, vivendo um individualismo e indiferentismo exacerbados.

Somente com o dom da fé, do amor a Deus e ao próximo como uma grande conversão a palavra de Deus seremos capazes de vencer o medo e os obstáculos da vida presente.

Somos chamados a ser profetas, anunciando a verdade e denunciado as situações que não estão de acordo com o projeto de Deus. É difícil. Certamente seremos incompreendidos, sofreremos perseguições mas não devemos desanimar.

Não podemos ter medo: Deus está ao nosso lado e nunca nos deixará sozinhos.

Confiemos N’ele e sejamos sempre fiéis seguidores de Jesus. Ele mesmo será o nosso defensor diante do Pai.

 

Pe. Raimundo Neto

Pároco de São Vicente