quinta-feira, 25 de julho de 2024

EVANGELHO DO DIA

 + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 20,20-28

Naquele tempo: 20A mãe dos filhos de Zebedeu  aproximou-se de Jesus com

seus filhos e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido. 21Jesus

perguntou: "O que tu queres?" Ela respondeu: "Manda que estes meus dois

filhos se sentem, no teu Reino,

um à tua direita e outro à tua esquerda". 22Jesus, então, respondeu-lhes:

"Não sabeis o que estais pedindo. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou

beber?" Eles responderam: "Podemos".

23Então Jesus lhes disse: "De fato, vós bebereis do meu cálice,

mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha

esquerda. Meu Pai é quem dará esses lugares àqueles para os quais ele os

preparou". 24Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram irritados

contra os dois irmãos. 25Jesus, porém, chamou-os e disse: "Vós sabeis que os

chefes das nações

têm poder sobre elas e os grandes as oprimem. 26Entre vós não deverá ser

assim. Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; 27quem quiser

ser o primeiro, seja vosso servo.

28Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a

sua vida como resgate em favor de muitos".

Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE

 64


possuem em si o tesouro do Espírito Santo de Deus. O poder vem de Deus e

não de nós. Na nossa fraqueza, fragilidade e pequenez nós carregamos Jesus

como um tesouro, um bem valioso que nos garante não somente a

sobrevivência, mas uma vida de qualidade no sentido espiritual, emocional e

psíquico. Tudo acontece por causa de Jesus! Ele é o nosso motivador e a nossa

razão de lutar. “Eu creio e, por isso, falei”. Não podemos nos calar, nem

desanimar, nem tampouco desistir diante das dificuldades. Nós pregamos

Jesus Cristo, porque cremos e, se passamos por todas as etapas do martírio,

somos entregues à morte física é para que a vida divina de Jesus se manifeste

em nós. Deus ressuscitou Jesus e nos ressuscitará com Jesus para estarmos ao

Seu lado. Enquanto aqui estamos precisamos fazer com que a graça de Deus se

espalhe e alcance um número maior de pessoas. - Você se identifica como

sendo um verdadeiro (a) cristão? – Você se desespera nas horas de

sofrimento e dificuldade? – Você confia na assistência do Espírito Santo que

está no seu coração.

Salmo - Sl 125(126),1-2ab.2cd-3.4-5.6 (R.5)

R. Os que lançam as sementes entre lágrimas,

ceifarão com alegria.

1Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, *

parecíamos sonhar;

2aencheu-se de sorriso nossa boca, *

2bnossos lábios, de canções.R.

2cEntre os gentios se dizia: "Maravilhas *

2dfez com eles o Senhor!"

3Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, *

exultemos de alegria!R.

4Mudai a nossa sorte, ó Senhor, *

como torrentes no deserto.

5Os que lançam as sementes entre lágrimas, *

ceifarão com alegria.R.

6Chorando de tristeza sairão, *

espalhando suas sementes;

cantando de alegria voltarão, *

carregando os seus feixes!R.

Reflexão - Este é o desígnio do cristão! Plantamos com lágrimas pelas

dificuldades, colheremos os frutos que nos trarão alegria. Os momentos de

dificuldade e de penúria da nossa vivência de cristãos devem ser acolhidos

como ocasiões em que o Senhor planta em nós a semente do Seu Amor Eterno

e edifica o Seu reino. Quando acolhemos a semente do reino e deixamos que o

Senhor nos adube e nos regue, aí então nós temos a nossa sorte mudada e

podemos sentir os efeitos da semeadura e assim cantar de alegria. Um dia,

definitivamente nós entenderemos tudo isto!


65


Evangelho - Mt 20,20-28

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 20,20-28

Naquele tempo: 20A mãe dos filhos de Zebedeu  aproximou-se de Jesus com

seus filhos e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido. 21Jesus

perguntou: "O que tu queres?" Ela respondeu: "Manda que estes meus dois

filhos se sentem, no teu Reino,

um à tua direita e outro à tua esquerda". 22Jesus, então, respondeu-lhes:

"Não sabeis o que estais pedindo. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou

beber?" Eles responderam: "Podemos".

23Então Jesus lhes disse: "De fato, vós bebereis do meu cálice,

mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha

esquerda. Meu Pai é quem dará esses lugares àqueles para os quais ele os

preparou". 24Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram irritados

contra os dois irmãos. 25Jesus, porém, chamou-os e disse: "Vós sabeis que os

chefes das nações

têm poder sobre elas e os grandes as oprimem. 26Entre vós não deverá ser

assim. Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; 27quem quiser

ser o primeiro, seja vosso servo.

28Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a

sua vida como resgate em favor de muitos".

Palavra da Salvação.

Reflexão – Queremos ser donos de uma fé autêntica, mas não queremos

“beber do cálice que o Pai nos dá”.

A mentalidade humana nos leva a desejar honras e glórias, porém, no reino de

Deus e segundo a Sua mentalidade, ser o primeiro significa ser aquele que

mais serviu, mais lutou, mais se entregou e se sacrificou. Assim como a mãe

dos filhos de Zebedeu (Tiago e João), reivindicou diante de Jesus um lugar de

honra para os seus filhos, não importando o que pudesse acontecer, nós

também desejamos que nós e os “nossos filhos” tenham a primazia no reino

de Deus. Também almejamos nos sentar ao lado de Jesus no reino dos céus, e

não captamos que isto implica em que bebamos do cálice que Ele bebeu e

passemos pelo que Ele passou. Por isso, Jesus também nos ensina: “Quem

quiser tornar-se grande torne-se vosso servidor”! No mundo os homens que

estão no poder, oprimem. No reino de Deus aquele que tem mais poder,

serve, pois, o discípulo não é maior do que o Mestre. Jesus é o servo fiel que

sofreu e se entregou por nós para que tivéssemos um lugar no reino dos céus.

A fé é a ponte que nos levará para o céu e “uma grande fé se mostra não

tanto pela capacidade de fazer, mas de sofrer.” Nós, porém, desejamos ser

colocados nos lugares de prestígio, queremos ser donos de uma fé autêntica,

mas não queremos “beber do cálice que o Pai nos dá”. Peçamos ao Senhor,

portanto, que nos conceda um lugar de honra junto de Jesus, na Sua Cruz,

servindo ao próximo como prova do nosso amor e da nossa gratidão.

 - O que você acha do pedido da mãe dos filhos de Zebedeu? 

- Você vive conforme a autoridade de Deus ou dos homens?

 - Qual o lugar que você acha que merece no reino de Deus?


Helena Serpa,

Fundadora da Comunidade Missionária um novo Caminho

SANTO DO DIA - SÃO TIAGO MAIOR

 

Origens

Tiago nasceu na Galileia e era filho de Zebedeu e Salomé, segundo as Sagradas Escrituras. Era irmão de João Evangelista, ambos pescadores. É sempre citado como um dos três primeiros apóstolos, juntamente com Pedro e André.

Pescador de homens

A vida de Tiago muda quando aceita o convite de Jesus para ser “pescador de homens”, como narra o Evangelho de São Mateus: “Jesus viu dois irmãos, Tiago de Zebedeu e João, seu irmão, que, junto com o pai, ajeitavam as redes no barco. Eles, imediatamente, deixaram o barco e seu pai, e o seguiram”.

É chamado de “maior” por causa do apóstolo homônimo, Tiago, filho de Alfeu, conhecido como “menor”.

Testemunha de milagres 

Dentre os doze apóstolos, São Tiago foi um grande amigo de Nosso Senhor. Por isso testemunhou vários milagres e  acontecimentos como a cura da sogra de Pedro, a Transfiguração de Jesus, a ressurreição da filha de Jairo e a agonia de Jesus no Horto do Getsêmani.

Páscoa 

Depois da ressurreição de Cristo, Tiago foi para a Espanha para evangelizar. Mais tarde, voltou a Jerusalém, local onde foi preso e morto durante a festa da Páscoa no ano 42.

A sua morte está descrita nos Atos dos Apóstolos: “Naquele tempo, o rei Herodes começou a perseguir alguns membros da Igreja. Mandou matar, com a espada, Tiago, irmão de João”. Assim, Tiago, o Maior, tornou-se o primeiro dos apóstolos a morrer pela fé em Jesus Cristo. Seu corpo foi trasladado para a Espanha.

Campo da estrela

Segundo a tradição, no ano 831, o sepulcro de São Tiago foi encontrado nas proximidades do monte Liberon, na cidade espanhola de Iria. O bispo da cidade viu uma estrela brilhante iluminando um campo, e ali foi descoberto um sepulcro, com as escrita: “Aqui jaz Jacobus, filho de Zebedeu e de Salomé”.

O lugar foi chamado de Campus stellae (“campo da estrela”), nome que deu origem à cidade de Santiago de Compostela. Em 1075, teve início a construção da Basílica dedicada São Tiago. Desde a Idade Média, o Santuário é local de peregrinações.

Minha oração

“São Tiago Maior, primeiro apóstolo a morrer pelo amor em Cristo, dai-nos a fé necessária para sermos tão íntimos do Senhor como tu fostes. Amém.”

São Tiago Maior, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova Notícias

 

quarta-feira, 24 de julho de 2024

O TEMPO DE DEUS

 

Pe. Johnja López Pedrozo

EVANGELHO DO DIA

 + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 13,1-9

1Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da

Galiléia. 2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso Jesus entrou

numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia. 3E disse-

lhes muitas coisas em parábolas:

'O semeador saiu para semear. 4Enquanto semeava, algumas sementes caíram

à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram. 5Outras sementes

caíram em terreno pedregoso,

onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram,

porque a terra não era profunda. 6Mas, quando o sol apareceu,

as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz.

7Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e

sufocaram as plantas. 8Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e

produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. 9Quem

tem ouvidos, ouça!'

Palavra da Salvação.


REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


24 DE JULHO DE 2024

4ª. FEIRA DA XVI SEMANA DO

TEMPO COMUM


Cor Verde


1ª Leitura - Jr 1,1.4-10

Início do Livro do Profeta Jeremias 1,1.4-10

1Palavras de Jeremias, filho de Helcias, um dos sacerdotes de Anatot, da tribo

de Benjamim. 4Foi-me dirigida a palavra do Senhor, dizendo: 5'Antes de

formar-te no ventre materno, eu te conheci; antes de saíres do seio de tua

mãe, eu te consagrei e te fiz profeta das nações'. 6Disse eu: 'Ah! Senhor Deus,

eu não sei falar, sou muito novo'. 7Disse-me o Senhor: 'Não digas que és muito

novo; a todos a quem eu te enviar, irás, e tudo que eu te mandar dizer, dirás.

8Não tenhas medo deles, pois estou contigo para defender-te', diz o Senhor.

9O Senhor estendeu a mão, tocou-me a boca e disse-me: 'Eis que ponho

minhas palavras em tua boca. 10Eu te constituí hoje sobre povos e reinos com

poder para extirpar e destruir, devastar e derrubar, construir e plantar'.

61

Palavra do Senhor.


Reflexão – O chamado de Deus para nós é irrevogável!


Consagrados desde o ventre materno e, pelo Batismo, selados com o selo do amor,

que é o Espírito Santo somos também chamados a ser profeta das nações! O chamado

de Deus para nós é irrevogável e, mesmo que nos consideremos os menores ou que

não saibamos nem falar o Senhor nos garante: “a todos a quem eu te enviar, irás, e

tudo que eu te mandar dizer, dirás. Não tenhas medo... pois estou contigo para

defender-te!” O Senhor Deus tem uma pretensão a nosso respeito e fará de tudo

para que possamos cumprir bem tudo o que a nós foi destinado. E toda e qualquer

ação que fizermos em Seu Nome com o intuito de edificar o Seu Reino Ele põe na

nossa boca as Suas palavras e nos dá a autoridade e o poder do Espírito Santo para

falar e agir. Em vista disso, não queiramos fugir desta Consagração, pois o Senhor não

dá ouvidos às nossas justificativas de que, “eu não sei falar, sou muito novo”. Ele nos

capacita e direciona de acordo com o que já está planejado para nós como missão.

Assim como Jeremias, todos nós também nos sentimos pequenos e incapacitados para

falar em nome de Deus, pois reconhecemos a nossa humanidade frágil e temos receio

de que ela possa intervir na obra que o Senhor pretende realizar por nosso meio. No

entanto, quando, mesmo reconhecendo a nossa incompetência, nos apossamos das

Palavras e promessas do Senhor, verificamos que tudo o quanto as Escrituras dizem

em relação aos profetas, se ajusta também a nós, hoje, dentro da realidade em que

vivemos. Ao contrário, quando nos recusamos a dar o passo para falar em nome do

Senhor, com a desculpa de que não estamos preparados para a missão, assinamos um

atestado de omissão e de falta de confiança no chamado de Deus. Ele “nos constitui

hoje sobre povos e reinos com poder para extirpar e destruir, devastar e derrubar,

construir e plantar”. O Senhor abriu para nós muitas frentes de trabalho e não

podemos perder tempo, porque o mundo agoniza com fome de Deus. – Você já

escutou a voz de Deus que o chama para alguma missão? – Qual é a sua missão

aqui na terra? – Você se sente incapaz de cumpri-la? – A quem você tem pedido

ajuda? – Como você tem presenciado os desacertos do mundo de hoje? – Você


acha que o mundo precisa de Deus?


Salmo - Sl 70, 1-2. 3-4a. 5-6ab. 15.17 (R.15)

R. Minha boca anunciará vossa justiça.

1Eu procuro meu refúgio em vós, Senhor:*

que eu não seja envergonhado para sempre!

2Porque sois justo, defendei-me e libertai-me!*

Escutai a minha voz, vinde salvar-me!R.

3Sede uma rocha protetora para mim,*

um abrigo bem seguro que me salve!

Porque sois a minha força e meu amparo,

o meu refúgio, proteção e segurança!

4aLibertai-me, ó meu Deus, das mãos do ímpio.R.

5Porque sois, ó Senhor Deus, minha esperança,*

em vós confio desde a minha juventude!

6aSois meu apoio desde antes que eu nascesse,

6bdesde o seio maternal, o meu amparo.R.


62

15Minha boca anunciará todos os dias*

vossa justiça e vossas graças incontáveis.

17Vós me ensinastes desde a minha juventude,*

e até hoje canto as vossas maravilhas.R.

Reflexão - Somos chamados a anunciar a justiça do Senhor no meio da humanidade,

por isso, muitas vezes somos perseguidos. Porém, àqueles a quem chama o Senhor

também, ampara e dá proteção. E ele nos chamou ainda quando estávamos no ventre

materno e desde a nossa juventude Ele nos prepara para o momento presente da

nossa vida. A nossa salvação, portanto, está em que ponhamos a nossa esperança no

Senhor a fim de que Ele seja, a nossa força e amparo, refúgio, proteção e segurança!


Amém! Aleluia!


Evangelho - Mt 13,1-9

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 13,1-9

1Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da

Galiléia. 2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso Jesus entrou

numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia. 3E disse-

lhes muitas coisas em parábolas:

'O semeador saiu para semear. 4Enquanto semeava, algumas sementes caíram

à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram. 5Outras sementes

caíram em terreno pedregoso,

onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram,

porque a terra não era profunda. 6Mas, quando o sol apareceu,

as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz.

7Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e

sufocaram as plantas. 8Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e

produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. 9Quem

tem ouvidos, ouça!'

Palavra da Salvação.


Reflexão - A nossa parte é semear!


Hoje, Jesus nos propõe uma trajetória constante e ininterrupta: semear e

continuamente semear. Como semeadores, somos enviados a espalhar, onde

estivermos, a semente do Amor de Deus, expressada na Sua Palavra e experienciada

por Jesus Cristo na Cruz! Isto é motivo de grande alegria! O Amor de Deus se

manifesta a partir da proposta de uma vida nova, quando espalhamos a semente da

Palavra de Deus em todo o tipo de terreno. Deus quer chamar a todos! Por isso, o

Senhor nos orienta a não procurar somente aqueles terrenos que entendemos ser

bom. Ele nos ensina que o semeador espalha a semente em todo terreno e a

sementeira prosperará naquele terreno que for o melhor para o plantio. Não nos

compete escolher o terreno, mas apenas semear com amor. Semeamos a boa

semente quando, em qualquer circunstância vivenciamos o amor, quando perdoamos,

quando acolhemos, quando suportamos, quando compreendemos, quando exortamos,

quando aconselhamos e consolamos. Dessa forma, estamos fomentando os

ensinamentos evangélicos e exalando o perfume do amor de Deus pelo mundo. A face

de Jesus revelar-se-á através das nossas ações, das nossas atitudes concretas e,

também, por meio das nossas reações às surpresas que nos são impostas pela vida.

Nós semeamos não somente quando pensamos e agimos, mas, principalmente,

quando reagimos. Jesus semeou a mansidão e a brandura, o perdão, a aceitação à

vontade do Pai, a compaixão e a misericórdia. No entanto, não foi aclamado e


63


reconhecido por todos e, até hoje, muitos ainda não O aceitam e, nem por isso, Ele

desistiu de nós. A nossa parte, portanto, é SEMEAR! A obra é de Deus que conhece os

terrenos e tem um intuito para com cada um deles. – O que você tem semeado por

onde passa? – A amizade e o perdão já fazem parte da sua bagagem de semeador?

– Com que objetivo você tem feito todas as coisas na sua vida? – Você é uma

pessoa que transmite felicidade ou amargura?

SANTO DO DIA - SÃO CHARBEL MAKHLUF

 

Síntese

Sacerdote da Ordem Maronita Libanesa, que, em busca de uma vida de solidão austera e uma perfeição superior, retirou-se do mosteiro de Annaya no Líbano para uma ermida, onde serviu a Deus dia e noite em suprema sobriedade de vida com jejuns e orações, chegando, em 24 de dezembro, para descansar no Senhor. Sua fama está ligada aos numerosos milagres atribuídos a ele após sua morte.

Suas origens

Youssef Antoun Makhlouf  nasceu na aldeia de Beqaa Kafra, Líbano, em 1828, provavelmente em 8 de maio, em uma família de camponeses. Ele morava com seus quatro irmãos em uma aldeia. Sua infância terminou cedo: seu pai morreu quando ele tinha apenas três anos, e sua mãe se casou novamente com um homem piedoso que se tornou padre, segundo o costume da Igreja oriental. Para Youssef, era sempre uma alegria ouvi-lo, como era falar dos dois tios eremitas do Vale dos Santos. Para ele, esses homens eram super-heróis e queria seguir o exemplo deles, mas não pôde. Teve que ajudar a família como pastor aos 10 anos. Porém, passava todo o tempo livre rezando em uma caverna, um destino de peregrinações, hoje chamada “a gruta do Santo”.

Vocação

Em uma noite, ele ouviu a voz do Senhor a chamá-lo, particularmente, insistente: “Mayfouq”. Era 1851, e ele tinha 23 anos. Em poucos meses, tornou-se monge da Ordem Maronita Libanesa e mudou seu nome para Charbel, que, em siríaco, significa “a história de Deus”. Ele foi transferido algumas vezes, estudou teologia com assiduidade e cuidou dos pobres e doentes, em obediência às missões que lhe foram gradualmente confiadas, incluindo o trabalho no campo. Mas é a oração e a contemplação que ele prefere.

Um novo passo

Em 1875, Frei Charbel sentiu-se pronto para viver de acordo com a Regra dos eremitas da Ordem Maronita, que previa os monges divididos em pequenas comunidades de até três. Para ele, é como um segundo nascimento: pode trabalhar, rezar, observar, penitenciar-se, jejuar e silenciar-se. Os testemunhos referem-se a um monge zeloso, muitas vezes encontrado rezando de braços abertos, numa cela muito pobre, da qual sai apenas para celebrar a Missa ou quando lhe é expressamente ordenado. 

Sua partida e seus milagres

Foi no Natal, precisamente durante a Missa, que Charbel sentiu-se mal no momento da elevação. Depois de uma agonia de oito dias em que os outros monges o ouviam rezar, e na qual ele continua a observar a Regra – recusando, por exemplo, alimentos mais nutritivos -, ele morreu em 1898. Mas a morte, como sabemos, não é o fim. Depois de alguns meses, maravilhas começaram a acontecer. Muitos monges juram ver o túmulo de Frei Charbel iluminado por luzes não naturais durante a noite. Um dia, ele [túmulo] foi aberto e seu corpo encontrado intacto, com a temperatura corporal de um ser vivo. E isso acontecera mais duas vezes, quando foi aberto novamente, porque o corpo exalava uma mistura de sangue e água. 

O Taumaturgo

Durante o último reconhecimento, em 1950, seu rosto foi impresso em um pano, e muitas curas instantâneas ocorreram entre os presentes. Espalha-se a fama de santidade deste pequeno monge silencioso, que começa a ser invocado e, por sua intercessão, multiplicam-se as curas milagrosas. A Igreja já não tem dúvidas: é Paulo VI quem o beatifica e depois o canoniza. Assim o recorda: “Ele pode fazer-nos compreender, num mundo fascinado pelo conforto e pela riqueza, o grande valor da pobreza, da penitência, da ascese, para libertar a alma na sua ascensão a Deus”. Após a beatificação, o corpo de Frei Charbel já não escorria.

A minha oração

“São Charbel, padroeiro dos orientais, amante da pobreza e da oração, intercedei por nossas necessidades físicas e espirituais. Alcançai do Senhor a nossa conversão e salvação. Amém!”

São Charbel, rogai por nós

Fonte: Canção Nova Notícias

 

terça-feira, 23 de julho de 2024

IGREJA DO PATROCINIO ESTÁ FORA DE RISCO APÓS INCÊNDIO,APONTA LAUDO DA DEFESA CIVIL

 


A Igreja Nossa Senhora do Patrocínio está fora de risco estrutural, conforme apontou o laudo da Defesa Civil de Fortaleza após a realização de uma visita técnica no dia 5 de julho de 2024. O laudo foi solicitado após um incêndio de grandes proporções que ocorreu nas proximidades da igreja em 28 de junho.


Igreja não sofreu dano estrutural

De acordo com a NOTIFICAÇÃO 422/2024, a análise in loco revelou que as fissuras observadas no muro ao redor da escada de acesso ao salão paroquial são resultado da ação do tempo, que afetou o reboco e, consequentemente, a pintura. O laudo detalha que essas fissuras estão relacionadas a problemas comuns como a má aplicação da argamassa do reboco, uso de materiais contaminados, ausência de zonas de dilatação, e influências de alterações climáticas intensas, especialmente durante o verão.

Importante destacar que não foram identificadas rachaduras, dilatações, infiltrações de água, vibrações ou trepidações no terreno, o que confirma a inexistência de risco de colapso da estrutura. Contudo, o laudo recomenda a remoção do reboco danificado ao longo de toda a extensão do muro e a aplicação de um novo reboco com aditivos impermeabilizantes, finalizado com uma pintura resistente às intempéries.

Os responsáveis pela Igreja do Patrocínio já se comprometeram a realizar as obras conforme indicado pelo laudo, garantindo a segurança e preservação do local.

Esta notícia traz um alívio para a comunidade local, que tem grande apreço pelo patrimônio histórico e religioso representado pela Igreja Nossa Senhora do Patrocínio.

Fonte: Site da Arquidiocese de Fortaleza :

O TEMPO DE DEUS

 

Pe. Johnja López Pedrozo

EVANGELHO DO DIA

 + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 12,46-50

Naquele tempo: 46Enquanto Jesus estava falando às multidões, 

sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 

47Alguém disse a Jesus:  'Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem


60


falar contigo.'  48Jesus perguntou àquele que tinha falado:  'Quem é minha

mãe, e quem são meus irmãos?' 

49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse:  'Eis minha mãe e meus

irmãos.  50Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, 

esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.'  Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE

 Você tem percebido a quem o seu coração procura?


23 DE JULHO DE 2024

3ª. FEIRA DA XVI SEMANA DO

TEMPO COMUM


Cor: Verde


1ª Leitura - Mq 7,14-15.18-20

Leitura da Profecia de Miquéias 7,14-15.18-20

14Apascenta o teu povo com o cajado da autoridade, o rebanho de tua

propriedade, os habitantes dispersos pela mata e pelos campos cultivados;

15E, como foi nos dias em que nos fizeste sair do Egito,

faze-nos ver novos prodígios. 18Qual Deus existe, como tu, que apagas a

iniquidade e esqueces o pecado daqueles que são resto de tua propriedade? -

Ele não guarda rancor para sempre, o que ama é a misericórdia. 19Voltará a

compadecer-se de nós, esquecerá nossas iniquidades e lançará ao fundo do

mar

todos os nossos pecados. 20Tu manterás fidelidade a Jacó

e terás compaixão de Abraão, como juraste a nossos pais,

desde tempos remotos. Palavra do Senhor.

Reflexão – Deus ama a misericórdia!

O povo de Israel, que havia sido libertado do Egito, agora, estava exilado, sem-terra

para desfrutar e sem campos para cultivar. Por ter pecado e desobedecido a Deus

fora deportado da terra prometida. Vivia a penúria da desolação e do exílio passando

por provações e sendo explorado pelos seus algozes. O profeta Miquéias, então,

intercede em favor do povo pedindo: “E como foi nos dias em que nos fizestes sair

do Egito, faze-nos ver novos prodígios!” No mundo em que vivemos, nós também,

em certos momentos da vida nos sentimos exilados, escravizados e cativos das coisas

e situações que nos prendem! Essas situações geralmente são uma consequência dos

nossos próprios erros e das escolhas que fazemos, principalmente, quando trocamos o


59


Criador pelas criaturas. O pecado é quando erramos o alvo, que é Deus e nos

afastamos Dele colocando outros deuses em Seu lugar. Dessa forma sentimos as

consequências e, de repente, a nossa vida que, aparentemente era muito boa, cheia

de prosperidade, sofre uma reviravolta e já não temos mais tudo o que antes dava

sentido à nossa existência. Esse, portanto, é o momento propício para que,

reconhecendo a providência de Deus em tudo o que antes havíamos conquistado, nos

voltemos para Ele, na certeza de que não guarda rancor para sempre, pois ama a

misericórdia e quer apenas a nossa conversão. O Senhor não deseja a nossa ruína,

mas sabe que nós, como filhos, precisamos ser confrontados por causa das nossas

contradições. Por incrível que possa parecer, esses momentos de dureza, de deserto

e escuridão são ocasiões favoráveis para que conscientes, mantenhamos a fidelidade

à nossa pertença a Deus, e, assim, Ele nos fará ver novos prodígios! – Você já

experimentou esses tempos de deserto e de penúria? – O que lhe foi favorável? –

Você se sentiu mais fortalecido quando tudo passou? – Na sua vida está tudo bem?

– Você tem reconhecido que o Senhor é o Seu provedor? – Você confia na


misericórdia do Senhor?


Salmo - Sl 84,2-4. 5-6. 7-8 (R.8a)

R. Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade.

2Favorecestes, ó Senhor, a vossa terra, * 

libertastes os cativos de Jacó. 

3Perdoastes o pecado ao vosso povo, * 

encobristes toda a falta cometida; 

4retirastes a ameaça que fizestes, * 

acalmastes o furor de vossa ira.R. 

5Renovai-nos, nosso Deus e Salvador, * 

esquecei a vossa mágoa contra nós! 

6Ficareis eternamente irritado? * 

Guardareis a vossa ira pelos séculos?R. 

7Não vireis restituir a nossa vida, * 

para que em vós se rejubile o vosso povo? 

8Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade, * 

concedei-nos também vossa salvação!R. 

Reflexão - Deus, como um Pai cheio de bondade, tem como único propósito a nossa

salvação, por isso, mesmo conscientes de que somos os maiores pecadores podemos

como o salmista, suplicar o Seu perdão, dizendo: “Renovai-nos, nosso Deus e

salvador, esquecei a vossa mágoa contra nós”! Com certeza, na medida da

sinceridade do nosso coração, o Senhor restituirá a nossa vida retirando toda ameaça


que pairava sobre nós.


Evangelho - Mt 12,46-50

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 12,46-50

Naquele tempo: 46Enquanto Jesus estava falando às multidões, 

sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 

47Alguém disse a Jesus:  'Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem


60


falar contigo.'  48Jesus perguntou àquele que tinha falado:  'Quem é minha

mãe, e quem são meus irmãos?' 

49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse:  'Eis minha mãe e meus

irmãos.  50Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, 

esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.'  Palavra da Salvação. 

Reflexão – Mais uma vez Jesus nos convoca a fazer parte da Sua família.

Sabemos que a caminhada de Jesus aqui na terra foi um crescente viver segundo a

vontade do Seu Pai. Por isso, Ele convocou doze homens, simples, rudes e sem muita

instrução para acompanhá-Lo, ensinando a eles tudo o que era da vontade do Pai

com o intuito de depois fazê-los fundamentos da Sua igreja. A vivência com Jesus, os

Seus ensinamentos, Seus exemplos, Sua forma de acolher, de perdoar, de admoestar,

de orar, de curar e fazer milagres e muitas outras coisas, manifesta ao mundo o jeito

certo de se viver na terra, como é desejo do Pai que vive no céu. A vontade do Pai é

a chave que abre para nós o caminho da felicidade e a vontade do Pai é “que todos

sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade.” (conf. I Timóteo, 2,4).

Podemos deduzir, portanto, que a vontade de Deus é a nossa salvação e a conquista

do paraíso, isto é, a vida eterna. Jesus aproveitava todos os momentos para

esclarecer as questões primordiais e exercitou com os Seus discípulos a vivência da

vontade do Pai. Por isso, apontando para eles, os elevou a dignidade da Sua Mãe e

de Seus irmãos. Ele sabia que no momento certo aqueles homens dariam testemunho

ao mundo da Sua salvação, embora pudessem trai-Lo e negá-Lo. Hoje, também, mais

uma vez Jesus nos convoca a fazer parte da Sua família, e nos convida também a

buscar a vontade do Pai que está nos céus, a exemplo de Sua Mãe e de Seus irmãos.

Ele aponta para nós que refletimos e meditamos com a Sua Palavra e nos acolhe no

seio da Sua família, pois sabe que nós estamos apreendendo o jeito certo de fazer

tudo segundo a vontade de Deus e, no momento proprício, nós tambén mostraremos

ao mundo somos parte da família do Pai que, está nos céus e não desiste de nós que

ainda estamos na terra.

 – Você tem feito a vontade de Deus?

 – Você sabe perdoar, compreender, acolher? 

– O que você tem aprendido com Jesus?

 – Você sabia que a vontade do Pai é que Jesus seja o Senhor da sua vida?


Helena Serpa,

Fundadora da Comunidade Misionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SANTA BRIGIDA

 

Copadroeira da Europa 

Canonizada, em 1391, por Bonifácio IX, Santa Brígida é a padroeira da Suécia. Em 1999, foi declarada também copadroeira da Europa por São João Paulo II.

Infância

Brígida, quando criança, tinha, certamente, um caráter forte e decisivo. Pertencia a uma família aristocrática. Embora sentisse a vocação religiosa, aceitou casar-se com Ulf, o governador de um importante distrito do Reino da Suécia, a pedido do seu pai. 

Matrimônio

A primeira parte da sua vida, marcada por uma grande fé, foi dedicada a um casamento feliz, do qual nasceram oito filhos. Uma, dentre eles, Catarina – que a seguiu até Roma – também foi canonizada. Junto com seu marido, adotou a Regra das Terciárias Franciscanas e fundou um pequeno hospital. Guiada por um erudito religioso, estudou a Bíblia, a ponto de ser apreciada por sua pedagogia, por isso foi convocada pelo rei da Suécia para encaminhar a jovem rainha à cultura sueca. Após mais de vinte anos de casamento, seu marido faleceu. Assim, começa a segunda parte da sua vida.

Monja

Brígida fez uma escolha decisiva: despojou-se dos seus bens e foi viver no mosteiro cisterciense de Alvastra. Naquela época, destacavam-se muitas experiências místicas, depois relatadas nos oito livros das Revelações. Aqui, também teve início a sua nova missão. Em 1349, Brígida foi a Roma para obter o reconhecimento da sua Ordem, dedicada ao Santíssimo Salvador, que deveria ser composta, segundo seu desejo, de monjas e religiosas. Então, decidiu estabelecer-se na Cidade Eterna, em uma casa na Praça Farnese, que ainda hoje é sede da Cúria Geral das Brigidinas. Porém, sofria por causa dos maus costumes e da degradação generalizada da cidade, que ressentia muito pela ausência do Papa, que, na época, vivia em Avinhão. 

Intercessora da Igreja

O ponto alto da sua missão – como o de Santa Catarina da Sena, sua contemporânea – era pedir ao Papa para voltar ao túmulo de Pedro. Seu único remorso foi o fato de o Papa não ter ficado definitivamente em Roma. Na verdade, em 1367, o Papa Urbano V tinha voltado, mas foi apenas por um breve período. Gregório XI estabeleceu-se, definitivamente, em Roma, mas alguns anos depois da morte de Santa Brígida.

Luta pela paz

Outro “aspecto” do forte compromisso de Brígida era a paz na Europa. Naquele tempo, as suas obras de caridade foram decisivas. Ela, que era nobre, vivia na pobreza, a ponto de pedir esmolas nas portas das igrejas. Aquele também era um período de peregrinações a vários lugares da Itália, de Assis a Gargano. Enfim, a peregrinação das peregrinações à Terra Santa. Brígida tinha quase 70 anos, mas isso não influenciou seu desejo. 

Espiritualidade da cruz

O ponto central da sua experiência de fé foi a Paixão de Cristo, como também a Virgem Maria. Testemunhas disso foram o “Rosário Brigidino” e as orações, ligadas às graças particulares prometidas, por Jesus a ela, para quem os praticasse. Santa Brígida faleceu em Roma, em 23 de julho de 1373. Confiou a Ordem a sua filha Catarina, que, ao se tornar viúva, juntou-se a ela, quando vivia em Farfa.

Querida pelos Papas

São João Paulo II destacou: “A Igreja, sem se pronunciar sobre cada uma das revelações, aceitou a autenticidade do conjunto das suas experiências interiores”. A figura de Santa Brígida foi muito querida pelos últimos Papas. Bento XVI, por exemplo, dedicou uma catequese durante a Audiência Geral. O Papa Francisco queria canonizar aquela que, no século XX, tinha renovado a Ordem do Santíssimo Salvador, Maria Elizabeth Hesselblad, dando-lhe um forte impulso ecumênico, tendo sempre em vista a busca de paz e unidade, tão queridas por Brígida.

A minha oração

Querida Brígida, mãe e monja, intercessora da família e da Igreja, rogai a Deus pelos religiosos assim como pelas famílias. Pedi ao Senhor a conversão da Europa e dos pecadores do mundo inteiro. Amém!

Santa Brígida, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova Notícias

 

segunda-feira, 22 de julho de 2024

CONFIRA AS NOIDADES DA CAMINHADA COM MARIA

 


  • 22/07/A programação principal da Caminhada com Maria inclui a Missa presidida pelo arcebispo Dom Gregório Paixão, OSB, ao meio-dia, no Santuário de Nossa Senhora da Assunção. Este será o primeiro ano do arcebispo à frente da maior manifestação pública de fé realizada nas ruas de Fortaleza.

 

A tradicional Caminhada com Maria, realizada pela Arquidiocese de Fortaleza desde 2003 no dia de Nossa Senhora da Assunção, padroeira da capital cearense, ocorrerá em 15 de agosto e apresenta novidades para esta edição. O evento traz como tema “Peregrinamos com Maria no Ano da Oração” e como lema, “Senhor, ensina-nos a rezar” (Lc 11,1), em alusão ao Ano da Oração decretado pelo Papa Francisco em preparação para o Jubileu da Esperança, que será celebrado em 2025.

 

Às 14h, os peregrinos iniciam o percurso da fé em direção à Catedral Metropolitana de Fortaleza, onde a imagem da padroeira será coroada. Durante o percurso, os fiéis recitam o Rosário, participam de orações e cantam sua fé.

 

Angelus Solidário

 

No dia 3 de agosto, às 18h, haverá o Angelus Solidário no anfiteatro da Beira Mar, com as participações dos cantores Babi Maria e Luiz Carvalho. A organização pede a doação de alimentos não perecíveis e itens de higiene pessoal, que serão repassados para projetos sociais da Igreja.

Pedalada com Maria

 

No dia 11 de agosto, os amantes do pedal terão a oportunidade de participar da Pedalada com Maria, saindo às 15h30 da Igreja de Fátima em direção ao Santuário de Nossa Senhora da Assunção, com posterior retorno ao ponto de partida.

Caminhada Musical

 

A grande novidade deste ano é a Caminhada Musical, marcada para a véspera da Caminhada com Maria. O evento reunirá no mesmo palco as cantoras Suely Façanha, Ticiana de Paula, Irmã Kelly Patrícia, Irmã Maria Raquel e Irmã Maria Joana do Instituto Hesed, Babi Maria e Thais Nara do Grupo Entretons. O evento presencial e gratuito ocorrerá na Igreja de Fátima a partir das 18h e contará também com as presenças do Padre Ivan Souza e do Padre Josileudo Queiroz.

PIX de R$ 1,00 para a Caminhada com Maria

 

Com o objetivo de arrecadar fundos para a Caminhada com Maria e projetos de evangelização e caritativos, a Arquidiocese lança neste ano a campanha “Faça um PIX de R$ 1,00 para a Caminhada com Maria”. As doações podem ser feitas através da Chave PIX CNPJ 07 471 600 0001 87, em nome de Arquidiocese de Fortaleza, Banco do Brasil.

Serviço

Caminhada com Maria 2024

Data: 15 de agosto

Horário: 14h

Percurso: Saindo da Igreja de Nossa Senhora da Assunção em direção à Catedral Metropolitana de Fortaleza

Eventos de preparação para a Caminhada com Maria

Angelus Solidário

Data: 3 de agosto

Horário: 18h

Local: Anfiteatro da Avenida Beira Mar

Atrações: Babi Maria e Luiz Carvalho

Doe: Alimentos não perecíveis e itens de higiene pessoal

Pedalada com Maria

Data: 11 de agosto

Horário: 15h30

Percurso: Igreja de Fátima – Santuário de Nossa Senhora da Assunção – Igreja de Fátima

Inscricoes: @minasbike

Caminhada Musical

Data: 14 de agosto

Horário: A partir das 18h

Local: Igreja de Fátima

Evento: Presencial e gratuito

Atrações: Suely Façanha, Ticiana de Paula, Instituto Hesed (Irmã Kelly Patrícia, Irmã Maria Raquel e Irmã Maria Joana), Babi Maria e Thais Nara do Grupo Entretons

Para mais informações, visite arquidiocesedefortaleza.org.br ou @caminhadacommariaoficial no Instagram, ou ligue para 85 3388.8703.