sexta-feira, 22 de junho de 2018

EVANGELHO DO DIA

Mateus 6,19-23

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 19“Não junteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e os ladrões assaltam e roubam. 20Ao contrário, juntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem, nem os ladrões assaltam e roubam. 21Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.22O olho é a lâmpada do corpo. Se o teu olho é sadio, todo o teu corpo ficará iluminado. 23Se o teu olho está doente, todo o corpo ficará na escuridão. Ora, se a luz que existe em ti é escuridão, como será grande a escuridão. Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


22 DE JUNHO DE 2018

6ª. FEIRA DA 11ª. SEMANA DO

TEMPO COMUM


Cor: Verde

1ª Leitura - 2Rs 11,1-4.9-18.20


Leitura do Segundo Livro dos Reis 11,1-4.9-18.20
Naqueles dias: 1Quando Atalia, mãe de Ocozias, soube que o filho estava morto, pôs-se a exterminar toda a família real.  2Mas Josaba, filha do rei Jorão e irmã de Ocozias, raptou o filho dele, Joás, do meio dos filhos do rei,  que iriam ser massacrados,  e colocou-o, com sua ama, no quarto de dormir. Assim, escondeu-o de Atalia e ele não foi morto. 3E ele ficou seis anos com ela,
escondido no templo do Senhor,  enquanto Atalia reinava no país.
4No sétimo ano,  Joiada mandou chamar os centuriões  dos quereteus e da escolta,  e introduziu-os consigo no templo do Senhor. Fez com eles um contrato,  mandou que prestassem juramento no templo do Senhor  e mostrou-lhes o filho do rei.
9Os centuriões fizeram tudo  o que o sacerdote Joiada lhes tinha ordenado. Cada um reuniu seus homens, tanto os que entravam de serviço no sábado, como os que saíam. Vieram para junto do sacerdote Joiada, 10e este entregou aos centuriões as lanças e os escudos de Davi, que estavam no templo do Senhor. 11Em seguida, os homens da escolta, de armas na mão, tomaram posição
a partir do lado direito do templo até ao esquerdo, entre o altar e o templo, em torno do rei. 12Então Joiada apresentou o filho do rei, cingiu-o com o diadema e entregou-lhe o documento da Aliança. E proclamaram-no rei, deram-lhe a unção e, batendo palmas, aclamaram: 'Viva o rei!' 13Ouvindo os gritos do povo,
Atália veio em direção da multidão no templo do Senhor.
14Quando viu o rei de pé sobre o estrado, segundo o costume,
os chefes e os trombeteiros do rei junto dele, e todo o povo do país exultando de alegria e tocando as trombetas, Atália rasgou suas vestes e bradou: 'Traição! Traição!' 15Então o sacerdote Joiada ordenou aos centuriões que comandavam a tropa:
'Levai-a para fora do recinto do templo e, se alguém a seguir, seja morto à espada'. Pois o sacerdote havia dito: 'Não seja morta dentro do templo do Senhor'. 16Agarraram-na e levaram-na aos empurrões pelo caminho da porta dos Cavalos até ao palácio,
e ali foi morta. 17Em seguida, Joiada fez uma aliança
entre o Senhor, o rei e o povo, pela qual este se comprometia a ser o povo do Senhor. Fez também uma aliança entre o rei e o povo. 18Todo o povo do país dirigiu-se depois ao Templo de Baal e demoliu-o. Destruíram totalmente os altares e as imagens
e mataram Matã, sacerdote de Baal, diante dos altares. E o sacerdote Joiada pôs guardas na casa do Senhor. 20Todo o povo do país o festejou e a cidade manteve-se calma. Palavra do Senhor. 

Reflexão – “toda a autoridade aqui na terra é dada por Deus”
Há, no coração do homem uma luta perene entre fazer a vontade de Deus e a sua vontade própria. Assim sendo, ele usa de todos os artifícios para usurpar e apoderar-se daquilo que Deus, nos seus desígnios, já predestinara. Nesta narrativa vemos que a rainha Atália, mãe de Ocozias, rei de Judá, desejando usurpar o seu trono, mandou exterminar a família real. O que ela não imaginava era que o seu reinado iria durar pouco tempo, pois um dos filhos do rei, de nome Joás fora salvo e mantido em segredo e iria assumir o seu lugar de direito. Assim, anos mais tarde, Joás foi ungido rei e recebeu novamente, as lanças e os escudos de Davi.  Muitas pessoas ainda hoje tentam apossar-se de cargos que dão prestígio, passando por cima dos outros esquecendo que toda a autoridade aqui na terra é dada por Deus e que, quando o Senhor designa alguém para assumir lugar de destaque, Ele o faz com um propósito definido. Da mesma maneira, outros tentam desvirtuar aqueles que são chamados para edificar o reino de Deus aqui na terra. De alguma forma, Deus trabalha para que a justiça seja feita e apesar das demoras e das aparentes situações de desesperança, Ele sempre age para que seja retomado o plano previsto por Ele. Para isso, Ele se vale das pessoas como o fez por meio de Josaba o qual teve a iniciativa de esconder a criança que seria, mais tarde, rei de Judá. Somos também instrumentos do Senhor, trabalhando para que a Sua justiça aconteça aqui na terra, quando cooperamos com o Seu plano de salvação.  Estar atento aos Seus acenos é nossa missão, pois, em algum momento, Ele pode necessitar de nós para reconquistar o reino dos céus para os Seus filhos quando são massacrados pelo mundo. Assim como Josaba (irmã do rei Ocozias), qualquer um de nós pode ser escolhido (a) pelo Senhor para “esconder alguém” da ira do mundo, e, mais tarde, reconquistá-lo para o reino de Deus. O Senhor quer salvar os Seus filhos. Muitos Joás existem por aqui expostos às investidas do inimigo.   – Você conhece alguém que está sendo preso pelo inimigo de Deus? – O que você poderá fazer por ele? – Você tem coragem de se expor para tentar salvar alguém das garras do mundo? – Como você age quando deseja conquistar algo que lhe atrai?

 

 

Salmo - Sl 131,11. 12. 13-14. 17-18 (R.13)


R. O Senhor preferiu Jerusalém por sua morada.

11O Senhor fez a Davi um juramento, *
uma promessa que jamais renegará:
'Um herdeiro que é fruto do teu ventre *
colocarei sobre o trono em teu lugar!R.

12Se teus filhos conservarem minha Aliança *
e os preceitos que lhes dei a conhecer,
os filhos deles igualmente hão de sentar-se *
eternamente sobre o trono que te dei!'R.

13Pois o Senhor quis para si Jerusalém *
e a desejou para que fosse sua morada:
14'Eis o lugar do meu repouso para sempre, *
eu fico aqui: este é o lugar que preferi!'R.

17'De Davi farei brotar um forte Herdeiro, *
acenderei ao meu Ungido uma lâmpada.
18Cobrirei de confusão seus inimigos, *
mas sobre ele brilhará minha coroa!'R.
Reflexão - Cada um de nós pode assumir a promessa feita a Davi de que um herdeiro, fruto do seu ventre seria colocado no trono. O herdeiro de Davi é Jesus Cristo e somos nós os Seus seguidores, seus eleitos. Consequentemente, somos Jerusalém onde Deus também nos deseja ter como Sua morada porque fazemos parte do povo com o qual Ele fez aliança. Portanto, cabe a cada um de nós perseverarmos nos preceitos do Senhor, para que possamos, eternamente, nos sentar no trono preparado para os Seus herdeiros.

Evangelho - Mt 6,19-23


+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 6,19-23
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 19Não junteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem,
e os ladrões assaltam e roubam. 20Ao contrário, juntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem,
nem os ladrões assaltam e roubam. 21Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. 22O olho é a lâmpada do corpo. Se o teu olho é sadio, todo o teu corpo ficará iluminado.
23Se o teu olho está doente, todo o teu corpo ficará na escuridão.
Ora, se a luz que existe em ti é escuridão, como será grande a escuridão. Palavra da Salvação. 

Reflexão – “Tudo irá passar, um dia!”
As coisas pelas quais lutamos no nosso dia a dia, assim como também o que vivenciamos e experimentamos, são responsáveis pela nossa qualidade de vida aqui na terra. Este Evangelho faz um diagnóstico que identifica o mal que nos impede de ter saúde espiritual. Assim, contém uma receita com o remédio prescrito para debelar a enfermidade que nos leva à depressão e ao vazio espiritual. Se trabalharmos e lutarmos por muito dinheiro, sucesso, status, se nos afadigarmos para adquirir bens materiais que nunca alcançam a marca do chegar, isto é, que não têm um limite, estaremos sendo inconsequentes, perseguindo um alvo ilusório que não tem consistência e no final da nossa vida restará somente o vazio.  Nós juntamos tesouro na terra quando procuramos agradar o mundo vivendo em função daquilo que ele valoriza, como o dinheiro, a fama e o poder e nos esquecemos de viver o amor, a fraternidade e a justiça.  Tudo irá passar, um dia! Por isso, Jesus nos alerta para o valor que atribuímos às riquezas materiais, que nos desvirtuam e nos impedem de enxergar o nosso destino final. Diante dos conselhos de Jesus nós precisamos identificar com muita sinceridade qual o tesouro pelo qual estamos trabalhando e se os bens que buscamos com tanta ansiedade são verdadeiramente os que a nossa alma anseia ou apenas fazem parte dos desejos da nossa humanidade. Precisamos discernir se estamos amealhando dentro do nosso coração bens duradouros ou se estamos fazendo dele (coração), um celeiro das coisas que só nos servem para esta vida terrena. Se estivermos vivendo assim, com certeza, o tesouro, material que perseguimos deve estar ocupando um espaço precioso que deveria ser preenchido com os valores que permanecerão conosco até o céu.  No nosso coração nós abrigamos os nossos desejos, anseios, ideais, sentimentos. É nele onde é forjada a nossa mentalidade, o sentido pelo qual agimos e fazemos as coisas. As nossas boas ou más ações, o amor ou o desamor com que vivemos têm origem a partir dos nossos pensamentos, das nossas deliberações e resoluções.  É de dentro do nosso coração também, que refletimos a luz que ilumina as nossas ações e reações. A nossa maneira de ver e entender as coisas, a nossa visão espiritual e emocional, dá o sinal para que saibamos se a luz que existe em nós, é escuridão ou é fulgor e limpidez. O nosso ideal de vida e o objetivo das nossas ações darão o rumo da nossa caminhada, para o céu ou para fora dele    – Onde está o seu coração? – Qual o tesouro que você está guardando nele? – Qual é a sua razão de viver e de lutar? – Qual é a visão que você tem do mundo e das pessoas? – Você vê de acordo com a ótica de Deus? – Para você o que é que tem valor neste mundo? – Você tem consciência da brevidade da sua vida? – Os bens que você tem amealhado têm serventia para a outra vida?
 Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho


SANTO DO DIA - SANTOS JOÃO FISCHER E TOMÁS MORE


João Fischer era inglês, chamado por Deus à vida sacerdotal. Fez uma linda caminhada acadêmica até chegar a ser Arcebispo de Rochester.
Foi um homem de grande influência intelectual, cultural e religiosa a partir do seu testemunho. Ele não se vendia: diante do contexto das confusões da Reforma ele já havia se declarado contra. Também escreveu e defendeu a fé católica.
Henrique VIII, por causa de um envolvimento com uma amante, quis que a Igreja declarasse nulo seu casamento. Mas, ao ser analisado pelo Bispo de Rochester, viu-se que não era o caso. Mas com insistência e imposição, Henrique VIII se “auto-declarou” chefe da Igreja da Inglaterra.
Em meio às confusões religiosas e políticas, o testemunho de Fischer indicou a verdade, que nem sempre é acolhida. O Papa já havia escolhido ele para Cardeal, mas Henrique VIII o condenou à morte. E ao ser apresentado para o martírio, São João Fischer deixou claro que era pela fé da Igreja Católica e de Cristo que ele estava ali. E seu sangue foi derramado em 1535.
No mesmo ano, Tomás More, pai de família e de grande influência no meio universitário, era chanceler do rei, mas não se vendeu diante do ato de supremacia de Henrique VIII. Também foi martirizado. Era leal ao rei, mas acima de tudo a Deus. Em 1535 Tomás More foi decapitado. Em meio às confusões, o testemunho faz a diferença.
Santos João Fischer e Tomás More, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

quinta-feira, 21 de junho de 2018

DIVULGADOS NOMES DOS MEMBROS E SUPLENTES QUE REPRESENTARÃO A IGREJA NO BRASIL NO SÍNODO DOS JOVENS, EM ROMA, EM OUTUBRO



Divulgados nomes dos membros e suplentes que representarão a Igreja no Brasil no Sínodo dos Jovens, em Roma, em outubro
O arcebispo de Brasília (DF) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Sergio da Rocha, divulgou nesta quinta-feira (21), a lista de membros e suplentes eleitos para a XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que ocorrerá em Roma, de 4 a 25 de outubro deste ano, com o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.
O cardeal Sergio da Rocha foi nomeado pelo papa Francisco como relator geral deste sínodo em novembro do ano passado. A figura do relator geral tem um papel de mediador, sendo responsável por introduzir e sintetizar os assuntos expostos pelos bispos durante a reunião do sínodo.
Os representantes do episcopado brasileiro foram escolhidos durante a 56ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realizada em Aparecida (SP), de 11 a 20 de abril deste ano. São quatro membros e dois suplentes escolhidos para representar o Brasil na Assembleia Sinodal.
Os membros titulares são dom Vilsom Basso, bispo de Imperatriz (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude; Dom Eduardo Pinheiro da Silva, bispo de Jaboticabal (SP), que já foi presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, no período de 2011 a 2015; Dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre (RS) e presidente para a Comissão Episcopal para os Ministério Ordenados e a Vida Consagrada. Dom Jaime coordenou o processo de elaboração do documento sobre a formação sacerdotal aprovado na 56ª Assembleia Geral da CNBB. O quarto membro é o bispo auxiliar da arquidiocese de Salvador, dom Gilson Andrade da Silva, que exerce a função de bispo referencial dos Ministérios e Vocações no Nordeste3.
Instrumento laboris – Ainda comemorando o lançamento do Plano IDE, com os cinco projetos de evangelização da juventude no Brasil, apresentado na reunião do Conselho Permanente da CNBB, e tendo em mãos o Instrumento Laboris do Sínodo, dom Vilson destacou a forma como está organizado o documento de trabalho da XV Assembleia Geral. “Acabamos de receber o documento ‘Os jovens a fé e o discernimento vocacional’. Ele tem três palavras especiais: reconhecer a realidade juvenil; interpretar, a partir de Jesus Cristo, da palavra e do magistério; e a escolher o caminho a trilhar”, disse.
O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude tem a expectativa de que muita coisa bonita seja construída a partir deste Sínodo que vem para animar e iluminar a evangelização da juventude em todo o país e no mundo.
Para o arcebispo de Porto Alegre (RS) e presidente da Comissão para Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, Dom Jaime Spengler, este Sínodo tem um grande desafio de neste contexto de mudança de época apontar caminhos que ajudem a juventude no seu discernimento vocacional e amadurecimento na fé. Dom Jaime destaca a participação da juventude no processo do Sínodo que, segundo ele, reflete-se no documento preparatório.
O primeiro suplente é o arcebispo coadjutor de Montes Claros (MG), dom João Justino de Medeiros, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Educação e Cultura; o segundo suplente é o bispo auxiliar de Belém (PA), dom Antônio de Assis Ribeiro.
Fonte: CNBB

CASA DO POVO DA RUA DOM LUCIANO MENDES COMEMORA 10 ANOS DE ATIVIDADES SOCIAIS EM FAVOR DOS POBRES



A Pastoral do Povo da Rua da Arquidiocese de Fortaleza convida para a celebração de ação de graças pelos 10 anos da Casa do Povo da Rua Dom Luciano Mendes, no dia 22 de junho de 2018, a partir das 16h, na Igreja do Pequeno Grande (Av. Santos Dumont, 55, Centro). Após a eucaristia haverá um convívio fraterno em frente à Casa do Povo da Rua.
Informações: (85) 3388-8706 e (85) 88555-6008 Fernanda.
HistóricoA Casa do Povo da Rua é um espaço de convivência fraterna e conquista de direitos. Ela foi doada à Pastoral, por Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques (arcebispo) a fim de realizar um trabalho pastoral com moradores de rua e catadores de material reciclável. Atualmente é um espaço de referência para os atendidos, pois se coloca a serviço, acolhe e congrega através da formação cristã e cidadã, cuidado fraterno  e espírito comunitário. Rendemos graças ao Deus da Vida por tudo que fez e que continuará realizando junto ao povo da rua em nossa Arquidiocese como expressão amorosa de seu amor.
Fonte: Site da Arquidiocese de Fortaleza

FESTIVAL HALLELUYA E HEMOCE DIVULGAM META DE COLETA DE SANGUE PARA ESTE ANO




Ao todo, já foram coletadas mais de oito mil unidades em 16 anos de parceria.

No Dia Mundial do Doador de Sangue, celebrado  dia 14, o  Halleluya e o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará- Hemoce divulgaram a meta de 900 bolsas de sangue para serem coletadas na edição do Festival deste ano que  acontecerá de  25 a 29 de julho no Condomínio Espiritual Uirapuru – CEU, com entrada gratuita.
A parceria entre as instituições, além da conscientização para a doação, coleta bolsas de sangue e cadastra doadores de medula óssea.  Nestes dezesseis anos de trabalho em conjunto foram coletadas 8.955 bolsas de sangue. Cada unidade pode salvar até quatro vidas. Ao todo, 2.694 pessoas foram incluídas no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea- REDOME.

 “O Festival Halleluya é o evento mais solidário do Estado do Ceará. Além de sua ação preventiva, o evento oferece ao participante a  oportunidade de salvar vidas com a doação voluntária de sangue”, explica Fábio Lima, da organização do Festival.

SERVIÇO

Festival Halleluya 2018
Data: 25, 26, 27, 28 e 29 de julho
Local: Condomínio Espiritual Uirapuru – CEU (Av. Alberto Craveiro, 2222, Dias Macedo).
Entrada gratuita.
Mais informações: WWW.festivalhalleluya.com
3295.4583
Assessoria de Imprensa do Festival Halleluya: Inove Comunicação
Verônica Melo (85) 99680-0908
Stella Magalhães (85) 99680-0900
Kamylla Carvalho (85) 998595-6082

Com informações de
Vanderlúcio Souza
Seminarista da Arquidiocese de Fortaleza 
Jornalista - MTB 3484/CE
85 9.8894.3283 (Oi WhatsApp)

COMEÇA DIA 24 TRÍDUO EM HONRA A NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO



Tendo como tema: "Nossa Senhora do Perpétuo Socorro conduz os cristãos leigos à Jesus" e como lema: "Sejamos sal da terra e luz do mundo  como Maria", inicia-se no dia 24 de junho, domingo, o Tríduo em honra a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na sua Capela, no bairro Guararapes, nas proximidades do Iguatemi. Começará com a missa ás 17 horas, hasteamento da bandeira, e após a celebração eucarística, exposição do Santíssimo, terço Mariano e novena. Os festejos ficarão encerrados no dia 27.As Comunidades convidadas deste  primeiro dia são: Divina Misericórdia e Nossa Senhora da Libertação.


Dia 25, segundo dia do Tríduo:
18:30h Exposição do Santíssimo e Terço
19:00: Novena
19:30: Santa Missa

Comunidade Convidada: Menino Deus( Matriz)

Dia 26/06, terceiro dia do Tríduo:
18:30 h: Exposição do Santíssimo e Terço
19:00 h: Novena
19:30 h: Santa Missa

Comunidade Convidada: Santa Luzia

Dia 27/07, Festa em honra a Nossa Senhora do Perpetuo Socorro
19:00 h: Procissão com o terço
19:30 h: Santa Missa

Todas as Comunidades Convidadas e as Pastorais da CNSPS
Haverá todos os dias barracas com venda de comidas típicas , música , bingo, venda de rifa de uma smart TV 40 polegadas e nosso tradicional bazar

No dia da Festa, 27/06, haverá a apresentação da Quadrilha do Zé Testinha!!!

PAPA FRANCISCO É ACOLHIDO COM ALEGRIA EM GENEBRA



Papa Francisco chegou logo depois das 10 horas da manhã desta quinta-feira (21/06) na cidade de Genebra onde, depois da cerimônia de boas-vindas encontrou o Presidente da Confederação Suíça.
Papa Francisco chegou em Genebra para a peregrinação ecumênica por ocasião da celebração dos 70 anos do Conselho Ecumênico de Igrejas, o World Council of Churches (WCC).
Acolhida e encontro com o Presidente da Confederação
O avião chegou logo depois das 10 horas da manhã trazendo o Papa que recebeu uma calorosa acolhida. Estavam presentes o Presidente da Confederação Suíça, Alain Berset e dois ex Guardas Suíços além de crianças com roupas tradicionais, que lhe ofereceram flores. Depois da apresentação das delegações, o Papa teve um encontro privado com o Presidente suíço em uma sala do aeroporto.
Troca de presentes
Na tradicional troca de presentes, o Papa presenteou Berset com uma gravura que representa o primeiro comandante da Guarda Suíça, Kaspar von Silenen. A cena da gravura mostra a entrada do Papa Júlio II na cidade de Roma, em março de 1507, depois de ter derrotado Giovanni Bentivoglio e ter reconquistado Bolonha.
Programação intensa
Em seguida a comitiva do Papa se deslocou para o Centro Ecumênico de Genebra, sede do Conselho Ecumênico das Igrejas (World Council of Churches), a principal organização que se dedica ao diálogo entre as diferentes Igrejas cristãs no mundo para uma Oração Ecumênica. O primeiro de muitos outros compromissos da jornada.

CRISTÃOS PRECISAM DE NOVO ÍMPETO EVANGELIZADOR, AFIRMA PAPA EM GENEBRA




“Estou convencido de que, se aumentar o impulso missionário, crescerá também a unidade entre nós”, disse o Papa no encontro ecumênico na sede do Conselho Mundial de Igrejas em Genebra.
Bianca Fraccalvieri - Cidade do Vaticano
O segundo compromisso do Papa Francisco em Genebra foi o encontro ecumênico na sede do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), com a presença do Comitê Central do CMI, delegados ecumênicos, autoridades civis e o séquito papal.
Após os discursos do Secretário-geral do CMI, Rev. Olav Fykse Tveit, e da Moderadora Dra. Agnes Abuom, o Pontífice tomou a palavra num discurso centralizado na vocação missionária de todo cristão.
Simbologia bíblica do número 70

Inicialmente, Francisco agradeceu o convite para participar das celebrações dos 70 anos do CMI e falou da simbologia bíblica em torno deste número: setenta anos evoca a duração completa de uma vida, sinal de bênção divina. Mas setenta é também um número que traz à mente duas passagens famosas do Evangelho. Na primeira, o Senhor mandou perdoar não até sete vezes, mas «até setenta vezes sete» (Mt 18, 22).
LEIA TAMBÉM
 Discurso do Papa no Encontro Ecumênico - texto integral
21/06/2018
Discurso do Papa no Encontro Ecumênico - texto integral

O número não pretende indicar um limite quantitativo, explicou o Papa, mas abrir um horizonte qualitativo: não mede a justiça, mas alonga a medida para uma caridade desmesurada, capaz de perdoar sem limites. “É esta caridade que nos permite, depois de séculos de contrastes, estar juntos como irmãos e irmãs reconciliados e agradecidos a Deus nosso Pai.”

Novo ímpeto evangelizador

Setenta lembra também os discípulos que Jesus, durante o ministério público, enviou em missão. O número destes discípulos alude ao número das nações conhecidas, elencadas nos primeiros capítulos da Sagrada Escritura.
“Que sugestão nos deixa isto? Que a missão tem em vista todos os povos, e cada discípulo, para ser tal, deve tornar-se apóstolo, missionário.”
O Papa declarou-se preocupado com a dissociação entre ecumenismo e missão. “O mandato missionário, que é mais do que a diakonia e a promoção do desenvolvimento humano, não pode ser esquecido nem anulado. Em causa está a nossa identidade. O anúncio do Evangelho até aos últimos confins da terra é conatural ao nosso ser de cristãos.”
Para Francisco, necessita-se de um novo ímpeto evangelizador. “Estou convencido que, se aumentar o impulso missionário, crescerá também a unidade entre nós.”
Caminhar - Rezar - Trabalhar juntos

O Pontífice comentou o lema dos 70 anos do CMI: Caminhar - Rezar - Trabalhar juntos.
Caminhar num movimento duplo: de entrada e de saída. De entrada, a fim de nos dirigir constantemente para o centro, que é Jesus. De saída, rumo às múltiplas periferias existenciais de hoje.
Rezar, pois a oração é o oxigênio do ecumenismo. Sem oração, a comunhão asfixia e não avança, porque impedimos que o vento do Espírito a empurre para diante.
Trabalhar juntos, pois a credibilidade do Evangelho é testada pela maneira como os cristãos respondem ao clamor de quantos são vítimas do trágico aumento de uma exclusão que, gerando pobreza, fomenta os conflitos. “Se um serviço é possível, por que não projetá-lo e realizá-lo conjuntamente, começando a experimentar uma fraternidade mais intensa no exercício da caridade concreta?”, questionou o Papa.
Ecumenismo de sangue

Francisco mencionou também os cristãos perseguidos. “Estejamos ao seu lado. E lembremo-nos de que o nosso caminho ecumênico é precedido e acompanhado por um ecumenismo já realizado, o ecumenismo do sangue, que nos exorta a avançar.”
O Pontífice concluiu seu discurso com as seguintes palavras: “Ajudemo-nos a caminhar, rezar e trabalhar juntos, para que, com a ajuda de Deus, progrida a unidade e o mundo acredite”.

Fonte: Rádio Vaticano



MISSA EM HONRA DE SÃO JOSEMARIA ESCRIVÁ FUNDADOR DO OPUS DEI



A Igreja celebra a festa de São Josemaria no dia 26 de junho, na próxima terça feira.
Para comemorar este dia, em Fortaleza, haverá Missa às 19 horas,  na Paróquia São Vicente de Paulo, Av. Des. Moreira, 2211, concelebrada pelos padres Milton Ferreroni e Raimundo Oliveira Neto, pároco de São Vicente.
Josemaria Escrivá é conhecido como o "santo da vida corrente". Foi o fundador do Opus Dei, uma instituição da Igreja Católica que difunde a mensagem de que cada pessoa pode santificar-se na sua vida de todos os dias. Josemaria Escrivá viu de um modo claro que todos somos chamados a amar e a servir a Deus através do trabalho diário, da vida familiar e de amizade.






vi

EVANGELHO DO DIA


Mateus 6,7-15

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7“Quando orardes, não useis muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras. 8Não sejais como eles, pois vosso Pai sabe do que precisais, muito antes que vós o peçais. 9Vós deveis rezar assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; 10venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como nos céus.11O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. 12Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. 13E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. 14De fato, se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. 15Mas, se vós não perdoardes aos homens, vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes”. Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE

21 DE JUNHO DE 2018

 

5ª. FEIRA DA 11ª. SEMANA DO

 

TEMPO COMUM




Cor: Verde

1ª Leitura - Eclo 48,1-15 (Gr. 1-14)


Leitura do Livro do Eclesiástico 48,1-15 (Gr. 1-14)
1O profeta Elias surgiu como um fogo, e sua palavra queimava como uma tocha.  2Fez vir a fome sobre eles  e, no seu zelo, reduziu-os a pouca gente.  3Pela palavra do Senhor fechou o céu
e de lá fez cair fogo por três vezes. 4Ó Elias, como te tornaste glorioso por teus prodígios! Quem poderia gloriar-se de ser semelhante a ti?  5Tu, que levantaste um homem da morte
e dos abismos, pela palavra do Senhor;  6tu, que precipitaste reis na ruína  e fizeste cair do leito homens ilustres;  7tu, que ouvistes censuras no Sinai  e decretos de vingança no Horeb.  8Tu ungiste reis, para tirar vingança,  e profetas, para te sucederem;  9tu foste arrebatado num turbilhão de fogo,  um carro de cavalos também de fogo,  10tu, nas ameaças para os tempos futuros,
foste designado para acalmar a ira do Senhor antes do furor,
para reconduzir o coração do pai ao filho,  e restabelecer as tribos de Jacó.  11Felizes os que te viram, e os que adormeceram na tua amizade!  12Nós também, com certeza, viveremos;mas, após a morte, não será tal o nosso nome.  13Apenas Elias foi envolvido no turbilhão,Eliseu ficou repleto do seu espírito. Durante a vida não temeu príncipe algum, e ninguém o superou em poder. 14Nada havia acima de suas forças, e, até já morto, seu corpo profetizou.
15Durante a vida realizou prodígios e, mesmo na morte, suas obras foram maravilhosas. Palavra do Senhor. 

Reflexão – “poder para fazer cair fogo do céu”
Assim como aconteceu com Elias, cada um de nós é chamado por Deus, com as nossas características, com os nossos dons naturais, conforme o que foi designado para o cumprimento da nossa missão. E, quando atendemos ao Seu apelo, Ele derrama sobre nós uma graça especial e manifesta o Seu poder fazendo com que a sua glória seja conhecida por meio dos nossos feitos. A vida do profeta Elias foi uma verdadeira demonstração do poder de Deus, realizando prodígios, milagres e grandes feitos em Nome do Senhor, os quais ainda hoje são comentados. A sua passagem para a outra vida aconteceu de maneira extraordinária tendo sido arrebatado num turbilhão de fogo. Nós também, temos a oportunidade de viver as nossas experiências de vida assumindo o poder de Deus e testemunhando ao mundo as proezas que Ele realiza por nosso intermédio. O poder do Espírito Santo se manifesta de maneira eficaz quando obedecemos à Sua Palavra e a proclamamos com a nossa vida. Assim, também nós profetizamos e temos autoridade para fazer cair “fogo do céu”. Em nós e através de nós, nos pequenos detalhes da nossa caminhada, também acontecem coisas impossíveis de acreditar, pelo fogo do Espírito Santo de Deus.  Se todas as coisas que fizermos estiverem ajustadas ao Plano de Deus, se confiarmos nas Suas promessas e fizermos a nossa parte aproveitando a graça que recebemos para gerar frutos de conversão e de justiça, com certeza, nós também teremos o nosso nome lembrado por aqueles que nos sucederem. Mesmo que tenhamos pouco tempo de vida, este já será suficiente para que a nossa história seja escrita e as nossas ações tenham repercussão e sirvam de exemplo para as gerações futuras. - Você lembra de algum antepassado seu ou pessoa sua conhecida que tenha deixado boas ações? - O que poderá deixar de mensagem para os que vierem depois de você? – Você tem manifestado o poder e a glória de Deus aqui na terra?

 

Salmo - Sl 96,1-2. 3-4. 5-6. 7 (R. 12a)


R. Ó justos, alegrai-vos no Senhor!

1Deus é Rei! Exulte a terra de alegria, *
e as ilhas numerosas rejubilem!
2Treva e nuvem o rodeiam no seu trono, *
que se apoia na justiça e no direito.R.

3Vai um fogo caminhando à sua frente *
e devora ao redor seus inimigos.
4Seus relâmpagos clareiam toda a terra; *
toda a terra ao contemplá-los estremece.R.

5As montanhas se derretem como cera *
ante a face do Senhor de toda a terra;
6e assim proclama o céu sua justiça, *
todos os povos podem ver a sua glória.R.

7'Os que adoram as estátuas se envergonhem +
e os que põem a sua glória nos seus ídolos; *
aos pés de Deus vêm se prostrar todos os deuses!'R. 

Reflexão - O Salmista conclama todos os justos a se alegrarem no Senhor. Justo é aquele que vive conforme a vontade de Deus e ajustado ao Seu Plano. Deus é um rei presente, e digno de toda a nossa adoração. Ele mora no nosso coração e nos conhece no mais íntimo do nosso ser e sabe do que precisamos. Não podemos perder o tempo precioso da nossa vida adorando ídolos de barro que não têm nenhum poder. Que a nossa alegria seja a marca registrada da força do Senhor agindo em nossa vida, por isso, alegremo-nos no Senhor!

Evangelho - Mt 6,7-15 .


+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 6,7-15
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7Quando orardes,
não useis muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras. 8Não sejais como eles, pois vosso Pai sabe do que precisais, muito antes que vós o peçais. 9Vós deveis rezar assim: Pai Nosso que estás nos céus,
santificado seja o teu nome; 10venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como nos céus. 11O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. 12Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. 13E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. 14De fato, se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram, vosso Pai que está nos céus
também vos perdoará. 15Mas, se vós não perdoardes aos homens,
vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes.
Palavra da Salvação.

Reflexão - “O Pai que está no céu!”
Deus é o nosso Pai, e não apenas nosso Criador, por isso, não precisamos usar de muitas palavras para que Ele nos atenda em nossas necessidades. Neste Evangelho Jesus nos ensina a   conversar com o Pai com a confiança de filho e nos motiva a que sejamos objetivos nas nossas súplicas não desejando, por força das nossas muitas palavras, que a nossa vontade aconteça.  Precisamos, no íntimo do nosso coração, orar com o Pai Nosso, que é a oração mais perfeita e mais completa. Cada parte do Pai Nosso, expressa uma necessidade do nosso ser.  É a oração que, objetivamente, nos leva a reconhecer que Deus é Pai e que Seu Nome é Santo, nos motiva a louvá-Lo e ter compromisso com a Sua vontade, implorando pelas nossas necessidades do dia a dia, mas, principalmente, pedindo o perdão para as nossas faltas com a garantia de que também perdoemos, os nossos irmãos e irmãs.  Jesus nos convida a pedir o pão para prover as nossas carências a cada dia da nossa vida. O pão que alimenta o nosso corpo, mas também, o pão que nutre a nossa alma, o pão da Palavra, o pão da Eucaristia, o pão da Oração que nos fortalecem e nos exercitam a fim de que possamos receber e oferecer o pão do perdão. Perdão de Deus para nós e o nosso perdão aos homens, nossos irmãos, pois somos filhos do mesmo Pai. Finalmente, Jesus nos ensina a pedir pela nossa maior necessidade em todos os dias: não cair em tentação do pecado e nos livrar do mal que é o demônio, inimigo de Deus. Assim fazendo, a nossa oração, tornar-se-á um eco da Oração que Jesus também fez a Deus Pai, dando-nos motivação para que possamos vivenciá-la no dia a dia da nossa vida.  - Você já prestou bem atenção com que coração   tem rezado o Pai Nosso?  - Você já experimentou rezar o Pai Nosso “do jeito” que Jesus nos ensinou? – Experimente fazê-lo, hoje, meditando em cada palavra e juntando a palavra à sua ação.  – Você deseja o perdão de Deus? – Você perdoa também a quem o (a) ofendeu? – Você tem glorificado o Nome de Deus com os seus pensamentos, palavras e ações?
Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho