domingo, 18 de fevereiro de 2018

VISITE A CASA ONDE O PAPA FARÁ SEU RETIRO PARA OS EXERCÍCIOS ESPIRITUAIS



Vatican News nos conduz à Casa Divin Maestro, onde o Papa e seus colaboradores farão exercícios espirituais de 18 a 23 de fevereiro.
Ariccia
Tudo pronto na cidade lacunar de Ariccia, ao sul de Roma, para a chegada do Papa Franciscoe de seus colaboradores da Cúria, domingo, 18 de fevereiro. Ali, na Casa ‘Divin Maestro’, dos padres Paulinos, até dia 23 de fevereiro, vão se realizar os exercícios espirituais de Quaresma 2018.
Padre Olinto Crespi é o nosso guia nesta 'visita virtual' na Casa aonde a 'família vaticana' vai passar os próximos dias.
Confira as imagens
“Elogio da sede” é o tema das meditações
Domingo, ao chegarem ao local, os participantes farão uma reflexão introdutória, a Adoração e rezarão as Vésperas. Os dias seguintes serão abertos com a missa, às 7h30, seguida por uma meditação às 9h30, uma pausa de reflexão, o almoço e a segunda meditação do dia, às 16h. Somente no último dia, 23, a meditação será única.
“Aprendizes do estupor” é o título da primeira reflexão, que servirá de introdução a todo ciclo dos exercícios. Os temas sucessivos serão: a ciência da sede, percebi que estava sedento, esta sede de nada, a sede de Jesus, as lágrimas contam uma sede, beber da própria sede, as formas de desejo, ouvir a sede das periferias, e a beatitude da sede.
Durante todo o período do retiro estarão suspensas as audiências públicas e privadas, inclusive o encontro semanal das quartas-feiras com os fiéis.
O autor das reflexões é o sacerdote José Tolentino de Mendonça, vice-reitor da Universidade Católica de Lisboa e consultor do Pontifício Conselho para a Cultura. 53 anos, teólogo e poeta, é um dos mais renomados intelectuais de seu país e representou oficialmente Portugal em 2014 no Dia Mundial da Poesia.


Fonte: Rádio Vaticano

PAPA: "QUARESMA É UM TEMPO DE PENITÊNCIA, MAS NÃO DE TRISTEZA



Antes de rezar o Angelus, Francisco frisou que "somente Deus pode nos dar a verdadeira felicidade: é inútil perder tempo procurando-a em outros lugares, em riquezas, prazeres, poder ou carreira".
Cidade do Vaticano
Sob muita chuva, mas com a Praça São Pedro repleta de fiéis, turistas e romanos, o Papa Francisco rezou a oração do Angelus este domingo (18/02) e a precedeu com algumas palavras de reflexão sobre a Quaresma.
Inspirado no Evangelho de Marcos, Francisco propôs os três temas mencionados na leitura do dia: tentação, conversão e Boa Nova.
Assim como Jesus se preparou 40 dias no deserto, posto à prova por Satanás, para vencer as tentações nós devemos fazer o nosso ‘treinamento’ espiritual, disse o Papa.
“Somos chamados a enfrentar o mal mediante a oração para sermos capazes, com a ajuda de Deus, de derrotá-lo em nosso dia a dia. Infelizmente, o mal está à obra em nossa existência e ao nosso redor, aonde existem violências, negação do próximo, fechamentos, guerras e injustiças”.
Boa Nova exige do homem conversão e fé 
“Em nossa vida, precisamos sempre de conversão; não somos suficientemente orientados a Deus e devemos continuamente dirigir nossa mente e nosso coração a Ele. Para isto, é preciso ter a coragem de rechaçar tudo o que nos conduz fora do caminho, os falsos valores que atraem o nosso egoísmo”.
LEIA TAMBÉM

Frisando que “a Quaresma é um tempo de penitência, mas não de tristeza”, o Papa lembrou que é um compromisso alegre e sério para nos despojarmos de nosso egoísmo e de velhos ranços, e renovarmo-nos na graça do Batismo.
“ Somente Deus pode nos dar a verdadeira felicidade: é inútil perder tempo procurando-a em outros lugares, em riquezas, prazeres, poderes, carreira. ”
"O reino de Deus é a realização de todas as nossas aspirações mais profundas e autênticas porque é, ao mesmo tempo, salvação do homem e glória de Deus”.
O apelo de Jesus à conversão.

“Que Maria Santíssima nos ajude a viver esta Quaresma com fidelidade à Palavra de Deus e com oração incessante, como fez Jesus no deserto. Não é impossível! Trata-se de viver os dias desejando intensamente acolher o amor que vem de Deus e que quer transformar nossa vida e o mundo inteiro!”.

Fonte: Rádio Vaticano

HORÁRIO DE MISSAS


Paróquia São Vicente de Paulo, à Avenida Desembargador Moreira, 2211, no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza.

*Diariamente: 6h30 e 17h30
* De 3ª a 6ª: 11h30 e 19 horas
*Sábado: 6h30, 12 horas e 17h30
* Domingo: 6h30, 8h30, 11h30, 17h30 e 19h30

Comunidade Face de Cristo, à Rua Edmilson Barros de Oliveira, 191, no bairro Cocó, em Fortaleza
* De segunda à quinta-feira, às18 horas
* De segunda à sexta-feira: 7 horas.
* Domingo: às 8 e 18h30

 Paróquia São João Eudes:

Na Igreja  Menino Deus, à Rua Jaime Leonel, s/n, no bairro Luciano Cavalcante

* Às 3ªs e 5ªs feiras, às 19 horas
* Domingo: às 7 e 19 horas.

Na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, à rua Albert Sabin, s/n, no bairro Cocó/Guararapes.

* Às  4ªs feiras, às 18h30, novena de Nossa Senhor do Perpétuo Socorro, às 19 horas, missa e, às sextas-feiras, às 18h30, Adoração ao Santíssimo Sacramento e, logo em seguida, missa.
* Domingo: às 9, 17 e 19 horas.

Paróquia Nossa Senhora da Assunção (Santuário), no bairro Barra do Ceará

* De terça-feira a sábado, as 6 e 19horas.
*Domingo : às 7, 9, 17, 18h30 e 20horas.

Paróquia Nossa Senhora Aparecida, à Avenida Gomes de Matos, no bairro Montese.

*De 2ª à sexta-feiras, às 18h30, exceto nas terças-feiras.
*Domingo: às 7, 9,17 e 19 horas;*Nos dias 12, Missa em honra a Nossa Senhora Aparecida; dia 13, Nossa Senhora de Fátima, e dia19, Santo Expedito. E toda 1ª terça-feira do mês, Missa de Cura.

Paróquia do Coração de Jesus, no Centro de Fortaleza, na Praça do Coração de Jesus.

*Diariamente, de segunda-feira a domingo, às 7 horas.
* Domingo: às 7,8,30, 16 e 18 horas.

Paróquia de Cristo Rei, à Rua Nogueira Acioli, 263, na Aldeota.

De segunda-feira à sexta-feira, às 6h30 e às 17 horas
Sábado, às 6h30, 17 e 19 horas.
Domingo, 6h30, 9, 11, 17 e 19 horas
Últimas terças-feiras: “Noite da Misericórdia”. Observação: não há missa das 17 horas.
Dia 13 – Missa Mariana: às 12 horas, na Igreja Matriz e às 18 horas, na Praça Ceart.

Paróquia Nossa Senhora do Carmo, na Avenida Duque de Caxias, no Centro de Fortaleza

Domingo, às 8, 10, 17 e 18h30
Sábado, às 7h30, 17h30 e 17h30
De 3ª A 6ª feira, às 7h30 e 17 horas.     

Paróquia de Santa Luzia,  Rua Tenente Benévolo esquina com Rua Antônio Augusto

Diàriamente, às 17 horas
Sábado, às 17 e 19 horas.
Domingo, às 8, 10 (missa das crianças), 17 e 19 horas (missa dos jovens)
Todo dia 13 de cada mês, missa às 12 horas, em honra a Nossa Senhora de Fátima.

Paróquia de São Gonçalo do Amarante, a 57 quilômetros distante de Fortaleza

De terça-feira à sexta-feira, às 18 horas.
Domingo, às 19 horas.

Igreja Matriz de São José - Lagoa Redonda (Avenida Recreio, 1815)
- Sábado, 20 horas
- Domingo, 7 e 17h30

Capela de Santa Edwiges, Conjunto Curió Lagoa Redonda (Rua Isabel Ferreira, 1001)
- Domingo às 9 horas

Igreja dos Remédios – Benfica – na Avenida da Universidade
- Às segundas e quartas-feiras, às 6h30m.
- Às terças, quintas e sextas-feiras, às 17h30min.
- Aos sábados – 15h30min e 17 horas.
- Aos domingos, às 7, 17 e 19 horas.
- Domingos, ás 9horas, Missa com crianças (exceto no 1. domingo de cada mês, dia dos batizados)
- No primeiro sábado, missa pela saúde e todo o dia 13, às 12 horas, celebração em honra a Nossa Senhora. Mais informações pelo telefone (85) 3223.5644.

Envie-nos os horários de Missa de sua Paróquia ou Comunidade para o e-mailvaivém@secrel.com.br

EVANGELHO DO DIA


Marcos 1,12-15

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.— Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, 12o Espírito levou Jesus para o deserto. 13E ele ficou no deserto durante quarenta dias, e aí foi tentado por Satanás. Vivia entre os animais selvagens, e os anjos o serviam.14Depois que João Batista foi preso, Jesus foi para a Galileia, pregando o Evangelho de Deus e dizendo: 15“O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!”— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE



18/02/2018 - I DOMINGO DA QUARESMA 

- 1ª. Leitura – Gen 9, 8-15 – “O arco nas nuvens”

Depois do dilúvio Deus fez uma aliança com Noé que é muito significativa para nós, pois consiste numa promessa de restauração de toda a Sua criação. O sinal do arco íris é uma lembrança de que o Senhor nos chama à alegria e à beleza da vivência de um tempo de renovação da espécie humana e nos promete que não seremos mais afligidos por Ele. O intuito do Senhor sempre será a nossa salvação e conversão e, para que isto aconteça, Ele não se cansa de nos acenar com a perspectiva de que, a cada dia, poderemos começar a viver uma história diferente. Ao longo das gerações Ele sempre fez alianças com o Seu povo lhe prometendo bênção e vida nova, mas, por diversas vezes, esse povo quebrou o pacto com o Senhor e esqueceu as Suas propostas e as Suas promessas. Por isso, não podemos continuar a dizer como muitos propagam que é Deus quem faz com que aconteçam as desgraças e as intempéries. Deus quer somente o que há de melhor para nós e como Ele mesmo nos prometeu, as águas do dilúvio não poderão nos arrastar nem nos fazer afundar. Ele colocou um arco no céu e é para lá que devemos nos voltar a fim de apreciar toda a beleza da criação que foi preparada para que possamos ter com ela uma harmonia perfeita. – Você tem medo dos fenômenos que acontecem na natureza? – Você acha que eles são um castigo de Deus? – Você confia nas promessas do Senhor por meio da Palavra? – Você já se apossou destas promessas para a sua vida?

Salmo 24,4bc-5ab.6-7bc.8-9 (R. cf. 10)
R. Verdade e amor, são os caminhos do Senhor.

Os caminhos do Senhor são para nós a estrada da verdade e do amor. Ele nos orienta e nos conduz para que possamos conhecer a Sua salvação. A ternura e a compaixão do Senhor Deus são eternas e a Sua misericórdia e a Sua bondade não têm limites. O Senhor é cheio de piedade e retidão e nos reconduz ao bom caminho, mesmo que sejamos pecadores. Se reconhecermos os nossos pecados Ele nos dirige na humildade e na justiça nos ensina o seu caminho.

2ª. Leitura – I Pd 3, 18-22 - a justiça de Jesus apaga a nossa injustiça”

O Homem Justo que se entregou aos homens injustos a fim de conduzi-los a Deus é Jesus Cristo. Nesta carta São Pedro nos conta que depois de padecer e morrer na carne Jesus foi vivificado no Espírito. E foi em Espírito que ele visitou os rebeldes que morreram no tempo do dilúvio e estavam encarcerados. Deus esperou com paciência que Jesus cumprisse a Sua Missão e que, assim como Noé quando construiu a arca para salvar a sua família do dilúvio, Ele também viesse para nos acolher nas águas do Batismo e nos livrar da escravidão do pecado. A Arca, hoje, é o Batismo e a ressurreição de Cristo é a prova maior da Sua vitória contra a morte e a garantia de que também seremos vitoriosos. Jesus está assentado no céu, à direita do Pai, e desde já podemos dizer que estamos com Ele, pois somos membros do Seu Corpo. Apesar das nossas iniquidades nós também estamos juntos do Pai no coração de Jesus, porque a justiça de Jesus apaga a nossa injustiça. – Você crê que Jesus Cristo veio salvar os vivos e os mortos? – Você acredita na ressurreição de Jesus? – Você já pensou que Jesus Cristo está sentado à direita do Pai e que você faz parte do Seu Corpo?

Evangelho – Mc 1, 12-15 - “os Anjos de Deus também estão à nossa disposição”

Impelido pelo Espírito Santo Jesus se dirigiu ao deserto para um tempo de recolhimento e oração. Os quarenta dias, (quarentena), que Jesus passou no deserto se constituiu num período de purificação, de penitência e também de tentação, pois foi nestas circunstâncias que o demônio se aproximou d’Ele a fim de tentá-Lo aproveitando-se do Seu estado debilitado pelo longo período de sacrifício. No entanto, apesar de parecer fisicamente abatido Jesus estava cheio do poder do Espírito Santo e pôde rechaçar as investidas do inimigo. Para nós, também, a quaresma é um tempo propício para que possamos, imitando a Jesus, vivenciar a oração e a penitência e, assim, experimentar a força e o poder do Espírito Santo na nossa caminhada. Os anjos assistiam a Jesus e O serviam, portanto, sempre que estivermos dispostos (as) a fazer a vontade de Deus e nos decidirmos seguir a Jesus nós estaremos sujeitos à tentação, todavia, em todas as situações em que nos deixarmos guiar pelo Espírito Santo, mesmo que haja lutas e tribulações, nós, a exemplo de Jesus, sairemos vitoriosos (as), porque os Anjos mensageiros de Deus também estão à nossa disposição e o demônio não tem poder sobre nós. O Evangelho nos revela também que Jesus esteve em companhia dos animais selvagens. Para nós, os animais selvagens, com certeza, são os empecilhos que encontraremos no nosso caminho nos desviando do propósito da nossa vivência quaresmal. O reino de Deus está próximo, isto é, está dentro do nosso coração, porém ele só acontece em nós, depois que nos apossamos do Espírito Santo para vencer os inimigos que também
moram dentro do nosso interior. – Você já pensou em viver o deserto neste tempo da Quaresma?
– Como você espera vencer as dificuldades? – O que você irá renunciar neste tempo? – Você tem se apossado do Espírito Santo para que Ele o (a) ajude?

Helena Serpa,

Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo 

REFLETINDO SOBRE O EVANGELHO

Marcos 1, 1-15


SANTO DO DIA - SÃO TEOTÔNIO


Nascido em Ganfei, Portugal, no ano de 1082, São Teotônio recebeu uma ótima formação. Primeiramente, junto a um convento beneditino de Coimbra; depois, ao ser assumido por seu tio Crescêncio, Bispo de Coimbra, ele foi correspondendo à graça de Deus em sua vida. Com a morte do tio, dirigiu-se para Viseu, onde terminou seus estudos básicos e recebeu o dom da ordenação sacerdotal.
Homem de oração e penitência, centrado no mistério da Eucaristia, e peregrino, fez duas viagens à Terra Santa, que muito marcaram a sua história, até que os cônegos de Santo Agostinho pediram que ele ficasse ali como um dirigente, mas, em nome da obediência, ele não poderia fazê-lo, uma vez que já ocupava o cargo de prior da Sé de Viseu. No retorno, abriu mão deste serviço e se dedicou ainda mais à evangelização.
Ele já era conhecido e respeitado por muitas autoridades. Inclusive, o rei Afonso Henriques e a rainha, dona Mafalda, por motivos de guerra, acabaram retendo muitos cristãos e ele foi interceder em prol desses cristãos. Muitos foram liberados, mas o santo foi além. Como já tinha fundado, a pedido de amigos, a Nova Ordem dos Cônegos Regulares sob a luz da Santa Cruz, aos pés do Mosteiro, ele não só acolheu aqueles filhos de Deus, mas também pôde mantê-los como um verdadeiro pai. No mosteiro, ele era um pai, um prior não só por serviço e autoridade, mas um exemplo refletindo a misericórdia do mistério da cruz do Senhor, refletindo o seu amor apaixonado pelo mistério da Eucaristia.
Mariano e devoto dos Santos Anjos, ele despojou-se e se retirou em contemplação e intercessão. Foi assim que, em 18 de fevereiro, esse grande santo português, em 1162, partiu para a glória.
Peçamos a intercessão de São Teotônio para que possamos glorificar a Deus pela obediência, sempre voltando-nos para os mais pequeninos.
São Teotônio, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

sábado, 17 de fevereiro de 2018

PAPA: "POBRES SE SINTAM EM CASA NAS IGREJAS"



Recebendo os seminaristas da ilha da Sardenha, o Papa disse que as atuais pobrezas materiais e espirituais requerem pastores capazes de estar com os pobres num estilo de vida simples:
Cidade do Vaticano
Sábado (17/02), o Papa Francisco recebeu no Vaticano os alunos e mestres do Pontifício Seminário da Sardenha, que se encontra na capital da ilha, Cagliari.
A instituição dedicada ao Sagrado Coração de Jesus completa 90 anos, durante os quais formou muitos sacerdotes engajados nas Igrejas locais, na missão ad gentes e em outros serviços.  
O Papa fez uma saudação ao grupo exortando os seminaristas ao trabalho em sintonia com as diferentes comunidades diocesanas, o que é ainda mais importante na realidade insular.
Para o Pontífice, as atuais pobrezas materiais e espirituais requerem pastores atentos aos pobres, capazes de estar com eles com um estilo de vida simples:
“ Encorajo-os a preparar-se desde já a serem padres do povo e pelo povo e não dominadores do rebanho que lhes é confiado, mas sim servidores ”
"Há muita necessidade de homens de Deus que mirem ao essencial, conduzam uma vida sóbria e transparente, sem nostalgias do passado, mas capazes de olhar avante, segundo a salutar tradição da Igreja”.
Francisco lembrou aos seminaristas que neles estão depositadas as esperanças da Igreja na Sardenha, que os Bispos os acompanham com carinho e que o Seminário é uma comunidade de discípulos missionários chamados a viver com o Senhor dia e noite, expondo-se à Palavra e ao Espírito.
“ Preparem-se adequadamente para assumir uma escolha livre e irrevocável de fidelidade total a Cristo, à sua Igreja e à sua vocação e missão ”
É também um tempo – completou – em que se cultiva a amizade com Cristo. “Não se pode exercer bem o ministério se não se viver em união com Cristo. Sem Ele nada podemos” – afirmou.
E disse ainda: “No caminho do Seminário o papel dos formadores é decisivo; eles devem agir com retidão e sabedoria para desenvolver personalidades coerentes e equilibradas”.


Fonte: Rádio Vaticano

EVANGELHO DO DIA


Lucas 5,27-32

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.Glória a vós, SenhorNaquele tempo, 27Jesus viu um cobrador de impostos, chamado Levi, sentado na coletoria. Jesus lhe disse: “Segue-me”. 28Levi deixou tudo, levantou-se e o seguiu.29Depois, Levi preparou em casa um grande banquete para Jesus. Estava aí grande número de cobradores de impostos e outras pessoas sentadas à mesa com eles. 30Os fariseus e seus mestres da Lei murmuravam e diziam aos discípulos de Jesus: “Por que vós comeis e bebeis com os cobradores de impostos e com os pecadores?”31Jesus respondeu: “Os que são sadios não precisam de médico, mas sim os que estão doentes. 32Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores para a conversão”.— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


17/02/2017 - SÁBADO DEPOIS DAS CINZAS 2018 TEMPO DA QUARESMA - 

1ª. Leitura – Is 58, 9b-14 - “a luz que nasce nas trevas”

O Senhor nos convoca para que o mundo seja reconstruído a partir das nossas ações e, consequentemente nós possamos desfrutar da herança dos justos. Por meio do profeta Isaías Ele então nos conclama a revisar a nossa vida a fim de que a nossa luz brilhe nas trevas. Todos os “ses” aqui expostos são ações que nos levam a uma conversão verdadeira e, por conseguinte a uma vida frutuosa colaborando na construção de um mundo melhor. Todas as coisas boas podem acontecer dependendo também de que as nossas ações sejam boas. “Se destruíres os instrumentos de opressão, os hábitos autoritários e a linguagem maldosa”; “se acolheres de coração”; e muitas outras recomendações ele nos faz a fim de que as nações sejam restauradas e as gerações encontrem a paz. Depende de cada um de nós, das nossas intenções e sempre existirá um se, como condição para que haja o bem e não o mal. A partir do nosso acolhimento às Suas instruções, o Senhor também nos promete fazer com que a nossa luz brilhe nas trevas e que a nossa vida obscura seja como um dia claro. Assim sendo, Ele nos conduzirá e saciará a nossa sede na aridez da nossa vida, renovando o vigor do nosso corpo. A leitura nos exorta ainda a que saibamos dar ao Senhor o lugar que é d’Ele deixando de lado os negócios, as atividades e as conversações, quando for o dia a Ele consagrado. Portanto, é dando a Deus o que é de Deus e ao mundo o que é do mundo que podemos ser homens e mulheres ajustados (as) ao plano do Pai. – Como têm sido as suas ações nos seus relacionamentos familiares e sociais? – Você tem falado “mal” de alguém? – Você se sente no direito de humilhar as pessoas mais simples, mais pobres? – Se você melhorar você acha que o mundo também irá melhorar? – Você tem sido luz brilhando nas trevas do mundo?

Salmo 85, 1-2. 3-4. 5-6 (R. 11a)
R. Ensinai-me os vossos caminhos e na vossa verdade andarei.

Precisamos sempre estar suplicando ao Senhor que a Sua verdade nos oriente na nossa caminhada. Não podemos querer prosseguir sozinhos (as) no nosso dia a dia, mesmo que estejamos bem de saúde, de dinheiro, de amizades. Sempre seremos seres dependentes do auxílio e da proteção do Senhor que nos fez e nos criou. Confiando na bondade de Deus, devemos a todo o momento invocar o Seu nome porque sem Ele seremos sempre além de pobres, infelizes.

Evangelho – Lc 5, 27-32 - “oportunidade de conversão e de vida nova”

Jesus Cristo veio ao mundo para nos revelar o grande amor do Pai por cada um de nós e nos fazer participar do reino dos céus cuja porta é a Sua Misericórdia. E a cada um a quem Jesus diz, “segue-me” Ele dá oportunidade de conversão e de vida nova. Porém, a maior condição para que possamos usufruir da misericórdia de Deus e assim, iniciar um processo de conversão é justamente a de nos sentirmos pecadores e necessitados de perdão. Os fariseus não entendiam assim, pois queriam ser justos com suas próprias forças. No entanto, o grande segredo de Levi (Mateus), cobrador de impostos, pecador público foi o de reconhecer a sua condição de miséria e mesmo sendo considerado “um caso perdido” acolheu o convite de Jesus e O seguiu. Quando caminhamos aqui na terra seguindo as concepções do mundo, isto é, de como a maioria das pessoas pensa e age, a Palavra de Deus nos confunde porque fala justamente o avesso do que todos pregam. Ao contrário do que todos nós imaginamos, Jesus vem nos dizer que não veio chamar os justos, mas os pecadores e é a estes que Ele procura. Portanto, precisamos nos reconhecer a nossa condição de pecador para que Jesus também nos diga: “segue-me” Assim, Ele nos dará oportunidade de conversão e de vida nova. Quanto mais doente estiver uma pessoa, maior será a sua cura, por isso, Jesus nos diz: “os que são sadios não precisam de médicos, mas sim os que estão doentes!” A nossa necessidade de conversão é perene e nunca podemos nos contentar com o que já progredimos. A cada dia precisamos ouvir o chamado do Senhor, necessitamos recebê-Lo na nossa casa e sentarmo-nos à mesa com Ele. Quanto mais reconhecermos a nossa enfermidade mais teremos Jesus como médico da nossa alma e conseguiremos a cura do nosso coração.
- Você também se considera enfermo e necessitado (a) de salvação e de cura? – Você já experimentou levar Jesus para sua casa e apresentá-Lo à sua família e aos seus amigos? – Os seus amigos são também doentes como você? – Há alguém que você conheça que é considerado pelo mundo como um caso sem jeito? Convide-o para cear com Jesus na sua casa.

Helena Serpa,

Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo 

SANTO DO DIA - SETE SANTOS FUNDADORES DA ORDEM DOS SERVITAS

Interessante percebermos o contexto do surgimento desta ordem. No século XII e XIII, predominava uma burguesia anticristã na vivência, porque dizer que é cristão, que é católico, não é difícil, mas vivenciar e testemunhar o amor a Cristo, à Igreja e aos pobres, só com muito esforço e muita graça do Senhor.
Providencialmente, Deus, em sua misericórdia, foi suscitando vários santos como verdadeiros caminhos da fé e da felicidade, como os sete santos de hoje que fundaram a Ordem dos Servos de Maria. Eles pertenciam ao grupo de burgueses, até que foram se aproximando de um grupo de oração que se reunia com uma imagem de Nossa Senhora e ali oravam. Aqueles jovens foram se aproximando e a graça de Deus foi conquistando o coração deles.
Foram sete a dar um passo de radicalidade. Abandonaram o luxo, os cavalos, as festas, e foram viver uma vida monástica como sinal de santidade naquela sociedade em decadência. Com exceção de Alessio, que ficou como irmão religioso, os demais tornaram-se sacerdotes. Mas todos eles, como um só sinal de que ser servo de Cristo e da Virgem Maria, é preciso ter muito amor.
Oração, penitência e renúncia são percebidos na vida dos santos. Essas coisas são comuns, porque brotam da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo e estão presentes no Evangelho que a Igreja de Cristo prega.
Sete Santos fundadores da Ordem dos Servitas, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Noticias

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

PAPA PEDE COERÊNCIA EM NOSSO JEJUM



Na Missa celebrada na Capela da Casa Santa Marta, o Santo Padre exorta a evitarmos um jejum fingido, para ser visto pelos outros, mas que o nosso jejum seja "disfarçado pelo sorriso" e chegue aos outros.
Cidade do Vaticano -
Jejuar com coerência e não para aparecer. Na homilia da Missa na Casa Santa Marta, o Papa Francisco advertiu quanto ao jejum incoerente, exortando a nos questionar sobre como nos comportamos com os outros.
Na primeira leitura, extraída do livro do Profeta Isaías (Is 58,1-9a), fala-se do jejum que o Senhor quer: “quebrar as cadeias injustas, desligar as amarras do jugo, tornar livres os que estão detidos, enfim romper todo tipo de sujeição”.
O jejum é uma dos deveres da Quaresma, recordou o Papa. “Se não puder fazer um jejum total, que faz sentir fome até os ossos, “faça um jejum humilde, mas verdadeiro”, pediu o Papa.
É Isaías que evidencia as inúmeras incoerências na prática da virtude: cuidar dos próprios interesses, o dinheiro, enquanto o jejum é “um pouco despojar-se”; fazer penitência em paz : “não pode, de um lado, falar com Deus e, de outro, falar com o diabo”, porque é incoerente, advertiu o Francisco.
“Não jejuem mais como fazem hoje, de modo que se ouça o barulho”, ou seja, nós jejuamos, nós somos católicos, somos praticantes; eu pertenço àquela associação, nós jejuamos sempre, fazemos penitência. Mas, vocês jejuam com coerência ou fazem a penitência incoerentemente como diz o Senhor, com barulho, para que todos vejam e digam: “Mas que pessoa justa, que homem justo, que mulher justa...” Este é um disfarce; é maquiar a virtude".
É preciso disfarçar, mas seriamente, com o sorriso, isto é, não mostrar que está fazendo penitência. “Procura a fome para ajudar os outros, mas sempre com o sorriso”, exortou o Santo Padre.
O jejum consiste também em humilhar-se e isso se realiza pensando nos próprios pecados e pedindo perdão ao Senhor.  “Mas, se este pecado que eu cometi fosse descoberto, fosse publicado nos jornais, que vergonha!” -  “Pois bem, envergonha-te!”, disse o Papa, convidando também a quebrar as cadeias injustas.
“Eu penso a tantas domésticas que ganham o pão com o seu trabalho: humilhadas, desprezadas... Nunca pude esquecer uma vez que fui a casa de um amigo quando criança. Vi a mãe dar um tapa na doméstica.  81 anos... Não esqueci aquilo. “Sim, não Pai, eu nunca dou um tapa” – “Mas como os trata? Como pessoas ou como escravos? Pagas a eles o justo? Dás a eles as férias, é uma pessoa ou um animal que te ajuda em casa?”.  Pensem somente nisto. Nas nossas casas, nas nossas instituições, existe isto. Como eu me comporto com a doméstica que tenho em casa, com as domésticas que estão em casa?”
Então, um outro exemplo nascido de sua experiência pessoal. Falando com um senhor muito culto que explorava as domésticas, o Papa o fez entender que se tratava de um pecado grave, porque são “como nós, imagem de Deus”, enquanto ele sustentava que eram “pessoas inferiores”.
O jejum que o Senhor quer – como recorda ainda a Primeira leitura – consiste em “partilhar o pão com o faminto, no acolher em casa os miseráveis, sem-teto, em vestir os nus, sem negligenciar o teu sangue”.
“Hoje – observa Francisco – se discute se damos o teto ou não àqueles que vem pedi-lo”.
E, ao concluir, exorta a fazer penitência, a “sentir um pouco a fome”, a “rezar mais” durante a Quaresma e a perguntar-se como se comporta com os outros:
“O meu jejum chega a ajudar os outros? Se não chega, é fingido, é incoerente e te leva pelo caminho da vida dupla. Faço de conta ser cristão, justo.... como os fariseus, como os saduceus. Mas, por dentro, não o sou. Peça humildemente a graça da coerência. A coerência. Se eu não posso fazer algo, não a faço. Mas não fazê-la incoerentemente. Fazer somente aquilo que eu posso fazer, mas com coerência cristã. Que o Senhor nos dê esta graça”.

Fonte: Rádio Vaticano

RETIRO PAROQUIAL NA PARÓQUIA SÃO VICENTE DE PAULO



O Retiro Paroquial da Paróquia de São Vicente de Paulo, no bairro Dionísio Torres tem como tema: A Espiritualidade do Encontro em uma “Igreja em saída”, o retiro será nos dias 17, amanhã, sábado, e 18 de fevereiro, no domingo.
Paróquia São Vicente de Paulo. Avenida Desembargador Moreira 2211 - Dionísio Torres.

Informações e inscrições na Secretaria da Paróquia ou através do telefone (85) 3224 6489.

EVANGELHO DO DIA

Mateus 9,14-15

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, 14os discípulos de João aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Por que razão nós e os fariseus praticamos jejuns, mas os teus discípulos não?”15Disse-lhes Jesus: “Por acaso, os amigos do noivo podem estar de luto enquanto o noivo está com eles? Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, sim, eles jejuarão”.— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


6/02/2018 - SEXTA-FEIRA DEPOIS DAS CINZAS - TEMPO DA QUARESMA 

- 1ª. Leitura – Is 58, 1-9ª - “o sentido do jejum”

O profeta Isaías nos motiva a fazer uma reflexão atenciosa sobre a maneira como oferecemos sacrifícios ao Senhor neste tempo da Quaresma. Precisamos, pois, tomar consciência de como estamos praticando o jejum e nos sacrificando durante este tempo que nos é dado para resgatar a nossa alma. Na leitura, o próprio Senhor denuncia os crimes do povo de Israel que se vangloriava de cumprir a lei e de praticar a justiça somente porque jejuava e buscava a Deus. Para aquele povo o fato de jejuar e fazer sacrifícios e mortificações já era o suficiente para agradar a Deus. Porém, ao mesmo tempo em que jejuava o povo litigava uns com os outros e cada qual se preocupava, apenas, com os seus próprios negócios. E o Senhor lhes recomendou: “Não façais jejum com esse espírito, se quereis que vosso pedido seja ouvido no céu!” O sentido do jejum está em que purifiquemos o nosso corpo a fim de que o nosso coração esteja apto a realizar boas ações. Por isso, precisamos estar atentos (as) à dor do necessitado com o intuito de que possamos sentir na nossa própria carne a necessidade e a penúria que muitos vivenciam e, assim, compreende-los melhor. A oração, e o jejum que oferecemos a Deus devem ser acompanhados com o espírito de caridade, de acolhida, de reconciliação, de partilha, do contrário não terão valor nem sentido. Aos olhos de Deus o verdadeiro jejum é aquele que nos leva a pôr um termo às injustiças para acolher o que estão necessitados vendo no rosto de cada irmão, outro Cristo. Jejum e oração não têm razão de ser se não forem vivenciados acompanhados de um verdadeiro espírito de caridade e de obras de justiça. Assim fazendo a nossa luz brilhará nas trevas e veremos atendidos os nossos pedidos de socorro. – Com que espírito você jejua? – O que você acha mais importante: jejuar às sextas feiras ou perdoar a alguém que o (a) ofendeu? – O jejum que você pratica tem alguma razão de ser ou é apenas para cumprir uma tabela? – Com que espírito você jejua?

Salmo 50, 3-4. 5-6a. 18-19 (R. 19b)
R. Ó Senhor, não desprezeis um coração arrependido!

3Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! * Na imensidão de vosso amor, purificai-me! 4Lavai-me todo inteiro do pecado, * e apagai completamente a minha culpa!R.
5Eu reconheço toda a minha iniquidade,* o meu pecado está sempre à minha frente. 6aFoi contra vós, só contra vós, que eu pequei,* e pratiquei o que é mau aos vossos olhos!R.
18Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, * e, se oferto um holocausto, o rejeitais. 19Meu sacrifício é minha alma penitente, * não desprezeis um coração arrependido!R.
Reflexão - O arrependimento é a porta para o perdão e é muito mais importante do que holocaustos ou sacrifícios. O salmista, arrependido, diz que o seu sacrifício é a sua alma penitente, isto é, arrependida, suplicante. O pecado nos afasta dos irmãos e por isso, nos afasta de Deus, mas a misericórdia do Senhor nos faz voltar ao convívio com os nossos irmãos e nos aproxima do céu porque Deus nunca despreza um coração arrependido.
Evangelho – Mt 9, 14-15
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 9,14-15
Naquele tempo: 14Os discípulos de João aproximaram-se de Jesus e perguntaram: 'Por que razão nós e os fariseus praticamos jejuns, mas os teus discípulos não?' 15Disse-lhes Jesus: 'Por acaso, os amigos do noivo podem estar de luto enquanto o noivo está com eles? Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, sim, eles jejuarão. Palavra da Salvação.

Reflexão - “significado de vida e de alegria”

Como discípulos (as) de Jesus precisamos captar por meio das Suas Palavras, as orientações para a nossa vivência cristã. Neste Evangelho Jesus continua a nos ensinar que todas as nossas ações precisam ter um sentido e não podem se reger apenas pelo que aparentam. Os discípulos de Jesus partilhavam com Ele de todos os eventos com alegria e submissão à Sua vontade e aos Seus ensinamentos. Eles estavam perto de Jesus e usufruíam da Sua presença e da Sua companhia, portanto, não tinham clima para jejuar, nem precisavam disso. Assim, Ele nos ensina a praticar
os atos religiosos de coração, e não por obrigação. Há que se ter uma causa nobre e sincera para que pratiquemos o jejum e o sacrifício. Deus conhece o nosso coração e sabe das nossas motivações, portanto, quando jejuarmos devemos fazê-lo com muita disposição e por amor, sem lamentos nem justificativas. Há momentos na nossa vida em que não nos cabe jejuar nem fazer sacrifícios, mas sim aproveitar a ocasião que nos é oferecida. De que adianta para nós o jejum se o nosso coração não está contrito no sacrifício? Um coração ressentido, vingativo, revoltado não consegue amar nem fazer nada por amor. Para os cristãos o jejum deve ter um significado de vida e de alegria. Deve haver uma razão de ser para o jejum. Não nos basta jejuar somente por jejuar, sem um motivo que toque o nosso coração. - Você jejua sem ter um motivo? – Quando jejua você se sente em paz? – Você gosta de mostrar aos outros que está jejuando? – O que Jesus acha do seu jejum? - Você é uma pessoa que sabe curtir o momento presente como um presente de Deus?

Helena Serpa,

Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho