sábado, 30 de maio de 2020

NOS JARDINS VATICANOS, PA CONFIA HUMANIDADE À PROTEÇÃO DIVINA



A oração do Terço diante da Gruta de Lourdes nos Jardins Vaticanos o Papa Francisco, pediu a proteção da Virgem Maria sobre toda a humanidade.
Cidade do Vaticano
Unidos na oração para invocar a ajuda e o socorro da Virgem Maria e para confiar a humanidade ao Senhor.
No final da tarde deste sábado, 30 de maio, o Papa Francisco rezou o Terço na Gruta de Lourdes nos Jardins Vaticanos, acompanhado por um grupo de leigos, cardeais, bispos, sacerdotes, religiosas, confiando a humanidade a Deus.
A celebração, transmitida em Mundovisão, foi promovida pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização com o tema “Perseverantes e unidos na oração, junto com Maria (At 1,14)”.
Santuários em todo o mundo estiveram unidos neste momento de oração, que também pediu a proteção materna da Virgem Maria para enfrentar a pandemia: Fátima, Lourdes, Guadalupe, Aparecida, Luján, Pompeia, Santa Maria dos Anjos em Assis, Chinquinquira na Colômbia, Imaculada Conceição em Washington, Elele na Nigéria, Czestochowa na Polônia, entre outros.
A cerimônia teve início com o Santo Padre depositando um buquê de flores junto à imagem de Nossa Senhora de Lourdes, junto com todas as dores e esperanças da humanidade. Enquanto era entoada a “Ave Maria”, canção mariana bastante conhecida, o Santo Padre se detinha em oração silenciosa diante da imagem colocada na réplica na Gruta de Lourdes na França.
As Ave-Marias foram recitadas por diferentes categorias profissionais e sociais, representando ao menos em parte o universo das pessoas envolvidas direta ou indiretamente pela pandemia: um médico e uma enfermeira, em nome dos profissionais de saúde empenhados nos hospitais; uma pessoa curada e uma que perdeu um familiar, representando todos aqueles atingidos diretamente pelo sofrimento; um sacerdote, capelão de um hospital e uma religiosa enfermeira, representando os sacerdotes e consagrados que estiveram e estão próximos das pessoas provadas pela dor e pela doença; um farmacêutico e uma jornalista,  categorias profissionais que continuaram a desenvolver seu serviço em favor dos outros; um voluntário da Proteção Civil e sua família, representando todo o serviço de voluntariado, também policiais e bombeiros; uma jovem família, em cujo seio nasceu nestes dias uma criança, sinal da esperança e vitória sobre a morte.
Após a oração do Terço, o Santo Padre recitou a seguinte oração:
O Vergine Maria, volgi a noi i tuoi occhi misericordiosi in questa pandemia del coronavirus, e conforta quanti sono smarriti e piangenti per i loro cari morti, sepolti a volte in un modo che ferisce l’anima. Sostieni quanti sono angosciati per le persone ammalate alle quali, per impedire il contagio, non possono stare vicini. Infondi fiducia in chi è in ansia per il futuro incerto e per le conseguenze sull’economia e sul lavoro. Madre di Dio e Madre nostra, implora per noi da Dio, Padre di misericordia, che questa dura prova finisca e che ritorni un orizzonte di speranza e di pace. Come a Cana, intervieni presso il tuo Figlio Gesù, chiedendogli di confortare le famiglie dei malati e delle vittime e di aprire il loro cuore alla fiducia. Proteggi i medici, gli infermieri, il personale sanitario, i volontari che in questo periodo di emergenza sono in prima linea e mettono la loro vita a rischio per salvare altre vite. Accompagna la loro fatica e dona loro forza, bontà e salute. Sii accanto a coloro che notte e giorno assistono i malati, ai sacerdoti e alle persone consacrate che, con sollecitudine pastorale e impegno evangelico, cercano di aiutare e sostenere tutti. Vergine Santa, illumina le menti degli uomini e delle donne di scienza, perché trovino giuste soluzioni per vincere la malattia. Assisti i Responsabili delle Nazioni, perché operino con saggezza, sollecitudine e generosità, soccorrendo quanti mancano del necessario per vivere, programmando soluzioni sociali ed economiche con lungimiranza e con spirito di solidarietà. Maria Santissima, tocca le coscienze perché le ingenti somme usate per accrescere e perfezionare gli armamenti siano invece destinate a promuovere adeguati studi per prevenire simili catastrofi in futuro. Madre amatissima, fa’ crescere nel mondo il senso di appartenenza ad un’unica grande famiglia, nella consapevolezza del legame che tutti unisce, perché con spirito fraterno e solidale veniamo in aiuto alle tante povertà e situazioni di miseria. Incoraggia la fermezza nella fede, la perseveranza nel servire, la costanza nel pregare. Madre della Misericordia, conduci i passi dei tuoi pellegrini che desiderano raggiungerti nei Santuari a te dedicati in tutto il mondo sotto i titoli più svariati con il tuo sguardo dolce e materno, ascolta la loro preghiera e sii per ciascuno una guida sicura. O Maria, Consolatrice degli afflitti, abbraccia tutti i tuoi figli tribolati e ottieni che il Padre Misericordioso intervenga con la sua mano onnipotente per liberarci da questa terribile pandemia, in modo che la vita possa riprendere in serenità il suo corso quotidiano. Ci affidiamo a Te, che risplendi sul nostro cammino come segno di salvezza e di speranza, o clemente, o pia, o dolce Vergine Maria. Amen.
Ao final, o Santo Padre fez uma saudação especial aos Santuários que se uniram à oração, agradecendo em espanhol, em particular,  os santuários da América Latina conectados.
Fonte: Vatican News

COMISSÃO NACIONAL DE PRESBÍTEROS REGISTRA MAIS DE 100 CASOS ONFIRMADOS DE PADRES COM COVIDDDDD-10




Comissão Nacional de Presbíteros registra mais de 100 casos confirmados de padres com Covid-19
A Comissão Nacional de Presbíteros (CNP), vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), divulgou nesta sexta-feira, 29 de maio, o número de padres do Brasil acometidos pela Covid-19. O levantamento traz a confirmação de 117 infectados e 14 mortes. Os dados, apresentados pela CNP, foram consolidados com base em consultas aos regionais da CNBB (atualmente 18) e apresentados em reunião na última quinta-feira, via online, com os membros da presidência da CNP juntamente com os presidentes das Comissões Regionais de Presbíteros.
Pe. Jadilson, de Aracaju (SE), está curado
Pe. Jadilson, de Aracaju (SE), está curado
Na tabela é possível constatar que o regional Norte 2 da CNBB, que abrange os estados do Pará e Amapá, é o que mais contabiliza infecções de padres por Covid (41) e mortes (05). Em segundo lugar, por número de infectados, está o regional Nordeste 2 que abrange os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. Foram contabilizados 19 infectados e uma morte.
O regional Sul 1, que abrange o Estado de São Paulo, ocupa o terceiro lugar em número de infectados (13) e o segundo em número de mortes (03). “É de suma importância termos ciência do número de presbíteros infectados ou que vieram a óbito, em primeiro lugar para podermos estar em comunhão pela oração e comunhão espiritual; em segundo lugar para termos notícias de quantos irmãos infectados conseguiram vencer o vírus e assim alegrarmo-nos juntos”, informou a Comissão.
A Comissão disse que a preocupação e motivação em dar visibilidade ao número de casos está ligada ao cuidado com os irmãos presbíteros, em sintonia com aquilo que foi refletido no 17° Encontro Nacional de Presbíteros, em 2018, que teve como tema “Presbítero: discípulo do Senhor, Pastor do Rebanho” e o lema “Cuidai de vós mesmos e de todo o Rebanho, pois o Espirito Santo vos constitui como guardiães” (Atos 20,28).
“Este é um tempo de cuidar e nada mais justo do que cuidar dos cuidadores. Por isso, a CNP deseja saber como os presbíteros do Brasil estão se cuidando e, ao mesmo tempo, incentiva a todos para que cuidem bem de sua saúde física e psíquica para que possam continuar a sua missão de cuidadores”, afirmou a presidência da Comissão.
Confira, aqui, a tabela disponibilizada pela CNP.
Fonte: CNBB

PAPA REZARÁ O TERÇO PARA PEDIR A INTERCESSÃO DE MARIA NO ENFRENTAMENTO DA PANDEMIA




Papa rezará o terço para pedir a intercessão de Maria no enfrentamento da pandemia
No encerramento do mês mariano, como é tradição, o Papa rezará o terço nos Jardins Vaticanos às 17h30 (12h30 em Brasília),hoje, sábado, dia 30 de maio. Mas, desta vez, o evento será transmitido em streaming, com comentários em português, diretamente da Gruta de Lourdes. A duração prevista é de uma hora.
Os fiéis rezarão para pedir o auxílio e o consolo de Nossa Senhora para enfrentar a pandemia do coronavírus, inspirados pelo trecho dos Atos dos Apóstolos 1,14.
As dezenas serão rezadas por homens e mulheres representando as várias realidades tocadas pelo vírus: um médico, uma enfermeira, um paciente curado, uma pessoa que perdeu um familiar, um sacerdote, um capelão hospitalar, um farmacêutico, uma freira enfermeira, um representante da Defesa Civil, uma família cujo filho nasceu em meio à pandemia.

Adesão dos santuários

A iniciativa é do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização. O presidente, dom Rino Fisichella, escreve:
“Aos pés de Maria, o Papa Francisco depositará as aflições e as dores da humanidade, ulteriormente agravadas pela difusão da Covid-19.”
Para o arcebispo, trata-se de mais um “sinal de proximidade e de consolação para aqueles que, de algum modo, foram atingidos pelo vírus, na certeza de que a Mãe Celeste não desatende os pedidos de proteção”.
Santuários dos cinco continentes já deram sua adesão: Lourdes, Pompeia, Fátima, Częstochowa. Na América Latina, Guadalupe e Luján, entre outros. No Brasil, o Santuário de Aparecida confirmou sua participação.
O evento poderá ser seguido através do site e das redes sociais do Vatican News e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB): @cnbbnacional.

Com informações da Bianca Fraccalvieri – Cidade do Vaticano

CNBB PARTICIPA DO LANÇAMENTO DA MARCHA PELA VIDA, A SER REALIZADA NO PRÓXIMO DIA 9 DE JUNHO



CNBB participa do lançamento da Marcha pela Vida, a ser realizada no próximo dia 9 de junho
Um conjunto de entidades da sociedade brasileira, entre as quais a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), lançou ontem às 10h, de forma virtual, a Frente Pela Vida. As entidades estão se unindo para propor ações efetivas e uma resposta à pandemia do novo coronavírus que atingiu, no Brasil, a marca de 25 mil mortes oficiais decorrentes da Covid-19. O primeiro ato confirmado do movimento será a Marcha pela Vida, que acontecerá virtualmente no dia 9 de junho.
Assessor político da CNBB, padre Paulo Renato. Foto: Comunicação CNBB
O padre Paulo Renato, assessor político da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), participou do lançamento representando a entidade. O religioso afirmou que historicamente a CNBB sempre defendeu a vida e se colocou ao lado dos princípios democráticos e que, portanto, participar desta nova “Marcha pela Vida” é algo natural na trajetória da organização. O que baliza a participação da CNBB, reforçou o padre Paulo Renato, é o Evangelho sintetizado em João 10: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância”.
O ponto de partida do movimento origina-se na redação do “Pacto pela Vida e pelo Brasil” (conheça a íntegra do documento anexo abaixo), lançado em 7 de abril pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Academia Brasileira de Ciências (ABC), CNBB, Comissão Arns e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e endossado por mais de 100 entidades. Se, à data do documento, já era apontada a necessidade de colaboração estreita entre sociedade civil e classe política, entre agentes econômicos, pesquisadores e empreendedores na conjugação de esforços para uma resposta à Covid-19, o agravamento das crises sanitária e econômica aponta que somente um amplo diálogo pode levar à resolução de lacunas que ainda se impõem e à mitigação de diversas vulnerabilidades expostas pela pandemia.
“Esse é o momento de convocar toda a sociedade brasileira para se somar à defesa da vida. Precisamos de caminhos para impedir que o número de mortes aumente ainda mais; e esse caminho deve ser orientado pela ciência e pelo fortalecimento do SUS. Temos que valorizar os pesquisadores brasileiros, que têm dado importantes contribuições no enfrentamento da pandemia. Precisamos de muita solidariedade, principalmente para aqueles que vivem em situações de vulnerabilidade. Mais do que tudo, precisamos defender a democracia para garantir as condições dignas para todas e todos os brasileiros” ressalta Gulnar Azevedo e Silva, presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).
A Marcha pela Vida concentrará diversas manifestações virtuais da manhã à noite do dia 9 de junho, apontando a necessidade de ações coordenadas e em diálogo com a sociedade civil para uma resposta científica e humana à pandemia. Além desse primeiro dia de atividades, a Frente Pela Vida irá elaborar documentos e posicionamentos coletivos que apontem caminhos para a produção e promoção de políticas públicas, coerentes e necessárias ao momento da epidemia no país.
Participaram do lançamento da Frente, em ordem alfabética, representantes das respectivas entidades: Dirceu Greco, presidente da Sociedade Brasileira de Bioética (SBB); Fernando Pigatto, presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS); João Carlos Salles, presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes); Gulnar Azevedo, presidente da Abrasco; Ildeu Moreira, presidente da SBPC; Lucia Souto, presidente do Centro Brasileiro de Estudos da Saúde (CEBES), padre Paulo Renato, assessor político da CNBB; Paulo Jerônimo de Sousa, o “Pagê”, presidente da ABI; Tulio Franco, presidente da Rede Unida, além de representantes de demais entidades.
Conheça o Pacto pela Vida e Pelo Brasil:

COMUNIDADES EUDISTAS NO BRASIL COROAM NOSSA SENHORA





Dentro das comemorações do mês de maio em honra a Nossa Senhora, os padres eudistas de Fortaleza, no Ceará, na Casa de Formação, no bairro Luciano Cavalcante, e de Salvador, na Bahia, no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, celebraram ontem  missas e fizerem  a coroação  da imagem da Mãe de Deus, com a participação dos seus sacerdotes e de seminaristas, com transmissão pelas redes sociais, o que agradou muito aos seus paroquianos.

EVANGELHO DO DIA


 João 21, 2025


+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 21,20-25

Naquele tempo: 20Pedro virou-se e viu atrás de si aquele outro discípulo que Jesus amava, o mesmo que se reclinara
sobre o peito de Jesus durante a ceia e lhe perguntara: 'Senhor, quem é que te vai entregar?' 21Quando Pedro viu aquele discípulo,
perguntou a Jesus: 'Senhor, o que vai ser deste?' 22Jesus respondeu: 'Se eu quero que ele permaneça até que eu venha,
o que te importa isso? Tu, segue-me!' 23Então, correu entre os discípulos a notícia de que aquele discípulo não morreria. Jesus não disse que ele não morreria, mas apenas: 'Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?' 24Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e que as escreveu;
e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. 25Jesus fez ainda muitas outras coisas, mas, se fossem escritas todas, penso que não caberiam no mundo os livros que deveriam ser escritos.
Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


30 DE MAIO DE 2020

SÁBADO DA 7ª SEMANA DA

PÁSCOA

Cor Branco

1ª. Leitura – At 28, 16-20.30-31


Leitura dos Atos dos Apóstolos 28,16-20.30-31

16Quando entramos em Roma, Paulo recebeu permissão para morar em casa particular, com um soldado que o vigiava.
17
Três dias depois, Paulo convocou os líderes dos judeus.
Quando estavam reunidos, falou-lhes: 'Irmãos, eu não fiz nada contra o nosso povo, nem contra as tradições de nossos antepassados. No entanto, vim de Jerusalém como prisioneiro
e, assim, fui entregue às mãos dos romanos. 18Interrogado por eles no tribunal e não havendo nada em mim que merecesse a morte, eles queriam me soltar. 19Mas os judeus se opuseram
e eu fui obrigado a apelar para César, sem nenhuma intenção de acusar minha nação. 20É, por isso, que eu pedi para ver-vos e falar-vos, pois estou carregando estas algemas exatamente por causa da esperança de Israel.' 30Paulo morou dois anos numa casa alugada. Ele recebia todos os que o procuravam, 31pregando o Reino de Deus. Com toda a coragem e sem obstáculos, ele ensinava as coisas que se referiam ao Senhor Jesus Cristo.Palavra do Senhor.

Reflexão – “temos medo da prisão e das algemas de Deus”

O próprio Espírito Santo conduzira Paulo para ser prisioneiro em Roma porque anunciara a esperança para o povo de Israel. Ele agora conversava com os líderes dos judeus que o acusavam e não queriam acolher a sua mensagem, dizendo: eu pedi para ver-vos e falar-vos, pois estou carregando estas algemas exatamente por causa da esperança de Israel.'
Parece até uma incoerência você ser preso por lutar pela vida dos seus algozes! Mas no reino de Deus as coisas são diferentes do que vemos aqui no reino dos homens. Por isso, Paulo não desistia e sabia que era esta a sua missão e o seu chamado. Ele poderia ter negado sua fidelidade ao Evangelho e exonerar-se diante das acusações ou ter se defendido, lavado as suas mãos já que os judeus rejeitavam a libertação que Jesus viera propor, porém, “com toda a coragem ele ensinava as coisas que se referiam ao Senhor Jesus Cristo!” Paulo lutou até o fim, cumpriu a sua missão. E nós? A nossa casa e a nossa família são também como o povo de Israel, onde precisamos falar de Jesus e dar testemunha de uma vida renovada. Todavia, nem sempre  somos acolhidos (as) e muitas vezes somos até perseguidos (as) e discriminados (as).  Será que temos desistido dos nossos encargos por causa disso? Na maioria dos casos facilmente lavamos as mãos e nos omitimos com medo das implicações que podem advir com a nossa insistência. Preferimos agradar a todos entrando no ritmo do mundo como os demais. Temos medo da “prisão e das algemas de Deus” que nos envia a ensinar na nossa casa e por onde andamos as coisas que se referem ao Senhor Jesus Cristo. As algemas de Deus para nós são em vista de nova perspectiva  para o nosso povo, portanto as nossas dificuldades e lutas são sinais de esperança. – Em algum momento da sua vida você  sentiu-se “prisioneiro (a)” de Deus?    - Você tem anunciado a esperança para a sua casa? – Você tem feito isto, ou tem desistido diante do aparente fracasso? – Em que consiste a sua esperança?

Salmo 10, 4. 5.7 (R. Cf. 7b)

R. Ó Senhor, quem tem reto coração há de ver a vossa face.
 Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

4Deus está no templo santo, * e no céu tem o seu trono; volta os olhos para o mundo, * seu olhar penetra os homens. R. 
5
Examina o justo e o ímpio, * e detesta o que ama o mal. 
7
Porque justo é nosso Deus, o Senhor ama a justiça.* Quem tem reto coração há de ver a sua face. R.

Reflexão - O salmo confirma justamente o agir coerente de Paulo: “quem tem reto coração há de ver a vossa face”. Nós vivemos aqui, mas temos a nossa esperança posta na vida eterna. Ter reto coração é ser coerente com a proposta de vida nova que Jesus veio nos dar e não se distanciar do olhar do Senhor que está voltado para nós.

Evangelho – Jo 21, 2025


+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 21,20-25

Naquele tempo: 20Pedro virou-se e viu atrás de si aquele outro discípulo que Jesus amava, o mesmo que se reclinara
sobre o peito de Jesus durante a ceia e lhe perguntara: 'Senhor, quem é que te vai entregar?' 21Quando Pedro viu aquele discípulo,
perguntou a Jesus: 'Senhor, o que vai ser deste?' 22Jesus respondeu: 'Se eu quero que ele permaneça até que eu venha,
o que te importa isso? Tu, segue-me!' 23Então, correu entre os discípulos a notícia de que aquele discípulo não morreria. Jesus não disse que ele não morreria, mas apenas: 'Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?' 24Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e que as escreveu;
e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. 25Jesus fez ainda muitas outras coisas, mas, se fossem escritas todas, penso que não caberiam no mundo os livros que deveriam ser escritos.
Palavra da Salvação.

Reflexão – “A nossa história é única!”

Refletindo sobre o chamado de Pedro neste Evangelho nós constatamos e percebemos que para cada um de nós o Senhor tem um desígnio diferente. A nossa história é única e difere da de todo o mundo, porque somos únicos e cada um de nós tem um chamado pessoal. Pedro queria saber de Jesus o que iria acontecer a João e dava sinais de dúvidas em relação ao discípulo que Jesus amava. Jesus, no entanto, não lhe correspondeu à sua curiosidade, e disse: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que te importa isso? Tu segue-me!”  Não precisamos nos importar com aquelas pessoas que ainda resistem em nos acompanhar, pois o Senhor tem uma hora destinada a cada um. O plano de Deus para nós é perfeito e tem um sentido definido e uma marca singular, portanto, ao invés de nos preocupar com o projeto de Deus para as outras pessoas   devemos estar atentos à voz de Jesus que nos diz, pessoalmente, “Tu, segue-me!” É importante que permaneçamos quietos (as) e abandonados (as) às sugestões do Espírito que perscruta o nosso coração e sabe precisamente de tudo o que necessitamos. Devemos nos alegrar quando o Senhor nos chamar particularmente, pois assim conheceremos que a vontade de Deus está se cumprindo em nós.  

- Por que nos preocupamos com a caminhada dos outros? 
– Por que não aceitamos a nossa missão sem deixar de fiscalizar a missão das outras pessoas?
 – Você está seguro (a) de que tem feito o que lhe cabe?
 – Como você vê as outras pessoas que não estão fazendo igual a você? 
– Você se acha superior a elas?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho


SANTO DO DIA - JOANA D'ARC

Joana d’Arc nasceu na França no ano de 1412. Tinha 13 anos quando começou a ter experiências místicas, ouvindo as “vozes” de São Miguel, Santa Margarida e Santa Catarina que lhe mandaram salvar a França.
No ano de 1429, Joana partiu com uma expedição com o propósito de salvar a cidade de Orleans, carregando uma bandeira com os nomes de Jesus e de Maria, além de uma imagem do Pai Eterno. Em maio de 1429, ela expulsou os ingleses de Orleans. Após as lutas, a cidade foi recuperada e Joana cumpriu o que lhe foi confiado, seguindo uma carreira cheia de triunfos militares.
Anos mais tarde, ela foi aprisionada pelos ingleses. Esses a fecharam numa jaula de ferro, na cidade de Ruão.Julgada por uma centena de prelados e teólogos que a consideraram mentirosa, exploradora do povo, blasfemadora de Deus, idólatra, invocadora de diabos e herege, eles decidiram queimá-la viva.
Presa em um poste, ela apertava uma cruz sobre o coração, desse modo, invocava o nome de Jesus Cristo e as suas “vozes”. O poste caiu nas chamas, mas mesmo assim, a ouviram gritar seis vezes “Jesus”. Os ingleses lançaram as cinzas dela no rio Sena.
Sem derramar uma só gota de sangue, Santa Joana manteve-se sempre em oração. Com um exército de cinco mil soldados, até então sempre abatidos, a santa estabeleceu uma série de vitórias.
Em 1909 foi beatificada por São Pio X e, no ano de 1920, foi canonizada pelo Papa Bento XV.
Santa Joana d’Arc, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

sexta-feira, 29 de maio de 2020

SOLENIDADE DE PENTECOSTES: BAIXE O ROTEIRO PARA A CELEBRAÇÃO EM FAMÍLIA



Solenidade de Pentecostes: baixe o roteiro para a celebração em família
Está disponível para download o roteiro para celebração em família da Solenidade de Pentecostes, oferecido pela Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). No próximo domingo, 31 de maio, as famílias poderão, mais uma vez, celebrar em casa o Dia do Senhor, uma vez que muitas dioceses ainda sofrem restrições às celebrações com a presença dos fiéis por conta da pandemia do novo coronavírus.
Acolhendo a orientação das autoridades civis e sanitárias, nossos bispos no Brasil continuam a insistir e a orientar os fiéis a permanecerem em suas casas, evitando aglomeração de pessoas e, consequentemente, não participando das celebrações eucarísticas. Desta forma, somos convidados a CELEBRAR o Dia do Senhor como Igreja doméstica, com nossos familiares, em nossas casas“, motiva a Comissão para a Liturgia da CNBB.
O incentivo da Comissão é que, mesmo com as transmissões de missas nos canais de TV e nas redes sociais, seja vivida a “dignidade de povo sacerdotal que nosso batismo nos conferiu” e, assim, “podemos não só acompanhar, mas CELEBRAR com nossas famílias o Dia do Senhor”.
O roteiro possui orientações para a celebração, orações, a primeira leitura, o salmo, a sequência, o Evangelho, preces e sugestões de cantos com links para as melodias.