sábado, 18 de novembro de 2017

PARÓQUIA SÃO JOÃO EUDES PROMOVE ALMOÇO PARA OS MAIS CARENTES DE SUAS COMUNIDADES



Atendendo apelo formulado pelo papa Francisco, que instituiu o “Dia Mundial dos Pobres”, que acontecerá amanhã, dia 19 de novembro, a Paróquia São João Eudes, realizou, na manhã de hoje, na Capela Nossa Senhora da Libertação, um almoço para mais de uma centena de pessoas carentes de suas Comunidades, tendo à frente a Pastoral da Caridade, informou uma das organizadoras, Ana Maria Pinheiro, da Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.



O evento contou com a participação de todas as pastorais, que recebeu a ajuda de casas comerciais e restaurantes, como a Shopping Pizza, que preparou o almoço, e paroquianos, que ajudaram na organização da festa e ofereceram brindes, que foram sorteados aos presentes. A festa terminou por volta das 13 horas.

A manhã festiva foi aberta pelo pároco Luís Gabriel. Em seguida, o padre Juan Carlos fez uma oração e houve adoração ao Santíssimo. Depois, muito louvor, com o padre Juan Carlos cantando músicas católicas e foi iniciado o almoço e sorteio de brindes.



"I AVIVA POVO DE DEUS"



O Instituto Hesed realiza, hoje, dia 18, e amanhã,  19 de novembro de 2017, no Instituto Hesed (localizado na Av. Dionísio Leonel Alencar, nº 1443, no bairro Parque Santa Maria, em Fortaleza – CE o  “I Aviva Povo de Deus”.
Programação:
  • Dia 18 de Novembro
Manhã
8h – Orações dirigidas pela Ir. Kelly Patrícia.
Pregação – Ir. Luís Maria.
Pregação – Moisés Rocha.
Tarde
Pregação – Moisés Rocha.
Santa Missa de cura e libertação presidida pelo Padre Vanilson – Exorcista.
Adoração
Pregação – Moisés Rocha.
Show da Ir. Kelly Patrícia.
Show do Colo de Deus.
  •  Dia 19 de Novembro
Manhã
8h30min – Orações dirigidas pela Ir. Kelly Patrícia.
Pregação – Ir. Luís Maria.
Pregação – Pe. Monteiro.
Tarde
Pregação – Ir. Maria Raquel.
Adoração – por cura e libertação.
Terço da Misericórdia cantado com Benção do Santíssimo.
Show da Ir. Kelly Patrícia.
17h30min – Missa presidida pelo Padre Monteiro.
Ingressos à venda na Livraria Imaculada.
Informações pelos telefones (85) 999210161 / 32745767.

DECRETOS E PROVISÕES - OUTUBRO 2017



Autorização de Santa Reserva Eucarística para diversas capelas da Paróquia Nossa Senhora da Penha – Sucatinga 02 10 17
CELEBRET para Pe. Lucivaldo Soares da Silva, OSB – Dom Lucas em viagem. 05 10 17
CELEBRET para Pe. Francisco Ivan de Sousa em viagem. 05 10 17
CELEBRET para Fr. Jesús Maria López Mauleón, OAR em viagem. 05 10 17
Uso de Ordem na Arquidiocese de Fortaleza para Pe. Tarso Braga Brasil – da Arquidiocese de Palmas TO na Comunidade Católica Shalom em Fortaleza. 05 10 17
CELEBRET para Pe. Tarso Braga Brasil em viagem. 30 10 17

ROUBAM SACRÁRIO COM HÓSTIAS CONSAGRADAS EM IGREJA DA ARQUIDIOCESE DE VITÓRIA [FOTOS]


VITORIA, 17 Nov. 17 / 03:00 pm (ACI).- No dia 15 de novembro, desconhecidos roubaram o sacrário com hóstias consagradas da Igreja Sagrado Coração de Jesus, na cidade de Cariacica (ES).
Jovercino Alves, diácono permanente da Arquidiocese de Vitória, em cujo território se encontra o templo, indicou à rede Globo que o fiéis perceberam este crime na quarta-feira à tarde.
“Uma senhora da nossa comunidade foi até a igreja hoje de manhã para capinar e saiu por volta de meio-dia. Acreditamos que o ladrão entrou lá depois disso, porque foi só à tarde que fomos avisados do crime", explicou.
Alves disse ao jornal ‘Gazeta Online’ que ninguém viu os criminosos e que eles arrobaram o portão de ferro que protegia o templo.
Ele indicou que, além do sacrário, os criminosos também roubaram a aparelhagem de som.
Em sua conta no Facebook, Jovercino Alves publicou as fotografias do assalto e pediu que “Deus tenha misericórdia daqueles que ultrajam a casa e o Corpo do Senhor. Estamos vivendo o final dos tempos”.
O diácono manifestou à ‘Gazeta Online’ que o roubo impressionou os fiéis porque “o sacrário é o coração da comunidade e da igreja. E isso envolve toda a nossa espiritualidade. Os bens materiais serão recuperados depois, mas levaram o corpo de Jesus Cristo”.
“Acredito que acharam que o sacrário era de ouro, pois tem essa cor amarelada, mas na verdade é latão. No mercado, isso não tem muito valor, mas para nós, da comunidade católica, tem muito! Lá é onde ficam as hóstias consagradas, o corpo de Deus, e isso foi totalmente ignorado por quem roubou”, disse Alves à Globo.
Por outro lado, o diácono disse que os fiéis estavam juntando dinheiro para construir um muro ao redor do templo, porque “esta é a segunda vez que a igreja é furtada”.
Atualmente, a polícia local está realizando uma investigação para encontrar os responsáveis pelo roubo.

Fonte: ACI Digital

EVANGELHO DO DIA


Lucas 18,1-8

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas. Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, 1Jesus contou aos discípulos uma parábola, para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre, e nunca desistir, dizendo: 2“Numa cidade havia um juiz que não temia a Deus, e não respeitava homem algum. 3Na mesma cidade havia uma viúva, que vinha à procura do juiz, pedindo: ‘Faze-me justiça contra o meu adversário!’ 4Durante muito tempo, o juiz se recusou. Por fim, ele pensou: ‘Eu não temo a Deus, e não respeito homem algum. 5Mas esta viúva já me está aborrecendo. Vou fazer-lhe justiça, para que ela não venha agredir-me!’” 6E o Senhor acrescentou: “Escutai o que diz este juiz injusto. 7E Deus, não fará justiça aos seus escolhidos, que dia e noite gritam por ele? Será que vai fazê-los esperar? 8Eu vos digo que Deus lhes fará justiça bem depressa. Mas o Filho do homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?”.— Palavra da Salvação.

Ou (escolhe-se um dos Evangelhos)
Evangelho (Mt 14,22-33)
Depois que a multidão comera fartamente, 22Jesus mandou que os discípulos entrassem na barca e seguissem, à sua frente, para o outro lado do mar, enquanto ele despediria as multidões. 23Depois de despedi-las, Jesus subiu ao monte, para orar a sós. A noite chegou, e Jesus continuava ali, sozinho. 24A barca, porém, já longe da terra era agitada pelas ondas, pois o vento era contrário. 25Pelas três horas da manhã, Jesus veio até os discípulos, andando sobre o mar. 26Quando os discípulos o avistaram, andando sobre o mar, ficaram apavorados, e disseram: “É um fantasma”. E gritaram de medo. 27Jesus, porém, logo lhes disse: “Coragem! Sou eu. Não tenhais medo!” 28Então Pedro lhe disse: “Senhor, se és tu, manda-me ir ao teu encontro, caminhando sobre a água.” 29E Jesus respondeu: “Vem!” Pedro desceu da barca e começou a andar sobre a água, em direção a Jesus. 30Mas, quando sentiu o vento, ficou com medo e começando a afundar, gritou: “Senhor, salva-me!” 31Jesus logo estendeu a mão, segurou Pedro, e lhe disse: “Homem fraco na fé, por que duvidaste?” 32Assim que subiram na barca, o vento se acalmou. 33Os que estavam na barca, prostraram-se diante dele, dizendo: “Verdadeiramente, tu és o Filho de Deus!”
Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE

18 /11/ 2017 - Sábado da 32ª Semana do Tempo Comum –

1ª Leitura - Sb 18,14-16; 19,6-9 - " faça-se" e, tudo foi criado "

A palavra de Deus é poderosa e, por Ela, o Senhor realiza os Seus desígnios e a Sua vontade. Nesta leitura o autor nos recorda as maravilhas e os prodígios de Deus em todos os tempos e revela como Ele liberta o Seu povo oprimido, em qualquer situação que esteja. Assim foi o que aconteceu na criação do mundo, quando o verbo de Deus do alto céu, determinou com uma única expressão, "faça-se" e, tudo foi criado. Da mesma forma aconteceu na libertação do povo de Israel, retirado da escravidão do Egito e, levado ao deserto, em busca da terra prometida. A uma simples ordem do Senhor, o mar Vermelho se abriu e tornou-se caminho desimpedido para que passassem por ele aqueles a quem Deus queria salvar. Esses prodígios continuam acontecendo hoje na nossa vida, na nossa caminhada diária em busca da felicidade, quando nos deparamos com os mais diversos obstáculos e dificuldades. A nossa confiança e a perseverança da nossa fé nas promessas de Deus para nós, serão como um apoio para que não desanimemos no meio do caminho. Por causa da nossa humanidade fragilizada e descrente, todos nós temos a tendência a nos desesperar quando "a noite" chega, trazendo intranquilidade e, na maioria das vezes, nos esquecemos de que o Senhor em outras ocasiões passadas, nos sustentou e protegeu providenciando o socorro para as nossas aflições. Não podemos perder de vista e olvidar os feitos de Deus, quando Ele também, abriu para nós o mar vermelho ou providenciou o pão para o nosso alimento, quando nos tirou das enrascadas em que nos colocamos e, principalmente, quando, com o Seu amor misericordioso, nos concedeu o perdão e, novamente, nos restaurou concedendo-nos vida nova. Todas estas considerações devem estar bem vivas na nossa lembrança e para nos conscientizar de que Deus é o autor da nossa vida e o sustentador da nossa existência. - Você guarda vivos na sua lembrança os milagres que o Senhor já realizou na sua vida? - Ele já abriu o "mar vermelho" para que você pudesse passar por alguma dificuldade? - A Palavra de Deus tem sido eficaz para o seu crescimento espiritual e também, humano?
- Você tem propagado os feitos do Senhor na sua vida?

Salmo - Sl 104 (105),2-3. 36-37. 42-43 (R. 5a)
R. Lembrai sempre as maravilhas do Senhor!
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

Nós também podemos lembrar as maravilhas do Senhor quando cantamos a Ele o nosso louvor ou propagamos o Seu amor dando testemunho ao mundo da Sua santidade. Recordar as maravilhas do Senhor na nossa vida é também dar a Ele glórias e ofertar de coração, os nossos dons e a nossa capacidade de amar e de servi-Lo. O Senhor nos liberta a cada dia e nos livra de perigos que, às vezes, nem nós próprios temos consciência. Portanto, não precisamos "ver" os milagres acontecerem para reconhecer que o Senhor nos sustenta. A nossa existência já é um prodígio que
nos faz louvar a Deus com gratidão.

Evangelho - Lucas 18,1-8 - “perseverança na oração”


Sabemos que somos impotentes, mas podemos desejar coisas impossíveis, porque confiamos na justiça de Deus. Por isso, a persistência das nossas reivindicações nos torna firmes e nos faz ter convicção e fé na promessa de Jesus de que tudo quanto pedirmos ao Pai, em Seu nome será atendido. Quem não persevera na oração com fé nunca poderá ser atendido nos seus pedidos e desejos. A perseverança da nossa oração revela a nossa humildade diante de Deus e faz com que sejamos fiéis ao que nos propomos. Do contrário, demonstramos orgulho e prepotência quando, porque ainda não fomos atendidos (as), desistimos dos nossos desejos e anseios e damos prova de que não temos fé nas promessas divinas. Deus sabe o tempo e a hora de nos dar aquilo que suplicamos, porém, a nossa firmeza e persistência será uma prova de que realmente o nosso coração anseia ardentemente por aquilo que pleiteamos. Ele faz justiça aos seus escolhidos, e, se assim nos consideramos, precisamos dar o nosso testemunho para que a chama da fé não se apague no coração da humanidade. – O que você tem pedido a Deus é realmente o que o seu coração anseia? – Será que você tem convicção da necessidade das suas reivindicações? – Você seria capaz de continuar pedindo por isso a vida toda? - Você confia nas promessas de Deus para a sua vida e a da sua família?

Helena Serpa, 
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - BEATOS DOMINGOS JORGE, ISABEL FERNANDES E INÁCIO


Domingos Jorge nasceu em Vermoim da Maia, perto do Porto (Portugal). Muito jovem, partiu para a Índia, onde combateu pela fé e pela Pátria. Aventureiro por natureza, empreendeu viagem para o Japão, onde nesse tempo reinava perseguição furiosa. Todos os missionários eram mortos, e mortos também todos aqueles que os acolhessem em suas casas. Apesar de todos os riscos, não quiseram os missionários estrangeiros abandonar para os instruir, animar e lhes administrar os sacramentos.
Domingos Jorge, membro da Companhia do Rosário, casou com uma jovem japonesa, à qual o missionário português, Padre Pedro Gomes, oito dias após o nascimento, deu o nome de Isabel Fernandes. Vivia este casal modelo no amor de Deus, na paz e na felicidade, perto da cidade de Nagazáki. Por bondade e piedade, receberam em sua casa dois missionários jesuítas e, naquela noite (era o dia da festa de Santa Luzia), o governador de Nagasáki ordenou que fossem presos os dois missionários juntamente com Domingos Jorge. Após um ano de prisão, foram condenados à morte. Domingos Jorge, após escutar a sentença, pronunciou estas palavras: “Mais aprecio eu esta sentença do que me fizessem Senhor de todo o Japão”.
Era o ano de 1619. Domingos Jorge foi amarrado ao poste no chamado “Monte Santo” de Nagasáki, onde tantos cristãos deram a vida por Deus, e, ali, juntamente com outros mártires rezando a oração do Credo, Domingos Jorge foi queimado vivo.
Passados três anos, na manhã de 10 de novembro de 1622, o “Monte Santo” de Nagasáki, regado com o sangue de tantas centenas de cristãos, apresentava um aspecto solene e comovedor. Ali se apinhavam mais de 30.000 pessoas para assistirem ao Grande Martírio, isto é, à morte de 56 filhos da Santa Igreja Católica. Entre eles, encontravam-se Isabel Fernandes, de uns 25 anos de idade, viúva do Beato Domingos Jorge, e seu filhinho Inácio, de quatro anos. Os mártires foram divididos em dois grupos: 24 religiosos de várias Ordens, condenados a morrer a fogo lento; os outros 32 eram constituídos por 14 mulheres e 18 homens (a maioria deste segundo grupo recebeu como condenação serem decapitados). Isabel Fernandes, antes de ser degolada juntamente com seu filhinho Inácio, exclamou: “De todo o coração ofereço a Deus as duas coisas mais preciosas que possuo no mundo: a minha vida e a do meu filhinho”.
Domingos Jorge, com a esposa Isabel Fernandes e o filho Inácio, foram beatificados pelo Papa Pio IX em julho de 1867.
Beatos Domingos Jorge, Isabel Fernandes e Inácio, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

PADRE JORGE HERMES CHEGA PARA PREGAR NO SANTO INÁCIO



O padre Jorge Hermes desceu nesta tarde, dia 17 de novembro de 2017, no Aeroporto Internacional Pinto Martins, vindo de Santa Catarina, para pregar neste fim de semana, no Colégio Santo Inácio, atendendo a convite da Comunidade Grão de Trigo.

Mais detalhes no vídeo acima.


PAPA FRANCISCO À COP23: "AGIR LIVRES DE PRESSÕES POLÍTICAS E ECONÔMICAS"


Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco ofereceu nesta quinta-feira (16/11) uma nova demonstração de que a ecologia integral – a interação harmônica dos povos com a nossa Casa Comum –  está no centro de seu Pontificado. E o fez na presença de líderes e representantes de todos os países do mundo.
 
A palavra de Francisco chegou à Conferência sobre Mudanças Climáticas, em andamento em Bonn, na Alemanha, por meio de uma mensagem enviada ao Primeiro Ministro das Ilhas Fiji, Frank Bainimarama, que preside a 23ª sessão da COP23, que termina sexta-feira (17/11).
O Papa começa enaltecendo os esforços e resultados obtidos na COP21 de 2015, em Paris: um modelo de desenvolvimento econômico de baixo consumo de carvão que encoraja a solidariedadeatendendo as necessidades também das populações mais vulneráveis.
“Agora, em Bonn, vocês estão definindo e construindo regras e mecanismos para que aquele Acordo contribua para alcançar os objetivos propostos. É preciso manter alta a vontade de colaboração”, frisa o Papa, que adverte:
“Devemos evitar quatro atitudes perversas: negação, indiferença, acomodação e confiança em soluções inadequadas”.
Para o Papa, “soluções técnicas são necessárias, mas insuficientes: é essencial levar em consideração também os aspectos e impactos éticos e sociais do novo paradigma de desenvolvimento a breve, médio e longo prazo”.
Francisco invoca novamente educação e estilos de vida voltados para uma ecologia integral,uma ação sem demora e livre de pressões políticas e econômicas, e uma consciência responsável em relação à nossa Casa Comum e a contribuição de todos.
Saudando os participantes do evento, o Papa faz votos que seus trabalhos sejam animados pelo mesmo espírito colaborativo e propositivo manifestado durante a COP-21: “Isto permitirá acelerar a conscientização e a adoção de decisões eficientes para contrastar o fenômeno das mudanças climáticas e ao mesmo tempo, combater a pobreza e promover o verdadeiro desenvolvimento humano integral”. (from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

PAPA FRANCISCO: DOENTE NUNCA DEVE SER ABANDONADO, EUTANÁSIA É SEMPRE ILÍCITA



Cidade do Vaticano (RV) – Com a consciência dos sucessos alcançados pela medicina no campo terapêutico e do quanto “as intervenções no corpo humano tornam-se sempre mais eficazes, mas nem sempre resolutivas”, o Papa Francisco destaca a necessidade de “um suplemento de sabedoria, porque hoje é mais insidiosa a tentação de insistir com tratamentos que produzem efeitos poderosos sobre o corpo, mas sem visar o bem integral da pessoa”.
 
Na carta endereçada a Dom Vincenzo Paglia e aos participantes do Encontro Regional Europeu da World Medical Association, e citando a Declaração sobre a eutanásia de 5 de maio de 1980, o Santo Padre recorda o quanto seja “moralmente lícito renunciar à aplicação de meios terapêuticos, ou suspendê-los, quando o seu emprego não corresponde àquele critério ético e humanista que será mais tarde após definido “proporcionalidade dos tratamentos”.
Uma escolha – prossegue o Papa – que assume responsavelmente o limite da condição humana mortal, no momento em que reconhece não mais poder contrastá-lo”, “sem abrir justificativas à supressão do viver”.
Uma ação, portanto, “que tem um significado ético completamente diferente da eutanásia, que permanece sempre ilícita, enquanto se propõe interromper a vida, buscando a morte”.
Para um atento discernimento – explica de fato Francisco – três são os aspectos a serem considerados:
O objeto moral, as circunstâncias e as intenções dos sujeitos envolvidos. A dimensão pessoal e relacional da vida – e do próprio morrer, que é sempre um momento extremo do viver – deve ter, no cuidado e no acompanhamento do doente, um espaço adequado à dignidade de ser humano.
Neste percurso – sublinha Francisco – “a pessoa doente assume o papel principal. Diz isto com clareza o Catecismo da Igreja Católica: “As decisões devem ser tomadas pelo paciente, se tem para isto a competência e a capacidade”. É antes de tudo ele que tem título, obviamente em diálogo com os médicos, de avaliar os tratamentos que lhe são propostos e julgar a sua efetiva proporcionalidade na situação concreta, tornando desejável renunciar a eles se tal proporcionalidade fosse reconhecida como ausente”.
O Papa não esconde a dificuldade da avaliação, sobretudo se consideradas as múltiplas mediações” às quais é chamado o médico: “exigidas pelo contexto tecnológico e organizativo”.
Outra preocupação do Pontífice é a desigualdade terapêutica “presente também dentro dos países mais ricos, onde o acesso aos tratamentos corre o risco de depender mais da disponibilidade econômica das pessoas do que das efetivas exigências de tratamentos”.
Disto, a necessidade de ter “em absoluta evidência o mandamento supremo da proximidade responsável” com “o imperativo categórico” “de nunca abandonar o doente”, porque – explica ainda Francisco – a relação “é o lugar em que nos é pedido amor e proximidade, mais do que qualquer outra coisa, reconhecendo o limite que nos une a todos e justamente nisto tornando-nos solidários. Cada um dê amor na forma que lhe é própria (…), mas que o dê!”.
Neste contexto de amor, com a consciência de que não se pode sempre garantir a cura e não se deve voltar inutilmente contra a morte, “se movimenta a medicina paliativa” que “assume uma grande importância também no plano cultural, empenhando-se em combater tudo aquilo que torna o morrer mais angustiante e sofrido, ou seja, a dor e a solidão”.
O Santo Padre não deixa de dirigir a atenção aos mais vulneráveis “que não podem fazer valer sozinhos os próprios interesses” e, sem esquecer “a diversidade das visões de mundo, das convicções éticas e das pertenças religiosas, em um clima de recíproca escuta e acolhida”, sublinhando que “o Estado não pode renunciar a tutelar todos os sujeitos envolvidos, defendendo a fundamental igualdade pela qual cada um é reconhecido pelo direito, como ser humano que vive com os outros em sociedade”.
Eis porque – conclui Francisco – “também a legislação no campo médico e sanitário exige” um “olhar abrangente” para que se promova “o bem comum nas situações concretas” e “em vista do bem de todos”. (JE/EC)(from Vatican Radio)
Fonte Rádio Vaticano

ARQUIDIOCESE DEFORTALEZA CELEBRA O DIA MUNDIAL DOS POBRES E LANÇARÁ A 9ª FESTA DA VIDA



Domingo, dia 19 de novembro, das 9h às 12h, no Parque Rio Branco (Av. Pontes Vieira - Tauape)
Com a publicação no dia 13 de junho, no Vaticano, da Mensagem do Papa instituindo o Dia Mundial dos Pobres, que tem como tema: «Não amemos com palavras, mas com obras», foi instituído por Francisco o Dia Mundial dos Pobres, como gesto concreto do Ano Santo extraordinário da Misericórdia, na Carta Apostólica intitulada “Misericordia et mísera”. A celebração se realizará no XXXIII Domingo do Tempo Comum, que este ano cai em 19 de novembro.

Nesse dia (19/11) a Arquidiocese de Fortaleza fará um momento de reflexão e celebração, no Parque Rio Branco, Av. Pontes Vieira - Tauape, com as pessoas e instituições que estão envolvidas no trabalho. A iniciativa pretende ajudar a “renovar o rosto da Igreja” na sua ação de conversão pastoral para que seja “testemunha da misericórdia”.


Como gesto concreto estamos organizando uma coleta de alimentos não perecíveis que serão doados à Pastoral do Migrante da Arquidiocese para partilhar com os estudantes africanos, que estão aqui em Fortaleza e passam necessidade.
Nesse mesmo dia faremos o lançamento da 9ª Festa da Vida, que é uma ação promovida pela Arquidiocese de Fortaleza com o objetivo de “tornar públicas” as atividades por ela desenvolvida em defesa da vida.
A 9ª Festa da Vida acontecerá no dia 17 de dezembro, das 10h às 16h, na Paróquia de Nossa Senhora das Dores (Praça Farias Brito – Otavio Bonfim) e tem como tema: Cuidar da criação é defender a vida!.
Caso seu veiculo de comunicação tenha interesse em fazer a cobertura do evento, colocamo-nos à disposição.
Rosélia Follmann (85) 99987-1034
Ademir Costa (85) 99994-9052
Padre Luiz Sartorel (85) 99969-9305
Cristina França (85) 98750-2708
João Augusto (85) 99922-4449
Padre Francisco Ivan (85) 99909-6875
Padre Fernando Cabral (85) 99926-9938

ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA PROMOVE OFICINAS DE COMUNICAÇÃO PARA EQUIPES DA PASCOM



Dando continuidade ao repasse do X MUTIRÃO DE COMUNICAÇÃO, realizado em agosto passado, em Joinville, Santa Catarina, o Setor de Comunicação da Arquidiocese de Fortaleza realizará no próximo dia 25 de novembro, das 8h às 12h , no Centro de Pastoral Maria, Mãe da Igreja, seis oficinas de comunicação para os integrantes da Pastoral da Comunicação(PASCOM) paroquiais. A participação é GRATUITA. Cada pessoa participará somente de uma oficina. Faça sua inscrição o mais rápido possível, pois as vagas são limitadas.

Oficinas

- Media Training e Assessoria de Imprensa Católica.

- As novas Mídias e a Evangelização e as culturas juvenis.

- Leitura Crítica dos Meios de Comunicação.

- TV e Rádio para a Educação.

- Fotografia – Uma imagem que evangeliza.

- Como criar, organizar e dinamizar a Pascom na sua paróquia.

Nesse dia (25/11) concluiremos as atividades de 2017 com o almoço de confraternização. Cada paróquia traga uma lembrancinha para o sorteio.

Convide e repasse para todos os membros de sua equipe paroquial e Região Episcopal.

Que todos(as) participantes da PASCOM possam participar desse momento formativo, de unidade e promoção da vida.

O Centro de Pastoral Maria, Mãe da Igreja fica na Avenida Dom Manuel, 339 – Centro – Fortaleza. Nesse dia, a entrada será pela Rua Rodrigues Júnior, 300.

Informações Setor de Comunicação da Arquidiocese (85) 3388.8703 com Marta Andrade (85) 99921-6742 ou Janayna Gomes (85) 98881-3788.

Com informações da Pascom da Arquidiocese de Fortaleza

AMANHÃ, O LANÇAMENTO DO LIVRO "O QUE APRENDI SOBRE A EUCARISTIA"


Acontece., amanhã, dia 18 de novembro, no Centro Comunitário da Paróquia de São Vicente de Paulo, no bairro Dionísio Torres,  o lançamento do livro “O que apendi sobre a Eucaristia” (Editora Premius) da autora Leônia Leão.

Informações pelo telefone (85) 32246489 na Secretaria Paroquial.

EVANGELHO DO DIA

Lucas 17,26-37

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 26“Como aconteceu nos dias de Noé, assim também acontecerá nos dias do Filho do Homem. 27Eles comiam, bebiam, casavam-se e se davam em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. Então chegou o dilúvio e fez morrer todos eles. 28Acontecerá como nos dias de Ló: comiam e bebiam, compravam e vendiam, plantavam e construíam. 29Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma, Deus fez chover fogo e enxofre do céu e fez morrer todos. 30O mesmo acontecerá no dia em que o Filho do Homem for revelado. 31Nesse dia, quem estiver no terraço, não desça para apanhar os bens que estão em sua casa. E quem estiver nos campos não volte para trás. 32Lembrai-vos da mulher de Ló. 33Quem procura ganhar a sua vida vai perdê-la; e quem a perde vai conservá-la. 34Eu vos digo: nessa noite, dois estarão numa cama; um será tomado e o outro será deixado. 35Duas mulheres estarão moendo juntas; uma será tomada e a outra será deixada. 36Dois homens estarão no campo; um será levado e o outro será deixado”. 37Os discípulos perguntaram: “Senhor, onde acontecerá isso?” Jesus respondeu: “Onde estiver o cadáver, aí se reunirão os abutres”.— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


17 /11/ 2017 - 6ª-feira da 32ª Semana do Tempo Comum - Sta. Isabel da Hungria

1ª Leitura - Sb 13,1-9 - “por detrás das obras criadas está o Artífice da criação”

O homem por natureza é insensato, por isso caracteriza as coisas e as pessoas criadas, apenas pela sua aparência, e, na maioria das vezes, se encanta com a beleza e com o aspecto do que lhe impressiona os olhos. Em consequência disso, ele se confunde e troca o Criador pela sua criatura. Em todos os tempos, no passado, e no presente, isso tem acontecido. Outrora, os homens tomavam como deuses os aspectos da natureza, como o vento, as estrelas, a água, o sol, a lua, o fogo e tudo quanto lhes chamava a atenção e os atraia. Assim sendo, eles esqueciam de que por detrás das obras criadas, estava o Artífice da criação, que está acima de todas as coisas e dos acontecimentos. Hoje, também, apesar de termos consciência de que Deus nos criou e que é o autor de tudo, nós nos encontramos muitas vezes, desviando o nosso olhar do Criador e nos apegando às criaturas. O que nos alicia, hoje, não é mais o que encantava ao homem dos tempos passados, mas são as descobertas do próprio homem: as invenções tecnológicas, os bens que adquirimos e que para nós se tornam motivo de felicidade; os “astros e as estrelas” e os “produtos” que a TV tenta nos vender; os ídolos na política e no futebol, enfim, o sucesso, a fama, o dinheiro, a glória diante dos homens. Hoje, tudo nos motiva a tirar os nossos olhos do Criador da beleza para nos apegarmos à própria beleza. O autor do Livro da Sabedoria nos exorta a mudar o nosso modo de ver as coisas criadas e a admirá-las como um veículo que nos leve ao Criador. Portanto, “partindo da beleza das criaturas, nós podemos chegar, por analogia, aquele que as criou” e dar glórias a quem de fato as merece. A nossa alma anseia pelo Deus vivo e atuante e quando detemos a nossa atenção apenas nas coisas estáticas, nós a entristecemos e a fazemos fenecer por inanição. A sabedoria do Criador nos é dada para que, usufruindo da Sua criação, nós possamos experimentar do Seu poder amoroso e eterno. - Você se impressiona com a beleza das coisas? - Qual é o valor relativo que você dá às coisas e às pessoas por quem se sente atraído (a)? - Existe alguém a quem você tem idolatrado a ponto de lhe desviar os olhos de Deus? - Você é uma pessoa possessiva e dependente de alguém?

Salmo - Sl 18 (19),2-3. 4-5 (R. 2a)
R. Os céus proclamam a glória do Senhor!

A primeira manifestação da glória e do poder de Deus nos é proclamada através da sua criação. Olhando para o céu, para o firmamento, para a beleza das flores e o milagre do dia e da noite, nós podemos perceber a grandiosidade de quem as criou. Partindo dessa constatação, nós nunca poderemos negar a existência de um Deus que nos criou e, maravilhosamente nos sustenta e nos protege, por meio das coisas criadas. Não precisamos de ninguém para nos falar disso nem escutar os discursos nem palavras bonitas, mas apenas pousar o nosso olhar na beleza da criação e, assim, proclamar em alto e bom som a glória do Senhor no meio dos homens.

Evangelho - Lucas 17,26-37 – “o dia do Filho do Homem”

Neste Evangelho Jesus nos alerta para que estejamos atentos e alertas aos Seus sinais e às manifestações de Deus por meio dos fatos e acontecimentos do nosso dia a dia, aos quais, muitas vezes, relegamos e os deixamos passar sem dar a devida atenção. Somos chamados (as) para participar do reino dos céus a todo instante, mas, vivemos absortos (as) nos nossos projetos e em suas realizações e nos esquecemos de que a figura desse mundo irá passar. Erroneamente imaginamos que podemos dar um jeito na nossa vida e, que, na hora H nós conseguiremos fugir de Deus. Queremos ser independentes e fazer da nossa existência o que a nossa vontade nos apontar. Entretanto, Jesus vem nos ensinar a estar vigilantes porque o reino de Deus acontece em nós a qualquer momento e quem estiver de prontidão, de coração aberto, conseguirá alcançá-lo. Cada um de nós tem o seu dia e a sua hora e as coisas não acontecem em série, nem igualmente para todos, como se fôssemos marcados para o mesmo momento. As nossas ações, o nosso objetivo, o nosso ideal, nortearão o nosso futuro. “Quem procura ganhar a sua vida vai perdê-la; e quem a perde, vai conservá-la”. Não podemos fazer justiça com as nossas próprias mãos, nem são os nossos méritos que nos darão a salvação, porém as nossas atitudes, quanto mais forem elas, atos de amor, de confiança e de entrega à vontade Deus, mais estaremos perto de alcançar o nosso sonho, que é a vida nova que Jesus veio nos presentear. O Senhor pode chegar a qualquer momento, e, vivos ou mortos, a Ele pertencemos, portanto, estejamos atentos (as) aos Seus sinais. - Você tem o coração vigilante para que aconteça o que o Senhor quiser? – Você se acha uma pessoa boa, merecedora de um bom lugar nesta vida e também depois, na outra? - Você percebe os sinais de Deus nos acontecimentos da sua vida?

Helena Serpa,

Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho