sábado, 30 de junho de 2012

PADRE CRISTIANO NO EQUADOR




O padre Cristiano Henrique, da Paróquia São João Eudes, no bairro Luciano Cavalcante, em Fortaleza, indo a Tumbuco, Região Metropolitana de Quito, no Equador, participar de reunião da Pastoral Vocacional dos Eudistas. Na volta ao Brasil, ele embarca para Brasília, dia 21 de julho, para marcar presença no Congresso Internacional das Equipes de Nossa Senhora. Ele é um dos diretores espirituais do movimento.

MISSA DOS ENFERMOS NA PARÓQUIA SÃO JOÃO EUDES

Nas fotos de José Maria Melo, uma panorâmica das dependências da Igreja do Menino Deus (Igreja Matriz); os padres Gabriel Mendonza e Amaro, comandando a celebração eucarística; os membros da Pastoral da Saúde; o padre Gabriel dando a Unção dos Enfermos aos doentes e pessoas necessitadas daquele Sacramento e outra foto em que aparece tambem o padre Amaro auxiliando o padre Gabriel.









































Fazendo parte da programação da Pastoral da Saúde, a Paróquia São João Eudes, no bairro Luciano Cavalcante e que tem como pároco o padre Gabriel Mendonza, realizou esta semana uma missa pela saúde dos enfermos, que contou com a presença de um número significativo de fiéis e será celebrada sempre na última quinta-feira de cada mês, informou o celebrante.


UNÇÃO


O padre Gabriel e o padre Amaro aproveitaram - acontecerá em todas as missas pela saúde dos enfermos - e deram a Unção dos Enfermos aos presentes qu estavam doentes e fracos necessitados do poder deste sacramento.

Nas suas explicações sobre a missa e a pastoral, o padre Gabriel reafirmou que as celebrações serão realizadas sempre na última quinta-feira de cada mês e aproveitou para convidar aos presentes não só para a missa do mês de julho, como também para que participem não só da pastoral da saúde, mas de outras pastorais e movimentos da Paróquia, que são inúmeros.

REFLEXÕES DAS LEITURAS DE HOJE

30/06/12 - sábado – XII semana do tempo comum

- Lamentações 2,2.10-14.18-19 –“O Senhor ouvirá a nossa súplica”

Jeremias contempla a miséria do povo que ficou em Jerusalém, durante o exílio na Babilônia e retrata a sua situação de penúria, aflição e desalento. Reconhecendo suas faltas o povo abaixava a cabeça e implorava a misericórdia do Senhor. Nós também, muitas vezes, estamos como a cidade de Judá: os nossos “campos” estão minguando, a nossa capacidade de produzir e servir a Deus e aos irmãos está se esgotando e não conseguimos nos deter em nada nem tampouco realizar nenhum trabalho útil. Temos o coração desalentado, porque antes, não tivemos uma visão correta da realidade e fomos levados a formar imagens falsas e insensatas. Em outras ocasiões, para não contrariar a nossa vontade ou mesmo para não entrar em confronto com alguém, nós nos submetemos a coisas que não são agradáveis a Deus e assim invertemos os papéis e trocamos o Criador pela criatura. Como consequência disso, vimos desfilar diante de nós as misérias e, por isso, nos afligimos, sofremos e nos lamentamos. Precisamos deixar correr uma torrente de lágrimas de dia e de noite, assim, o Senhor irá nos curar e restaurar. Assim, o profeta diz a cada um de nós, pessoalmente: “Levanta-te, chora na calada da noite, no início das vigílias, derrama o teu coração como água, diante do Senhor;” Este é o conselho do profeta para nós na hora em que estamos em situações humilhantes: levantar-se, significa ter coragem e esperança; chorar significa reconhecer a impotência , o pecado, enfim, derramar o coração é entregar-se e esperar por Aquele único que pode nos perdoar e dar alento. Ergamos, pois, as nossas mãos para Ele e deixemos que Ele nos restaure e nos liberte das utopias, dos nossos desvios, acomodações. Diante do clamor da nossa súplica de arrependimento o Senhor irá nos restabelecer na terra que Ele nos deu e cuidar da Sua plantação em nós. Assim poderemos, novamente, alimentar as “crianças” pelas ruas da cidade. – Como está a plantação do seu coração? – Você tem alimentado falsas esperanças? – Você tem medo de entrar em confronto com você mesmo (a) e com outros? – Você ainda tem entusiasmo diante dos desafios da sua vida? - Você já experimentou humilhar-se diante do Senhor, reconhecendo de coração o seu pecado?

Salmo 73 – “Não esqueçais até o fim a humilhação dos vossos pobres”

O Senhor espera o nosso lamento, a nossa necessidade, Ele precisa ouvir dos nossos lábios o clamor do nosso coração para que o Seu Nome seja glorificado pelo grande e pelo pequeno. É salutar e eficaz para a nossa alma o exercício de humildade e reconhecimento da nossa miséria. Tudo isso é parte da metodologia de Deus para nos colocar nos trilhos

Evangelho - Mateus 8, 5-17 – “ Uma só palavra basta ”

Neste Evangelho Jesus nos ensina que a fé é a mola mestra da nossa vida espiritual, por isso ela é também a alavanca da nossa conversão. A fé e a humildade eram elementos decisivos para os prodígios que Jesus concretizava. Em nenhum momento Ele deixava de curar aqueles que dele se aproximavam cheios de fé e confiança no Seu poder. Ele libertava e curava principalmente no meio dos pagãos, aqueles que eram mais necessitados e sentiam-se impotentes diante de Deus. Pelo contrário, aqueles que já se consideravam participantes do reino duvidavam de que Jesus fosse o próprio Rei, por isso, não conseguiam reconhecer os milagres que Ele operava. O oficial romano não frequentava o mesmo grupo de Jesus, não pertencia ao povo judeu, no entanto, se achava indigno, por isso, também necessitado ao passo que os judeus que andavam sempre em torno de Jesus ouvindo os Seus ensinamentos não tinham o comportamento condizente com o que Jesus lhes ensinava. Por conseguinte, não levavam a sério o que lhes era proposto e não tinham fé nas palavras de Jesus apesar de testemunharem muitos prodígios que Ele realizava. A observação que Jesus fez sobre a fé daquele homem pagão faz com que cada um de nós que nos dizemos cristãos (ãs) e, mais ainda, comprometidos (as) com a Igreja, que pertencemos a uma comunidade cristã e temos acesso à Palavra de Deus, façamos um exame de consciência sobre os critérios da vida que estamos levando. “Muitos virão do Oriente e do Ocidente e se sentarão à mesa no reino dos céus...enquanto os herdeiros do reino serão jogados para fora, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes”. Podemos estar vivendo uma utopia afirmando que somos seguidores de Cristo, mas somente de fachada, sem na realidade, ter consciência de que seguir Jesus é viver conforme o que Ele ensina dando testemunho ao mundo que apesar das nossas faltas temos fé na Sua misericórdia, e que, mesmo sendo indignos, nós acreditamos que Ele vem em nosso auxilio para curar a nossa paralisia. A nossa fé é o parâmetro para que Jesus venha em nosso auxílio. O oficial romano não pediu a Jesus para ir à sua casa, mas apenas, a Sua Palavra! Uma só Palavra de Jesus basta para aquele que pede com fé e reconhece a sua própria limitação e o poder de Deus. Hoje Jesus diz também para nós: “E seja feito como tu creste”. Ele tomou sobre si as nossas dores e carregou as nossas enfermidades, portanto aquele que está deitado, desalentado, levante-se porque Jesus Cristo venceu o mundo.
Mesmo acamado (a) como a sogra de Pedro ou desenganado (a) e sem esperança, um simples toque de Jesus bastará para que tenhamos uma nova vida. Quantos não se acham muito importantes e nem têm necessidade de procurar Jesus, mas a nós, que estamos seguido o Seu caminho Ele quer atender ao pedido. Portanto, não percamos tempo, Ele tem autoridade para realizar em nós tudo de que estejamos precisando: FAÇA AGORA O SEU PEDIDO, HUMILDEMENTE!. - Você crê na Palavra de Deus? – Você vive conforme essa Palavra? - Você tem fé que Jesus pode curá-lo (a)? - Você reconhece a sua limitação diante de Deus? – Você se considera herdeiro do reino? - Você está precisando de cura? – Peça a Jesus com fé!

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

EVANGELHO DO DIA

Mateus 8,5-17

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. Naquele tempo, 5quando Jesus entrou em Cafarnaum, um oficial romano aproximou-se dele, suplicando: 6“Senhor, o meu empregado está de cama, lá em casa, sofrendo terrivelmente com uma paralisia”. 7Jesus respondeu: “Vou curá-lo”. 8O oficial disse: “Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa. Dize uma só palavra e o meu empregado ficará curado. 9Pois eu também sou subordinado e tenho soldados sob minhas ordens. E digo a um: ‘Vai!’, e ele vai; e a outro: ‘Vem!’, e ele vem; e digo a meu escravo: ‘Faze isto!’, e ele faz”. 10Quando ouviu isso, Jesus ficou admirado, e disse aos que o seguiam: “Em verdade, vos digo: nunca encontrei em Israel alguém que tivesse tanta fé. 11Eu vos digo: muitos virão do Oriente e do Ocidente, se sentarão à mesa no Reino dos Céus, junto com Abraão, Isaac e Jacó, 12enquanto os herdeiros do Reino serão jogados para fora, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes”. 13Então, Jesus disse ao oficial: “Vai! e seja feito como tu creste”. E, naquela mesma hora, o empregado ficou curado. 14Entrando Jesus na casa de Pedro, viu a sogra dele deitada e com febre. 15Tocou-lhe a mão, e a febre a deixou. Ela se levantou, e pôs-se a servi-lo. 16Quando caiu a tarde, levaram a Jesus muitas pessoas possuídas pelo demônio. Ele expulsou os espíritos, com sua palavra, e curou todos os doentes, 17para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías: “Ele tomou as nossas dores e carregou as nossas enfermidades”. Palavra da Salvação.

SANTO DO DIA - PROTOMÁRTIRES DA IGREJA DE ROMA

Depois da solenidade universal dos apóstolos São Pedro e Paulo, a liturgia nos apresenta a memória de outros cristãos que se tornaram os primeiros mártires da Igreja de Roma, por isso, protomártires.

O testemunho dos mártires da nossa Igreja nos recorda o que é essencial para a vida, para o cristão, para sermos felizes em Deus, principalmente nos momentos mais difíceis que todos nós temos.

Os mártires viveram tudo em Cristo.

No ano de 64, o imperador Nero pôs fogo em Roma e acusou os cristãos. Naquela época a comunidade cristã, vítima de preconceitos, era tida como uma seita, e inimiga, pois não adoravam o Imperador.

Qualquer coisa que acontecia de negativo, os cristãos eram acusados. Por isso, foram acusados de terem posto fogo em Roma, e a partir daí, no ano 64, começaram a ser perseguidos.

Os escritos históricos em Roma narram que os cristãos eram lançados nas arenas para servirem de espetáculo ao povo, junto às feras. Cobertos de piches, como tochas humanas e muitos outros atos atrozes.

E a resposta era sempre o perdão e a misericórdia.

O Papa São Clemente I escreveu: “Nos encontramos na mesma arena e combatemos o mesmo combate. Deixemos as preocupações inúteis e os vãos cuidados e voltemo-nos para a gloriosa e venerável regra da nossa tradição: consideremos o que é belo, o que é bom e o que é agradável ao nosso criador.”

Protomártires da Igreja de Roma, rogai por nós!



sexta-feira, 29 de junho de 2012

ARCEBISPOS BRASILEIROS RECEBEM PÁLIO DE BENTO XVI

plioNa manhã de hoje, dia 29, na Basílica de São Pedro, em Roma, sete arcebispos brasileiros receberam pela imposição do Papa Bento XVI o Pálio, símbolo de comunhão dos Metropolitas com o Sumo Pontífice. Cada arcebispo proferiu um juramento no qual se comprometeu a ser “sempre fiel e obediente” à Igreja Católica, ao Papa e aos seus sucessores.

Ao todo 44 arcebispos receberam o pálio, uma insígnia litúrgica de "honra e jurisdição" da Igreja Católica. Dentre eles, estão os seguintes brasileiros: dom Wilson Tadeu Jonck S.C.I., de Florianópolis (SC); dom Jose Francisco Rezende Dias, de Niterói (RJ); dom Esmeraldo Barreto de Farias, de Porto Velho (RO); dom Airton Jose dos Santos, de Campinas (SP); dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho, de Teresina (PI); dom Paulo Mendes Peixoto, de Uberaba (MG); dom Jaime Vieira Rocha, de Natal (RN).

Na cerimônia, Bento XVI afirmou que as falhas humanas estão na origem do “drama da história do próprio papado” e que a Igreja Católica é mais forte do que “as forças do mal”.

“O papado constitui o fundamento da Igreja peregrina no tempo, mas ao longo dos séculos assoma também a fraqueza dos homens, que só a abertura à ação de Deus pode transformar”, disse, na homilia da celebração.

Dom Filippo Santoro, que foi bispo de Petrópolis no Brasil e é atualmente arcebispo de Taranto, Itália, foi um dos agraciados pelo título e descreveu a respeito da emoção sentida durante a cerimônia. “Receber o Pálio representa uma grande responsabilidade e uma grande alegria, porque o Papa, chamando-me aqui de volta à Itália depois de 27 anos de Brasil, me dá esta função de arcebispo da arquidiocese de Taranto e uma responsabilidade muito grande. O arcebispo metropolita, recebendo o Pálio, tem um vínculo mais estreito com o Santo Padre: um vínculo de fidelidade ao sucessor de São Pedro, um vínculo de viver a fé de maneira mais radical e profunda, como São Pedro viveu dando a vida por Cristo, e organizar a vida pastoral segundo a orientação do Papa, em comunhão com os bispos na Itália e no mundo”, afirmou.

O arcebispo de Niterói (RJ), dom José Francisco Rezende Dias, expressou seu sentimento de gratidão pela escolha de Bento XII. “É sempre emocionante encontrar o Santo Padre, mas a emoção é marcada também pela alegria e a gratidão pela escolha e a confiança que ele depositou em mim para que pudesse ser o arcebispo de Niterói. É um momento feliz e trago também no coração toda a Igreja arquidiocesana de Niterói em um sinal de comunhão com o sucessor de Pedro, o Papa Bento XVI, além da alegria e do compromisso de procurar sempre trabalhar em união e servir o povo nesta disposição de fidelidade, obediência e responsabilidade diante de todo o trabalho pastoral que me é confiado”, declarou.

CNBB

CAMINHADA PELA PAZ

O Conjunto São Vicente de Paulo Setor II de nossa Paróquia de São Vicente de Paulo, situado entre as ruas General Tertuliano Potiguara e Beni de Carvalho promoverá no próximo domingo, dia 1º, ás 18 horas uma Caminhada pela Paz.

Essa caminhada será promovida pelos movimentos que fazem a comunidade: Associação de Moradores, Igrejas Católica e Evangélica e a Rádio Comunitária GAC e tem por objetivo dar um grito de não a violência, as drogas, a prostituição e tudo aquilo que diz respeito à degradação da pessoa humana.

Contatos:

Ir. Consolação (Filha da Caridade) – 9712 2627

Serly (responsável pelo Setor II) – 8795 9760

Orlando Felipe – 96 31 6749 8683 3612

IBGE DIVULGA DADOS. CERIS MOSTRA "IGREJA VIVA"



De acordo com o Censo Demográfico 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os católicos permanecem sendo maioria, embora haja uma maior diversidade religiosa da população brasileira. Os dados mostram que 64,6% da população professa a fé católica, havendo 72,2% de presença nes...



SÃO PEDRO APÓSTOLO, PADROEIRO DOS PESCADORES, É VENERADO EM FORTALEZA

A Capelinha de São Pedro, na Beira Mar, celebrou hoje pela manhã, 29, a festa de seu padroeiro, São Pedro Apóstolo. Os fieis se concentraram na praça em frente a Capelinha de São Pedro para festejar São Pedro Apóstolo, o padroeiro dos Pescadores.
Após a celebração Eucarística presidida por padre Alderi Leite, pároco da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, aconteceu uma procissão marítima dos pescadores e suas jangadas. Um belo andor com a imagem de São Pedro foi preparado em um barco a vela e conduzido para o alto mar, desde a Ponte metálica até a Praia Mansa.
Para aqueles que ficaram em terra puderam aguardar o retorno da procissão participando de uma bonita festa com sanfoneiros e grupos populares. Muitos turistas acompanhavam com admiração a alegria dos pescadores e suas famílias que cantavam e dançavam animadamente. Alguns tentaram aprender os passos do forró no embalo da música do Luiz Gonzaga e outros dançaram timidamente.
Já apontava às 11 horas quando uma saraivada de fogos chamou a atenção de todos para o retorno da procissão das jangadas.
Depois de ancorar o andor com a imagem de São Pedro foi levado de volta a Capelinha com aplausos e o hino de São Pedro.

Confira as imagens,

por Marta Andrade, Setor de Comunicação da Arquidiocese de Fortaleza.

PAPA BEATIFICARÁ A BRASILEIRA NHÁ CHICA, FILHA E NETA DE ESCRAVOS

AFP
A igreja brasileira registrou milhares de graças alcançadas através da intercessão de Nhá Chica
Compartilhar

ROMA, 28 Jun 2012 (AFP) - O papa Bento XVI autorizou a beatificação da brasileira Francisca Paula de Jesus, mais conhecida como Nhá Chica, que chegou a ser considerada no século XIX uma santa em vida por sua defesa dos mais pobres, indicou nesta quinta-feira, 28, o Vaticano.

O anúncio foi feito pelo gabinete de imprensa de Santa Sé, que divulgou a lista com os decretos assinados pelo Papa, entre os quais está um "milagre" atribuído por intercessão da brasileira, sem dar mais detalhes.

Nascida em 1808 na cidade de São João del Rei, em Minas Gerais, Nhá Chica morreu no dia 14 de junho de 1895.

Filha e neta de escravos, Francisca Paula de Jesus, negra, ficou órfã aos dez anos e dedicou toda a sua humilde vida à caridade.

Embora nunca tenha pertencido a uma organização religiosa, era considerada "a mãe dos pobres", sendo respeitada por todos, dos mais humildes aos homens mais poderosos, segundo sua biografia oficial.

Em 1991, o Papa João Paulo II concedeu a ela o título de "Serva de Deus" e desde 2007 a Congregação para as Causas dos Santos do Vaticano examina o reconhecimento de um milagre por sua intercessão, o que foi aprovado por Bento XVI.

A beatificação é o primeiro passo para chegar a ser santa, para o qual é necessário o reconhecimento de um segundo milagre, com o qual se converteria na primeira santa nascida no Brasil.

Segundo meios de comunicação religiosos, o milagre aprovado foi a cura inexplicável da professora Ana Lucia Meirelles Leite, de Caxambu, que sofria de uma cardiopatia congênita da qual se curou milagrosamente em 1996 sem a necessidade de intervenção cirúrgica.

A igreja brasileira registrou milhares de graças alcançadas através da intercessão de Nhá Chica, afirma a mesma fonte, e acrescenta que em 2010 seus devotos, entre eles o escritor Paulo Coelho, celebraram os 200 anos do batismo da mulher.


Fonte: O POVO Online

REFLEXÕES DAS LEITURAS DE HOJE

29/06/12 - 6a. Feira – XII semana do tempo comum

- 2 Reis 25, 1-12 – “Tempo de cativeiro”

Foi um tempo marcante para o povo de Israel e por mais que eles tentassem fugir do cerco de Nabucodonosor mais ele impunha o seu poderio. Jerusalém chega ao extremo da perseguição! O povo já não tinha forças para lutar e Nabucodonosor completava a sua ação levando ao cativeiro quase todo o resto da povoação, deixando apenas os vinhateiros e os agricultores. Até o templo de Jerusalém foi incendiado e o palácio do rei foi entregue às chamas e, praticamente, eles perderam tudo. Hoje, para acolher a mensagem desta palavra nós podemos nos colocar no lugar de Jerusalém e refletir sobre os momentos da nossa vida em que somos de alguma forma, acossados (as), perseguidos (as), pelas coisas, pessoas e acontecimentos, que aparentemente exercem influência sobre a nossa sorte. Perdemos o que de mais caro possuíamos e ficamos praticamente no nosso corpo. Porém, como em Jerusalém foram deixados apenas os vinhateiros e os agricultores, dentro de nós restam também os nossos dons, os nossos talentos, a capacidade que está inserida na nossa alma e que ninguém pode usurpar. Mas, principalmente, restam-nos a fé, a esperança e o grande dom de Deus, o Espírito Santo.
Hoje nós sabemos que o tempo do cativeiro foi um tempo rico para o povo de Israel. Por isso, estamos seguros de que crescemos no tempo do exílio quando pomos em prática e testamos a nossa fé e a nossa confiança Naquele que pode derrotar o “Nabucodonosor” da nossa vida.- Você também já perdeu algo que você não valorizou e que hoje lembra com saudade? – Como você reage quanto a isto diante do Senhor: com humildade ou com revolta? – Mesmo assim você tem exercitado os dons que você possui?

Salmo – 136 – “Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti, Jerusalém, eu me esquecer!”

O salmo retrata a lamentação do povo de Israel que sentia na carne o tempo que perdera e, agora, voltava o seu coração para o Senhor e para a terra que lhe havia sido tirada. Assim, em terra estrangeira o povo lamentava: “ junto aos rios da Babilônia nos sentávamos chorando com saudades de Sião.” Será que isto também acontece conosco? Quantas vezes temos tudo nas mãos, e não damos o devido valor ao que possuímos. Só quando perdemos é que temos a consciência de que tudo que antes nós não valorizávamos é o que hoje tem realmente valor para nós. Todavia todas as coisas que nos acontecem, têm um sentido diante do plano do Senhor. Deus espera pela nossa oração, pelo nosso pedido. Ele sabe que precisamos de humildade para caminhar e ser como Ele, perfeitos e santos

Evangelho – Mateus 8, 1-4 – “ a cura da nossa lepra”

Hoje também Jesus continua estendendo a mão para nos tocar e curar as nossas impurezas purificando a nossa alma dos males que nos afetam. Hoje também, como aquele leproso nós podemos nos dirigir a ele e pedir que cure a nossa lepra “Senhor, se queres, tu tens poder de me purificar”. Ele está sempre atento às nossas necessidades e, com certeza, conhece todas as nossas carências, tem um plano para realizar na nossa vida e na hora devida atenderá às nossas reivindicações. A vontade de Deus para nós é sempre o bem e a felicidade e, com efeito, sempre irá querer para nós tudo o que nos fará felizes. A lepra representa o pecado que nos desarmoniza com Deus, conosco e também com o nosso próximo. Deus nos perdoa de acordo com o nosso coração, mas é preciso que demos o testemunho indo cumprir o que Jesus mandou: “ mas vai mostrar-te ao sacerdote....” Em primeiro lugar o Senhor nos deseja purificar e extirpar de nós a raiz do nosso pecado. Na medida em que nos humilhamos e pedimos confiantes a cura do nosso coração Deus também vai realizando em nós uma obra de purificação. O ir ao sacerdote é uma forma de expressar humildade e obediência à palavra do Senhor confessando as nossas faltas e reconhecendo o nosso estado de pecador. – O que você entende por: vai mostrar-te ao sacerdote? – Para você o que significa a confissão dos pecados? Você acha que precisa humilhar-se diante de Deus e dos homens para conseguir alguma coisa?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

EVANGELHO DO DIA

Mateus 8,1-4

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.1Tendo Jesus descido do monte, numerosas multidões o seguiam. 2Eis que um leproso se aproximou e se ajoelhou diante dele, dizendo: “Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar”. 3Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: “Eu quero, fica limpo”. No mesmo instante, o homem ficou curado da lepra. 4Então Jesus lhe disse: “Olha, não digas nada a ninguém, mas vai mostrar-te ao sacerdote, e faze a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho para eles”. Palavra da Salvação.

SANTO DO DIA - SÃO PEDRO E SÃO PAULO APÓSTOLOS

Hoje a Igreja do mundo inteiro celebra a santidade de vida de São Pedro e São Paulo apóstolos. Estes santos são considerados "os cabeças dos apóstolos" por terem sido os principais líderes da Igreja Cristã Primitiva, tanto por sua fé e pregação, como pelo ardor e zelo missionários.

Pedro, que tinha como primeiro nome Simão, era natural de Betsaida, irmão do Apóstolo André. Pescador, foi chamado pelo próprio Jesus e, deixando tudo, seguiu ao Mestre, estando presente nos momentos mais importantes da vida do Senhor, que lhe deu o nome de Pedro. Em princípio, fraco na fé, chegou a negar Jesus durante o processo que culminaria em Sua morte por crucifixão. O próprio Senhor o confirmou na fé após Sua ressurreição (da qual o apóstolo foi testemunha), tornando-o intrépido pregador do Evangelho através da descida do Espírito Santo de Deus, no Dia de Pentecostes, o que o tornou líder da primeira comunidade. Pregou no Dia de Pentecostes e selou seu apostolado com o próprio sangue, pois foi martirizado em uma das perseguições aos cristãos, sendo crucificado de cabeça para baixo a seu próprio pedido, por não se julgar digno de morrer como seu Senhor, Jesus Cristo.

Escreveu duas Epístolas e, provavelmente, foi a fonte de informações para que São Marcos escrevesse seu Evangelho.

Paulo, cujo nome antes da conversão era Saulo ou Saul, era natural de Tarso. Recebeu educação esmerada "aos pés de Gamaliel", um dos grandes mestres da Lei na época. Tornou-se fariseu zeloso, a ponto de perseguir e aprisionar os cristãos, sendo responsável pela morte de muitos deles.

Converteu-se à fé cristã no caminho de Damasco, quando o próprio Senhor Ressuscitado lhe apareceu e o chamou para o apostolado. Recebeu o batismo do Espírito Santo e preparou-se para o ministério. Tornou-se um grande missionário e doutrinador, fundando muitas comunidades. De perseguidor passou a perseguido, sofreu muito pela fé e foi coroado com o martírio, sofrendo morte por decapitação.

Escreveu treze Epístolas e ficou conhecido como o "Apóstolo dos gentios".


São Pedro e São Paulo, rogai por nós!


quinta-feira, 28 de junho de 2012

PAROQUIANOS PRESTIGIARAM A FESTA DE NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO



Nas fotos de José Maria Melo, 1) o padre Gabiel Mendonza com ministras extraordinárias da Sagrada Comunhão e acólitos (coroinhas); 2) os fiéis católicos ouvem atentamente a homília do celebrante; (3)uma panoramica da parte interna da Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e 4)a procissão com a imagem de Nossa Senhora sendo transportada pelas ruas nas proximidades da Capela.

















Com uma procissão, que percorreu as ruas Albert Sabin, Maríinha HOlanda, Cláudio Manoel Dias Leite, Professor Jacinto Coelho, Justino Café Leite e Albert Sabin, e logo em seguida uma celebração eucarística presidida pelo pároco de São João Eudes, Gabriel Mendonza, ficaram encerrados, ontem, os festejos em honra a Nossa Senhora do Perpétuo, na sua Capela, que fica nas proximidades do Iguatemi.A festa começou no domingo e terminou na noite de ontem, com uma pçarticipação significativa da comunidade católica da Paróquia São João Eudes, especialmente os devotos de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que em todas as noites lotaram as dependências da Capela.Durante as noites do triduo, além da parte espiritual, como novena, missa e procissão, houve momentos de lazer, divertimentos como rifa, bingo e barraca, com comidas tipicas, bolos e refrigerantes e uma apresentação da quadrilha Zé Testinha, que empolgou a todos que compareceram a noite de terça-feira. No final da celebração de ontem, o padre Gabriel Mendonza agradeceu aos paroquianos que prestigiaram a festa, bem como aos que serviram, com um "muito obrigado e que Deus e São João Eudes e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro abençoe a vocês todos".









MISSA DOS ENFÊRMOS


















O padre Gabriel Mendonza aproveitou ainda para informar que, hoje, a partir das 19 horas, na Igreja Matriz (Igreja do Menino Deus), nas proximidades da Câmara Municipal de Fortaleza, no bairro Luciano Cavalcante, em Fortaleza, ele estará celebrando uma missa em ação de graças pelos enfêrmos. Vale ressaltar que, as celebrações eucarísticas das 19 horas do domingo estão sendo retransmitidas pela Internet.









PARÓQUIA DE PARAMOTI PREPARA FESTA DE SENHORA SANT'ANA

A Paróquia de Paramoti, já se prepara para celebrar os festejos de sua Padroeira Senhora Sant’Ana. Neste ano a Pré-Festa irá acontecer em dois finais de semana e a abertura da Pré-Festa será no dia 1º de julho, com a seguinte programação:

Dia 01 de julho (domingo) - Abertura da Pré-Festa, às 19 horas, na Igreja Matriz.

Dia 06 de julho (sexta-feira) - Bairro Arrudas – na Igreja Rainha de Todos os Santos.

Dia 07 de julho (sábado) - Bela Vista e Serrote – na Igreja de Santa Luzia.

Dia 08 de julho (domingo) - Centro – Vicente Farias – Conjunto Habitacional e Santa Cecília – na Igreja Matriz.

Obs: Nos bairros e comunidades: a Celebração Eucarística e a Parte Social. Caminhada com a Imagem de um bairro para o outro e de uma comunidade a outra.

Dia 12 de julho (quinta-feira) - Setor II – na comunidade de Tamanduá.

Dia 13 de julho (sexta-feira) - Setor II – na comunidade de Poço Vermelho.

Dia 14 de julho (sábado) ? Setor III – na comunidade de Ramalhete.


A Festa de Nossa Senhora Sant’Ana no dia 16 de julho terá início o hasteamento das bandeiras da santa, do Vaticano e do Municipio. Logo em seguida, novenário e uma celebração eucarística, presidida por dom Rosalvo Cordeiro Leite, bispo auxiliar de Fortaleza. Faz parte ainda da programação caminhada e motorromaria pelas ruas da cidade. Informações pelo telefone (85) 3320 1258 na secretaria paroquial.

Fonte: Pascom da Arquidiocese de Fortaleza

PASTORAIS SOCIAIS, CEBs E ORGANISMOS DO REGIONAL NORDESTE I PROMOVE RETIRO ANUAL

As Pastorais Sociais, CEBs e Organismos do Regional Nordeste Um promovem entre nos dias 28, 29 e 30 de junho, na Casa de Encontro da Irmã Iolanda, na Rua Aracaju, 1299, bairro Henrique Jorge, seu Retiro Anual com a presença do Monge Beneditino Marcelo Barros. As pastorais irão refletir o tema “Justiça e Profecia a Serviço da Vida”, que faz sintonia com o tema do 13º Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Bases (CEBs).

O Retiro Anual das Pastorais Sociais, CEBs e Organismos do Regional Nordeste Um terá inicio na noite de hoje, com um momento celebrativo e tem por objetivo fortalecer a esperança, a fé e a profecia no serviço da vida. Durante o Retiro as Pastorais Sociais, CEBs e Organismos discutirão a participação das dioceses na construção da 5ª Semana Social Brasileira iniciada no último 18 de maio.

Cada participante deve contribuir com R$ 60,00 e preencher uma ficha de inscrição que está disponível na Cáritas Ceará.

Regilvânia Matheus, membro da coordenação do Regional das Pastorais Sociais, CEBs e Organismos,disse que “O retiro é um momento de parada e reflexão e um espaço para alimentar a esperança e fortalecer a caminhada em defesa e cuidado com a vida". Ele acrescentouo que a presença de Marcelo Barros faz diferença por todo seu testemunho e compromisso com a defesa da vida e com um novo jeito de nossa Igreja ser”.

Informações com Regilvânia Matheus (da Cáritas Regional Ceará e membro da coordenação das Pastorais Sociais, CEBs e Organismos) (85) 9934 3903 ou Jeane Freitas (Assessora da Comunicação da Cáritas Regional Ceará) (85) 8768 9865.


Fonte: Pascom da Arquidiocese de Fortaleza

O SANGUE QUE FECUNDOU A IGREJA



Padre Geovane Saraiva *


Pedro e Paulo, duas pessoas profundamente marcadas pela a graça de Deus, que no decorrer dos séculos, foram imprescindíveis, ao marcar e personificar à Igreja, de um modo ininterrupto, em toda sua história. De imediato, compreenderam que o Reino de Deus, anunciado por Jesus de Nazaré, tem uma característica bem definida e própria: o serviço da justiça e a caridade para com os irmãos. A ilusão de um poder messiânico, de um Messias triunfalista, conquistador e guerreiro, que logo iria restaurar o poder temporal em Israel, com certeza, não foram as maiores as preocupações deles.


São Pedro e São Paulo, homens que fundaram a Igreja primitiva, tendo por base o resto, a herança do povo Israel. O martírio destes dois grandes Apóstolos e amigos de Nosso Senhor Jesus Cristo se deu em Roma, mais ou menos, pelo ano de 67. Pedro foi crucificado de cabeça para baixo, julgando-se indigno de morrer, assemelhando a seu Mestre e Senhor. Já Paulo que "combateu o bom combate terminou sua corrida e guardou a fé" (2Tm 4), foi preso e depois decapitado. Portanto, um morreu pela cruz e o outro pela a espada, fecundando e tronando a Igreja cheia de graças.


Pedro foi escolhido por Cristo como fundamento do edifício eclesial, como portador das chaves do Reino dos céus (Mt 16, 19), pastor do rebanho santo, com a missão de confirmar os irmãos na fé, e também, de ser sinal visível de unidade, na comunhão, na fé e na caridade. Conviveu com o Mestre e fez parte do colégio dos apóstolos, testemunhando com os próprios olhos a vida, a morte e a ressurreição do Senhor Jesus, e confessando: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo!". Recebendo, da parte de Jesus, um grande elogio: "Feliz és tu, Simão, porque não foi à carne nem o sangue que te revelou isso, mas o meu Pai que está nos céus" (Mt 16, 16-17).


Pedro nos recorda a Igreja Instituição, com o poder de Deus que ele recebeu, de ficar à frente da exigente e fascinante missão de continuar, com dignidade e responsabilidade, o trabalho de santificar, ensinar e governar o rebanho do Senhor.


Paulo, missionário por excelência, não conviveu pessoalmente com o Mestre. No início, de perseguidor ferrenho da Igreja e dos cristãos, abraçou a fé na viagem de Damasco e se transformou totalmente, testemunhando a partir de então, que Jesus Cristo é o enviado do Pai. A sua missão, doravante, é ser instrumento para levar o nome de Deus a todos os povos da terra (cf. At 9, 15). A evangelização e a pregação não se separam da vida do mestre e doutor das nações, o maior missionário de todos os tempos; tornando-se advogado dos pagãos e apóstolo dos gentios.


O seu encontro com o Filho de Deus foi algo maravilhoso! Mudou por completo a sua vida, a ponto de suportar tudo por causa do Reino, agradando e sendo sempre fiel ao seu Mestre e Senhor, vivendo o que anunciava, dizendo com humildade e coração aberto: "Pela graça de Deus, sou o que sou (...)".


Paulo nos lembra o anúncio do Evangelho, os carismas e a missão das comunidades que abraçam a fé. Anunciar a boa nova do Senhor Jesus Cristo, foi para ele um exigência. Por isso mesmo está disposto a tudo, até a sua própria vida por causa do Evangelho. "Quanto a mim, estou a ponto de ser imolado e o instante da libertação se aproxima" (2Tm 4, 6).


Pedro e Paulo receberam do próprio do Filho de Deus a fascinante missão de fazer acontecer a Igreja no seu início, fecundado-a e regando-a com o próprio sangue. Eles beberam do mesmo cálice e tornaram-se assim grandes amigos de Deus. A exigente missão de beber o mesmo cálice e de confirmar os irmãos na fé, hoje, é confiada ao Papa Bento XVI. Que a nossa oração suba aos céus na intenção do Papa e de toda a Igreja, espalhada por toda extensão da terra, que nos nossos dias, têm missão construir e edificar o Reino de Deus.


*Pe. Geovane Saraiva, sacerdote da Arquidiocese de Fortaleza, Escritor, Membro da Academia de Letras dos Municípios do Estado Ceará (ALMECE), e da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza

pegeovane@paroquiasantoafonso.org.br






REFLEXÕES DAS LEITURAS DE HOJE

28/06/12 - 5a. Feira XII semana comum

– 2 Reis 24, 8-17 – “Tempo de penúria e de crescimento”

A liturgia de hoje nos leva a refletir quão importante para nós é pôr em prática a vontade de Deus que se expressa através da Sua Palavra. O livro dos Reis nos conta como foi o começo do exílio do povo de Israel. O povo que a partir do seu rei praticava o mal e não observava os ensinamentos do Senhor foi deportado para Babilônia, longe da sua terra, do seu templo. Ficaram em Jerusalém somente aqueles mais humildes e que não tinham condições nem forças para se superarem. Foi um tempo em que aparentemente o povo de Deus foi abandonado por Ele. Tempo de penúria e de crescimento. Tempo de descoberta e reconhecimento da culpa. Os fortes são os escolhidos, os que estão à frente são os mais tentados, provados e testados. Deus nos permite também o tempo do exílio para que possamos estar preparados a enfrentar as situações difíceis da nossa vida sabendo que dependemos completamente do Seu auxilio. O tempo do exílio é um tempo de lamento e de reconhecimento do nosso ser pecador. Babilônia significa para nós o inimigo de Deus e somente Ele poderá nos tirar de lá. Há tempo para tudo, há também, para o exílio, expatriação, tempo em que nos sentimos separados, longe da graça, sem lar, sem templo, sem vez nem voz. Mas é tempo também de arrependimento e de expiação. Deus proverá tudo! Nós não podemos ficar somente na bonança, o Senhor sabe o tempo em que, para o nosso crescimento, as coisas precisam acontecer. – Você já se sentiu abandonado (a) por Deus? - O que você entende por estar no exílio?
Você também já experimentou esse tempo de solidão e abandono de Deus? – Como você conseguiu superar essa fase da sua vida? – Você sente o poder do inimigo? – Quem é o seu maior inimigo?

Salmo 78 – “Por vosso nome e vossa glória, libertai-nos, ó Senhor!”

O homem provado e atribulado possui um coração humilde e suplicante. Assim como nos fala o Salmo: “não lembreis as nossas culpas do passado, mas venha logo sobre nós vossa bondade, pois estamos humilhados ao extremo.” Nós também temos tempos de exílio na nossa vida, onde nos sentimos sós, abandonados, porém nunca deveremos perder a esperança e a confiança de que o Senhor conhece toda a nossa história e sabe precisamente o tempo em que nós precisamos ser exercitados.

Evangelho – Mateus 7, 21-29 – “Firmados na Rocha”

Jesus nos adverte: para que possamos entrar no reino dos céus precisamos estar firmes no seguimento da vontade de Deus que se nos apresenta por meio da sua Palavra. A nossa entrada no reino dos céus não acontece em vista de “palavras pronunciadas, orações recitadas e pregações bem elaboradas. Não nos adiantará nada clamar e chamar Senhor, Senhor, e não pôr em prática a Sua vontade para a nossa vida. As nossas ações têm mais eficácia do que as nossas palavras, portanto, se não praticarmos o que dissermos tudo será igual a nada. Praticar o mal é não fazer conforme nos direciona a Palavra de Deus e agir conforme os nossos próprios pensamentos humanos seguindo a nossa vontade. Por isso, Jesus nos mostra no Evangelho que ouvir a Palavra e praticá-la é como construir a casa na rocha. A casa construída sobre a rocha é a vida do homem que caminha à luz da Palavra de Deus seguindo os Seus ensinamentos para enfrentar os desafios do dia a dia. A Rocha é Deus! A Rocha é o Seu Amor! A Rocha é a vontade de Deus! Assim sendo, todos aqueles que se ajustam à Sua vontade, terão uma vida firme, confiante e as tempestades, os terremotos, os ventos não os abalarão. As dificuldades da nossa vida são momentos preciosos para percebermos se estamos ou não firmes sobre a R0CHA. Quando passamos pelas dificuldades, mas não perdemos o rumo, é sinal de que estamos fundados e protegidos sob a guarda de Deus. - Como você está construindo a casa da sua vida: na rocha ou na areia? – Você já experimentou alguma tempestade na sua vida? Como ficou a sua casa? –- Você sente firmeza nos seus pés nas horas das dificuldades? - Você acha que a sua vida está firmada sobre a Rocha ou você é um “homem sem juízo”? - Em que a Palavra de Deus tem o (a) instruído.

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

EVANGELHO DO DIA

Mateus 7,21-29

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 21“Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus. 22Naquele dia, muitos vão me dizer: ‘Senhor, Senhor, não foi em teu nome que profetizamos? Não foi em teu nome que expulsamos demônios? E não foi em teu nome que fizemos muitos milagres? 23Então eu lhes direi publicamente: Jamais vos conheci. Afastai-vos de mim, vós que praticais o mal.
24Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática, é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha. 25Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas a casa não caiu, porque estava construída sobre a rocha. 26Por outro lado, quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática, é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. 27Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e a casa caiu, e sua ruína foi completa!” 28Quando Jesus acabou de dizer estas palavras, as multidões ficaram admiradas com seu ensinamento. 29De fato, ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os mestres da lei. Palavra da Salvação.

SANTO DO DIA - SANTO IRINEU

Celebramos a memória do grande bispo e mártir, Santo Irineu que, pelos seus escritos, tornou-se o mais importante dos escritores cristãos do século II. Nascido na Ásia Menor, foi discípulo de São Policarpo, que por sua vez conviveu diretamente com o Apóstolo São João, o Evangelista.

Ao ser ordenado por São Policarpo, Irineu foi para a França e assumiu várias funções de serviço à Igreja de Cristo (que crescia em número de comunidades e necessidade de pastoreio). Importante contribuição deu à Igreja do Oriente quando foi em missão de paz para um diálogo com o Papa Eleutério sobre a falta de unidade na data da celebração da Páscoa, pois o Oriente corria ao risco de excomunhão, sendo fiel ao significado do seu próprio nome – portador da paz – logrou êxito nessa missão, já que isto nada interferia na unidade da fé.

Ao voltar da missão deparou-se com a morte do bispo Potino, o qual o havia enviado para Roma e, sendo assim, foi ele o escolhido para sucessor do episcopado de Lião. Erudito, simples, orante e zeloso bispo, foi Santo Irineu quem escreveu contra os hereges, sobre a sucessão apostólica e muito dos dados que temos hoje, sobre a história da Igreja do século II. Este grande bispo morreu mártir na perseguição do imperador Severo.

Santo Irineu, rogai por nós!

quarta-feira, 27 de junho de 2012

ENCERRA-SE DAQUI A POUCO O TRIDUO EM HONRA A NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO










Com uma procissão, programada para as 18h30, com a imagem de Nossa Senhora percorrendo ruas próximas da Capela, que fica nas proximidades do Iguatemi, será encerrado hoje o triduo em honra a NOssa Senhora do Perpétuo Socorro, iniciado no último domingo.Depois da procissão, missa, celebrada pelo padre Gabriel Mendonza, e dando sequência a noite, arreamento da bandeira e, finalmente, barraca, com comidas tipicas; rifas e bingo
QUADRILHA
A noite passada, que começou com novena e Adoração ao Santíssimo, terminou com uma apresentação da quadrilha Zé Testinha, que empolgou a todos, que não pouparam aplausos para os brincantes com suas danças e cânticos, como mostram as fotos de José Maria Melo.

AUTORREALIZAÇÃO NÃO É CONQUISTADA NO PODER, EXPLICA BENTO XVI


Na sala Paulo VI, no Vaticano, o Papa recebeu fiéis e peregrinos de diversas partes do mundo

A lógica humana busca muitas vezes a autorrealização no poder, no domínio, mas a Encarnação e a Cruz “nos recordam que a plena realização está no conformar a própria vontade humana àquela do Pai, no esvaziar-se do próprio egoísmo para encher-se do amor e da caridade de Deus” e, assim, ser capaz de amar os outros. Foi o que enfatizou o Papa Bento XVI na audiência geral desta quarta-feira, 27.

Na Sala Paulo VI, no Vaticano, o Pontífice deu continuidade ao ciclo de catequese sobre a oração segundo as Cartas de São Paulo. Desta vez, ele refletiu sobre a Carta aos Filipenses, escrita enquanto o apóstolo estava na prisão. Mesmo diante da morte iminente ele encontra força e alegria, pois o “Apóstolo nunca afastou seu olhar de Cristo, tornando-se semelhante a Ele na morte, ‘com a esperança de conseguir a ressurreição dentre os mortos'".

Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Catequese de Bento XVI: Oração nas Cartas de Paulo - 27/06/2012

Assim, o Santo Padre destacou que o homem não consegue se encontrar fechado em si mesmo. "É necessário ter uma escala de valores na qual em primeiro lugar está Deus, para afirmar como São Paulo: ‘julgo como perda todas as coisas, em comparação com esse bem supremo: o conhecimento de Jesus Cristo, meu Senhor’ (Fl 3,8). O encontro com o Ressuscitado lhe fez compreender que é Ele o único tesouro pelo qual vale a pena gastar a própria existência", salienta Bento XVI.


Como rezar


O Papa também especificou qual a melhor maneira de rezar, ressaltando que a oração é feita de silêncio e palavra, de canto e de gestos que envolvem a pessoa inteira: da boca à mente, do coração ao corpo inteiro.

"O ajoelhar-se diante do Santíssimo Sacramento ou colocar-se de joelhos na oração expressa justamente a atitude de adoração diante de Deus, também com o corpo. Daí a importância de fazer isso não por hábito, com pressa, mas com profunda consciência. Quando nos ajoelhamos diante do Senhor, nós professamos a nossa fé Nele, reconhecemos que é Ele o único Senhor da nossa vida”, afirmou.

Por fim, o Santo Padre aconselhou os fiéis a fixar o olhar sobre o crucifixo durante a oração, colocar-se em adoração mais vezes diante da Eucaristia e entregar a própria vida ao amor de Deus, "que se inclinou com humildade para elevar-nos até Ele".

Nicole Melhado/Canção Nova Notícias



SANTA SÉ INFORMA MUDANÇAS NO RITO DE BÊNÇÃO E IMPOSIÇÃO DO PÁLIO


Rito de benção e imposição do pálio, em 2011
A Sala de Imprensa da Santa Sé informou em nota nesta quarta-feira, 27, o novo desenvolvimento do rito de benção e imposição do pálio aos arcebispos metropolitanos. O rito será no próximo dia 29, solenidade de São Pedro e São Paulo.

“O rito – diz o texto – substancialmente não variou. No entanto, desde este ano, seguindo a lógica de um avanço da continuidade, se pensou, somente, em uma colocação diversa do rito em si, que terá lugar antes do início da celebração eucarística”.

A modificação foi aprovada pelo Santo Padre e se deve a três motivos. O primeiro é para abreviar a duração do rito. Desta forma, a lista dos novos arcebispos metropolitanos será lida pouco antes da entrada da procissão inicial e do canto “Tu és Pedro”, fora da celebração. Quando o Santo Padre chegar ao altar, se procederá imediatamente ao rito dos pálios.

Outro motivo é evitar que a celebração eucarística seja “interrompida” por um rito excessivamente longo (os bispos metropolitanos são cerca de 45 todos os anos), o que poderia dificultar a participação atenta na Santa Missa. A mudança também quer trazer uma maior atenção ao desenvolvimento da imposição do pálio, tal e como está previsto no “Ceremoniale Episcoporum” e evitar que, devido à sua colocação depois da homilia – como acontecia antes -, se possa pensar em um rito sacramental.

De fato, os ritos que se incorporam à celebração eucarística depois da homilia são, naturalmente, ritos sacramentais: batismo, confirmação, ordem, matrimônio, unção dos enfermos. A imposição do pálio não tem caráter sacramental.

O pálio

O Pálio é uma espécie de colarinho de lã branca, com cerca de cinco centímetros de largura e dois apêndices. Nele estão bordadas seis cruzes. É confeccionado com a lã de dois cordeirinhos, ofertados ao Papa por jovens romanas, no dia 21 de janeiro de cada ano, data da festa de Santa Inês. A lã posteriormente é tecida pelas monjas beneditinas do Mosteiro de Santa Cecília, em Roma.

Arcebispos

Neste ano, sete arcebispos brasileiros receberão o pálio. São eles: arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck;, arcebispo de Niterói, Dom José Francisco Rezende Dias; arcebispo de Porto Velho, Dom Esmeraldo Barreto de Farias; arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha; arcebispo de Campinas, Dom Airton José dos Santos; arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho e o arcebispo de Uberaba, Dom Paulo Mendes Peixoto.

Veja abaixo a lista dos arcebispos metropolitanos que receberão o pálio neste ano:

- Cardeal Rainer Maria Woelki, arcebispo de Berlin (Alemanha)

- Cardeal Francisco Robles Ortega, arcebispo de Guadalajara (México)

- Dom Francesco Moraglia, Patriarca de Veneza(Itália)

- Dom Alfredo Horacio Zecca , arcebispo de Tucumán (Argentina)

- Dom Mario Alberto Molina Palma, O.A.R. , arcebispo de Los Altos, Quetzaltenango-Totonicapán (Guatemala).

- Dom Charles Joseph Chaput, O.F.M. Cap., arcebispo de Filadélfia (USA)

- Dom Luc Cyr, arcebispo di Sherbrooke (Canadá)

- Dom Salvador Piñeiro García-Calderón, arcebispo de Ayacucho o Huamanga (Perú)

- Dom Francesco Panfilo, S.D.B., arcebispo de Rabaul (Papua Nova Guiné)

- Dom Ulises Antonio Gutiérrez Reyes, O. de M., arcebispo de Cidade Bolívar (Venezuela)

- Dom Stanisław Budzik, arcebispo de Lublin (Polônia)

- Dom Wilson Tadeu Jönck, S.C.I., arcebispo de Florianópolis (Brasil)

- Dom Paul-André Durocher, arcebispo de Gatineau (Canadá)

- Dom Luis Antonio G. Tagle, arcebispo de Manila (Filipinas)

- Dom Patrick D’Rozario, C.S.C., arcebispo de Dhaka (Bangladesh)

- Dom Wiktor Paweł Skworc , arcebispo de Katowice (Polônia)

- Dom Jose F. Advincula, arcebispo de Capiz (Filipinas)

- Dom Filippo Santoro, arcebispo de Taranto (Itália)

- Dom José Francisco Rezende Dias, arcebispo de Niterói (Brasil)

- Dom Esmeraldo Barreto de Farias, Ist. del Prado, arcebispo de Porto Velho (Brasil).

- Dom Jaime Vieira Rocha, arcebispo de Natal (Brasil).

- Dom Joseph Harris, C.S.Sp. , arcebispo de Port of Spain (Antilhas).

- Dom Wacław Depo, arcebispo de Częstochowa (Polônia).

- Dom Ignatius Chama, arcebispo de Kasama (Zâmbia)

- Dom Pascal Wintzer. , arcebispo de Poitiers (França)

- Dom John Moolachira, arcebispo de Guwahati (Índia)

- Dom William Charles Skurla, arcebispo de Pittsburgh dei Bizantini (USA).

- Dom Joseph Coutts, arcebispo o de Karachi (Paquistão)

- Dom Rômulo Geolina Valles, arcebispo de Davao (Filipinas)

- Dom Airton José dos Santos, arcebispo de Campinas (Brasil)

- Dom Timothy Costelloe, S.D.B., arcebispo de Perth (Austrália)

- Dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho, arcebispo de Teresina (Brasil)

- Dom Thomas D’Souza, arcebispo de Calcutá (Índia)

- Mons. Arrigo MIGLIO, arzobispo de Cagliari (Italia)

- Dom John F. Du, arcebispo de Palo (Filipinas)

- Dom Paulo Mendes Peixoto, arcebispo de Uberaba (Brasil)

- Dom Christian Lépine, arcebispo de Montreal (Canadá)

- Dom William Edward Lori, arcebispo de Baltimore (USA)

- Dom Mark Benedict Coleridge, arcebispo de Brisbane (Austrália)

- Dom Jesús Carlos Cabrero Romero, arcebispo de San Luis Potosí (México)

- Dom Andrew Yeom Soo Jung, arcebispo de Seul (Coréia)

- Dom Benedito Roberto, C.S.Sp. arcebispo de Malanje (Angola)

- Dom Alfred Adewale Martins, arcebispo de Lagos (Nigéria)

- Dom Samuel Joseph Aquila, arcebispo de Denver (USA)

Receberão o pálio em suas sedes metropolitanas:

- Dom Gabriel Justice Yaw Anokye, arcebispo de Kumasi (Gana)

- Dom Valéry Vienneau, arcebispo de Moncton (Canadá)

Canção Nova Notícias, com Serviço de Informação do Vaticano




PAPA NOMEIA DOIS NOVOS BISPOS PARA O BRASIL

CANÇÃO NOVA PROMOVE ENCONTRO DE ORAÇÃO

Tendo como pregadores principais Márcio Todeschini e Alexandre Oliveira, a comunidade católica Canção Nova promoverá, de 30 de junho a 1º de julho, no ginásio do Colégio salesiano, na Avenida João Pessoa, 5920, no bairro Damas, em Fortaleza,com entrada pela Rua Ceará, o encontro de Oração "A Força do Amor". Mais informações pelos telefones (85) 3391.4065 e 3391.4445. Ingresso: R$ 5,00.

REFLEXÕES DAS LEITURAS DE HOJE

27/06/12 - 4ª. Feira - XII semana do tempo comum

– 2 Reis 22,8-13; 23,1-3 – “onde está o livro da Aliança?”

O Livro da Aliança é a Palavra de Deus que contém os ensinamentos que devem nortear a nossa vida. Naquele tempo o livro da Aliança contendo os mandamentos do Senhor foi durante muito tempo esquecido no templo de Jerusalém. Somente no reinado de Josias ele foi reencontrado pelos sacerdotes do templo e levado ao rei para que tomasse conhecimento das suas palavras. Diante de Deus o rei Josias se redimiu das faltas do povo que desprezara a Sua Palavra e os Seus ensinamentos. Rasgando suas vestes, o rei expressou todo o seu pesar. Depois, ele convocou os homens de Judá e os habitantes de Jerusalém a observarem os mandamentos e os preceitos do Senhor para que a aliança de Deus com o Seu povo tivesse continuidade e assim, eles pudessem ter uma vida promissora. Precisamos, pois, também, reencontrarmos a Palavra de Deus que dá sentido a nossa caminhada. O Senhor está sempre nos dando novas oportunidades para que possamos seguir a Sua Lei e reconstruir com Ele a Aliança do seu amor. Às vezes, também nós, quebramos a aliança que fizemos com Deus quando “esquecemos ou desprezamos a Sua Palavra, quando a escondemos da nossa vista e não a cultivamos no nosso coração. O Senhor não quer nos deixar entregues à própria sorte nem às sugestões da nossa humanidade preguiçosa. Ele envia alguém que nos ajuda a reencontrar o Livro da Aliança que está escondido dentro de nós e nos ensina a viver os Seus preceitos e guardá-los fielmente até o fim da nossa vida. Cabe a cada um de nós nos mantermos firmes e fiéis na leitura, na reflexão e na vivência desses preceitos que se constituem na nossa regra de bom viver e de felicidade. – Você também deixou que se perdesse o Livro da Aliança do Senhor? – - Aonde você costuma deixar a Palavra de Deus: guardada na gaveta do armário ou no seu coração? – Você tem feito uso da Palavra na sua vida? – Você tem consciência do que a Palavra do Senhor tem lhe revelado?

Salmo 118 – “Ensinai-me a viver vossos preceitos, ó Senhor”

Este salmo nos ensina a pedir ao Senhor que nos mantenha fiéis à Sua Palavra. Com ele nós aprendemos a suplicar a Deus a sabedoria, e, principalmente, a orientação para que possamos andar no caminho que Ele traçou para nós. Este caminho deve ser palmilhado passo a passo dentro de nós. É um caminho espiritual que nos leva a viver sob o olhar amoroso do Pai e a enxergar as coisas do mundo na perspectiva do alto.

Evangelho - Mateus 7, 15-20 - " pelos frutos se conhece a árvore”

Neste Evangelho, Jesus nos ensina a identificar os falsos profetas que, às vezes, se aproximam de nós com aparência de verdadeiros santos. No nosso dia a dia encontramos pessoas as mais diversas, que têm enorme influência na nossa vida. Com efeito, Jesus nos chama a atenção para que tenhamos cuidado, principalmente, com aquelas por quem nos sentimos atraídos (as) em vista do que aparentam e do que apregoam. Ele nos orienta a que, antes de cairmos na tentação de segui-las e obedecê-las, procuremos conhecê-las observando as suas ações, atitudes, gestos, comportamento. Às vezes nós encontramos pessoas ”iluminadas” que nos dão conselhos até para praticar o que é mal. A esses, Jesus denomina de “falsos profetas”, pois, “em nome de Deus” nos aconselham e nos fazem propostas as mais diversas, com o intuito de nos desvirtuar dos verdadeiros conceitos evangélicos. Assim sendo, não devemos nos enganar com os falsos profetas que se apresentam a nós como pessoas de Deus. Devemos observar, as suas ações e suas consequências, a fim de que possamos optar pelo caminho de Deus. Para que tenhamos a garantia de que são pessoas de Deus ou não, Jesus nos manda observar os seus frutos comparando-as com árvores que produzem frutos bons e árvores que produzem frutos maus. E afirma: “toda árvore boa produz frutos bons e toda árvore má produz frutos maus”. Não nos deixemos enganar: o mau vem do maligno que tenta nos confundir, mas o fruto do Espírito é o bem, que é cheio de paz, amor, serenidade, bondade, alegria, longanimidade, paciência etc. Se, as pessoas que nos abordam, não têm atitudes coerentes com a paz, brandura, temperança, sinceridade, então já podemos perceber que elas não são árvores que dão bons frutos. No entanto, nós precisamos perceber se não estamos também enquadrados no perfil de “falsos profetas que se vestem com peles de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes.” Nós também somos como as árvores e, na medida em que nos deixamos ser tratadas e adubadas pelo Senhor, seguindo os Seus ensinamentos, a nossa vida será profícua e fecunda e, assim poderemos contribuir para que o mundo se eleve. Do contrário, seremos como uma árvore sem serventia que será cortada e jogada no fogo, isto é, desaparecemos na nossa inoperância. – O que você considera como fruto bom e como fruto mal?- Você tem tido contato com pessoas que o (a) aconselham? – Qual é o sentimento que você tem ao conversar com elas?- Você confirma na Palavra de Deus os conselhos que essas pessoas lhe dão? – Você é daquelas pessoas ávidas por novidades e gosta de ler tudo o quanto causa polêmica, pondo em julgamento a Palavra de Deus? – Que frutos você tem dado para o mundo?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

EVANGELHO DO DIA

Mateus 7,15-20

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 15“Cuidado com os falsos profetas: Eles vêm até vós vestidos com peles de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes. 16Vós os conhecereis pelos seus frutos. Por acaso se colhem uvas de espinheiros ou figos de urtigas? 17Assim, toda árvore boa produz frutos bons, e toda árvore má, produz frutos maus. 18Uma árvore boa não pode dar frutos maus, nem uma árvore má pode produzir frutos bons. 19Toda a árvore que não dá bons frutos é cortada e jogada no fogo. 20Portanto, pelos seus frutos vós os conhe­ce­reis”. Palavra da Salvação.

SANTO DO DIA - NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro A devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro começou a ser propagada a partir de 1870 e espalhou-se por todo o mundo. Trata-se de uma pintura do século XIII, de estilo bizantino. Segundo a tradição, foi trazida de Creta, Grécia, por um negociante. E, desde 1499, foi honrada na Igreja de São Mateus in Merulana..

Em 1812, o velho Santuário foi demolido. O quadro foi colocado, então, num oratório dos padres agostinianos. Em 1866, os redentoristas obtiveram de Pio IX o quadro da imagem milagrosa. Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi colocada na Igreja de Santo Afonso, em Roma. De semblante grave e melancólico, Nossa Senhora traz no braço esquerdo o Menino Jesus, ao qual o Arcanjo Gabriel apresenta quatro cravos e uma cruz. Ela é a senhora da morte e a rainha da vida, o Auxílio dos cristãos, o socorro seguro e certo dos que a invocam com amor filial.

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, rogai por nós!

terça-feira, 26 de junho de 2012

PAPA FAZ NOMEAÇÕES IMPORTANTES PARA ORGANISMOS DA SANTA SÉ

A terça-feira, 26, foi um dia importante para a Cúria Romana que, além do dicastério vaticano para a Família – com novo presidente, teve outras nomeações.Bento XVI chamou para novo arquivista e bibliotecário de Santa Romana Igreja o Arcebispo Jean-Louis Bruguès (francês), até então secretário da Congregação para a Educação Católica.Além disso, o Papa nomeou como vice-presidente da Pontifícia Comissão Ecclesia Dei, o Arcebispo Joseph Augustine Di Noia, até então secretário da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos. Para essa última função, o Santo Padre nomeou Dom Arthur Roche, até então bispo de Leeds, na Inglaterra, elevado à dignidade de arcebispo.Ademais, Bento XVI aceitou a renúncia – apresentada por limite de idade – do Arcebispo Piergiuseppe Vacchelli ao encargo de secretário adjunto da Congregação para a Evangelização dos Povos e de presidente das Pontifícias Obras Missionárias, chamando a sucedê-lo nos mesmos encargos o bispo de Kigoma, na Tanzânia, Dom Protase Rugambwa, elevando-o, ao mesmo tempo, à dignidade de arcebispo.Por fim, o Santo Padre aceitou a renúncia – apresentada por limite de idade – do Bispo Gianfranco Girotti ao encargo de regente da Penitenciaria Apostólica, e chamou a substituí-lo Dom Krzysztof Józef Nykiel, até então oficial da Congregação para a Doutrina da Fé.Dom Augustine Di NoiaEm particular, sobre a nomeação do novo vice-presidente da Pontifícia Comissão Ecclesia Dei, a Congregação para a Doutrina da Fé divulgou uma nota na qual afirma que a escolha de destinar a tal encargo uma personalidade de tão alto perfil constitui "sinal da solicitude pastoral do Santo Padre para com os tradicionalistas em comunhão com a Santa Sé" e, ao mesmo tempo, do "seu forte desejo de reconciliação com as comunidades tradicionalistas não-unidas à Sé de Pedro".A nota prossegue recordando que a Pontifícia Comissão Ecclesia Dei, conduzida pelo Cardeal William Joseph Levada, foi fundada em 1988 pelo Beato João Paulo II para facilitar a "plena comunhão eclesial dos sacerdotes, seminaristas, comunidades ou religiosos – singularmente considerados – até hoje de algum modo ligados à Fraternidade fundada por Dom Marcel Lefebvre", e a fim de promover o cuidado pastoral para com os fiéis ligados à antiga tradição litúrgica latina da Igreja Católica.Em 2009, a Pontifícia Comissão foi estruturalmente anexada à Congregação para a Doutrina da Fé para enfrentar as questões doutrinais no diálogo em andamento entre a Santa Sé e a Fraternidade Sacerdotal São Pio X."Como respeitado teólogo dominicano – lê-se ainda na nota da Congregação para a Doutrina da Fé –, o Arcebispo Di Noia dedicou muita atenção a esses temas doutrinais, bem como à prioridade da hermenêutica da continuidade e da reforma na justa interpretação do Concílio Vaticano II, uma área de importância crucial no diálogo entre a Santa Sé e a Fraternidade Sacerdotal."Tal diálogo, se precisa, "prosseguiu nos últimos três anos" sob a condução do Cardeal Levada, com a assistência do secretário da Pontifícia Comissão, Mons. Guido Pozzo.Além disso, conclui a nota, "o amplo respeito de que goza o Arcebispo Di Noia na comunidade judaica ajudará a resolver alguns problemas surgidos em matéria de relações judaico-católicas, do mesmo modo como progrediu o caminho rumo à reconciliação das comunidades tradicionalistas".

Canção Nova Notícias, com Rádio Vaticano

QUADRILHA ZÉ TESTINHA NA FESTA DE NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO





Nas fotos de José Maria Melo o padre Cristiano ao lado da imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, o ministério de música da Igreja Matriz, mais conhecido por Capela do Menino Deus e o padre Cristiano conversando com paroquianos, devotos de Nossa Senhora.
































A Paróquia São João Eudes, no bairro Luciano Cavalcante, em Fortaleza, realiza até amanhá, dia 27, a festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, padroeira da Capela no Conjunto Guararapes, nas proximidades do Iguatemi. Durante as noites do triduo, que começou no último domingo, estão sendo celebradas missas, novenas e adoração ao Santíssimo Sacramento.O triduo em honra a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro tem sequência esta noite, a partir das 19 horas, com adoração ao Santíssimo Sacramento, novena e Missa, celebrada pelo padre Cristiano. Depois, uma apresentação da quadrilha junina Zé Testinha, uma das mais conhecidas não só em nosso Estado como em todo o Nordeste. Durante a apresentação, barraca com comidas tipicas.


MARCELO BARROS PREGA NO RETIRO DAS PASTORAIS SOCIAIS

As Pastorais sociais, CEBs e Organismos do Regional Nordeste I promovem nos dias 28, 29 e 30 de junho, na Casa de Encontro da irmã Iolanda, na Rua Aracaju, 1299, Bairro Henrique Jorge, seu retiro anual com a presença do Monge Beneditino Marcelo Barros. As pastorais irão refletir o tema “Justiça e Profecia a Serviço da Vida”, que faz sintonia com o tema do 13º Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Bases (CEBs).
O retiro iniciará na noite do dia 28 de junho com um momento celebrativo com o objetivo de fortalecer a esperança, a fé e a profecia no serviço da vida. Durante o retiro as Pastorais Sociais, CEBs e Organismos também irão discutir a participação das dioceses na construção da 5ª Semana Social Brasileira iniciada no último 18 de maio.
Regilvânia Matheus, membro da coordenação Regional das Pastorais Sociais, CEBs e Organismos, disse que o retiro é um momento de parada e reflexão, sendo um espaço para alimentar a esperança e fortalecer a caminhada em defesa e cuidado com a vida. Regilvânia disse ainda que “a presença de Marcelo Barros faz diferença por todo seu testemunho e compromisso com a defesa da vida e com um novo jeito de nossa Igreja ser”.
Cada participante deve contribuir com R$ 60,00 e preencher uma ficha de inscrição que está disponível na Cáritas Ceará.
Informações com Regilvânia Matheus (Cáritas Regional Ceará e membro da coordenação das Pastorais Sociais, CEBs e Organismos) (85) 9934 3903 ou Jeane Freitas (Assessora de Comunicação da Cáritas Regional Ceará) (85) 8768 9865.

Fonte: Site da Arquidiocese de Fortaleza

COMUNIDADE HESED REALIZA JANTAR COM O PADRE ANTÔNIO MARIA


Com um jantar no Hotel Gran Marquise,na Avenida Beira-Mar, a Comunidade Católica Hesed (Misericórdia) promove, amanhã, dia 27, um momento musical com o padre Antônio Maria, irmã Kelly Patrícia e Paulo José.
Os promotores do evento dizem que "no mês do amor dos amores, o Sagrado Coração de Jesus, vamos celebrar o amor: humano e divino". Todos estão convidados, especialmente os casais. Os convites podem ser adquiridos na Livraria Imaculada Conceição, na Aldeota, em frente a Igreja da Paz e podem obter informações pelos telefones (85) 3274.5767 e 3242.4262.

DOM VICENZO PAGLIA É O NOVO PRESIDENTE DO PONTIFÍCIO CONSELHO PARA A FAMÍLIA



Nesta terça-feira, 26 de junho, o papa Bento XVI anunciou a renúncia ao cargo do cardeal Ennio Antonelli, presidente do Pontifício Conselho para a Família, 75 anos. Em seu lugar, foi nomeado dom Vincenzo Paglia, até o momento bispo de Terni Narni Amelia, que automaticamente recebe a dignidade de arc...






ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE LANÇ.A SITE DA SEMANA MISSIONÁRIA

ELEITO O ADMINISTRADOR PARA A ARQUIDIOCESE DE RIBEIRÃO PRETO

colegioconsultoresribeiraopreto2012Conforme prescreve as normas do Código de Direito Canônico, por ocasião do falecimento de dom Joviano de Lima Júnior, no dia 21 de junho e a vacância da Sé Metropolitana de Ribeirão Preto, o Colégio de Consultores se reuniu no dia 25 de junho, na Cúria Metropolitana, e elegeu o padre Nasser Kehdy Netto, administrador arquidiocesano da arquidiocese de Ribeirão Preto. Ele administrará a arquidiocese até que o Santo Padre, o papa Bento XVI, nomeie o novo arcebispo Metropolitano.

Padre Nasser Kehdy nasceu em maio de 1941 e é natural de Nova Granada (SP). Cursou Filosofia entre os anos de 1958 a 1960 no Seminário Central do Ipiranga, em São Paulo, e no Seminário de Filosofia, de Aparecida (SP). A partir de setembro de 1960 ingressou no Colégio Pio Brasileiro, em Roma (Itália), e conclui em 1964 o bacharelato em Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana. Foi ordenado presbítero em 14 de março de 1964, pelas mãos de dom Eugênio de Araújo Sales, em Roma.

Na arquidiocese de Ribeirão Preto exerceu as seguintes atividades: Pastoral Vocacional; Grupos de Garotos Perseverança: de 1966-1969; 1974-1984; Seminário Menor: 1969-1973; Seminário Maior: 1979-1983; Coordenador de Pastoral: 1990-1998; Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Brodowski, primeiro como Vigário Paroquial de 1974-2000, e pároco de 1974-1983; Pároco de São Lourenço, em Pontal, desde 1984 (atual); Membro do Cabido Metropolitano; Juiz Auditor na Câmara Eclesiástica de Ribeirão Preto e Juiz do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano (RP-1).


CNBB

GLOBALILZAÇÃO DA SOLIDARIEDADE

ARQUIDIOCESE REALIZA RETIRO ESPIRITUAL ANUAL DO PRESBITÉRIO

Acontecerá de 2 até 6 de julho, no Seminário Arquidiocesano São José - Teologia, no Bairro Castelão, o Primeiro Retiro Espiritual Anual do Presbitério Arquidiocesano, indispensável para todos os sacerdotes. O Orientador será Dom Anuar Batisti, Arcebispo de Maringá - PR.

A organização do Retiro Espiritual Anual do Presbitério Arquidiocesano comunica que todos os participantes levem estola verde e vermelha; e a Liturgia das Horas para as celebrações em comum. O Retiro começa dia 2 de julho - segunda-feira (inícia com jantar) a 6 de julho - sexta-feira (terminando com almoço). Informações pelo telefone (85) 3388 8725.

Fonte: Arquidiocese de Fortaleza

DIA 15 DE JULHO, O IX ENCONTRO DE JOVENS DA ORDEM DOS CARMELITAS DESCALÇOS SECULARES

Dia 15 de julho, das 8 às 17 horas, no Colégio Piamarta, no bairro Montese (Sede Junior), em Fortaleza, será realizado IX Encontro de Jovens da Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares - OCDS tendo como tema “Para vós nasci” e como lema “Que mandais fazer de mim?”. O encontro constará de palestras, santa missa, oração teresíana, recreio carmelitano e oficina dos Santos Carmelos. As inscrições vão até o dia 10 de julho. Informações pelo telefone (85) 9603 5707.

PAULUS PROMOVE PALESTRA SOBRE O LIVRO "NOVOS DESAFIOS PARA O CRISTIANISMO"

Acontecerá no dia 30 de junho, às 9h30min, no Auditório da Livraria Paulus, uma Palestra sobre o Livro: “Novos Desafios para o Cristianismo” com a contribuição de José Comblin - editora Paulus. O facilitador será Eduardo Hoornaert. Inscrição gratuita. A Paulus Livraria fica na Rua Floriano Peixoto, nº 523 – Centro. Informações pelo telefone (85) 3252 4201.

A Paulus Livraria fará também o lançamento do Livro "Eneagrama - sua dose diária" também no dia 30, às 17 horas, no CEU - Condomínio Espiritual Uirapuru, bairro Castelão – Fortaleza - CE. O Quarto livro de Domingos Cunha, CSh sobre o Eneagrama traz a proposta de fazer interagir conteúdo, autor e leitor. O Eneagrama, esse mapa psicoespiritual, preciso, prático e profundo, estudado com o auxílio de parábolas, serve de itinerário em busca da essência para que “todos tenham vida e vida em plenitude”. Informações pelo telefone 3252 4201.

Fonte: Pascom da Arquidiocese de Fortaleza

ASSEMBLEIA PRESTA HOMENAGEM AO PADRE "FERREIRINHA"

O Presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, Deputado Roberto Cláudio convidando para a Sessão Solene, de amanhã, dia 27, às 19 horas, no Plenário 13 de Maio, 2807, no bairro Dionísio Torres, em comemoração aos Oitenta anos de nascimento do Padre Manoel de Castro Ferreira,Ferreirinha, Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Patrocínio e Santa Edwiges. O requerimento é de autoria do Deputado Estadual Augustinho Moreira. Informações para confirmar (85) 3277-2582.

Fonte: Pascom da Arquidiocese de Fortaleza

REFLEXÕES DAS LEITURAS DE HOJE

26/06/12 - 3a. Feira – XII semana do tempo comum

- 2 Reis 19,9-11.14-21.31-36 - “ a vitória é do Senhor”

Saber que o Senhor escuta as nossas orações, vê as nossas ações, é condição indispensável para que possamos enfrentar nesta vida os “reis” que nos ameaçam e querem nos desestimular quando pomos a nossa confiança no Deus Onipotente. Diante da audácia e da prepotência do rei da Assíria o qual duvidava da ação de Deus para salvar Jerusalém o rei de Judá, Ezequias, adotou a atitude mais correta e eficaz: reconhecendo a sua incapacidade rogou ao único Deus, criador do céu e da terra que livrasse Jerusalém das mãos do inimigo a fim de que todos os reinos da terra conhecessem o Seu poder. E o Senhor respondeu a sua oração com a promessa de proteção para a cidade e cumpriu com o juramento. Deus está muito perto de cada um de nós e sabe de tudo que se passa nos nossos corações, por isso, o socorro Dele é seguro. Não podemos duvidar das suas ações nem da Sua intervenção. Muitas vezes, por causa das ameaças e das chantagens nós temos a tentação de nos entregar e aceitar a derrota nos conformando às situações que não são da vontade de Deus, porque não O buscamos na oração. Na prática, quando nós, em oração, apresentamos ao Senhor os nossos questionamentos, assim como também as circunstâncias delicadas as quais enfrentamos, nós conseguimos fazer escolhas mais acertadas, temos mais coragem para tomar decisões e os nossos “inimigos” tornam-se fáceis de ser vencidos. Em todas as ocasiões que apresentarmos ao Senhor os nossos temores, problemas e dificuldades poderemos ter a certeza de que mesmo tendo que enfrentar o inimigo face a face, a vitória será certa, pois o Senhor nos livra do mal. Portanto, não percamos tempo sofrendo em desespero e entregando o “ouro ao bandido”, mas recorramos ao “único Deus de todos os reinos da terra” “aquele que ouve e vê e atende os nossos pedidos”, para que todos conheçam Aquele que verdadeiramente tem poder. - O que você faz quando as pessoas o (a) desestimulam, e questionam a ação de Deus na sua vida? – Você costuma desanimar diante das tentações ou pede socorro ao Senhor? – Você confia no Senhor mesmo quando todos à sua volta dizem o contrário?

Salmo 47 – “O Senhor estabelece sua cidade para sempre”

O salmo fala da cidade em que Deus mora! A mansão do grande rei é a nossa alma, cidade forte, bem vigiada. É lá que Deus se revela, pois escuta os nossos pensamentos e conhece os nossos sentimentos. O nosso coração é o monte onde nos colocamos em oração e a Ele prestamos louvor e adoração recordando a Sua bondade para dar testemunho em toda a terra. Na cidade de Deus somos preparados (as) para enfrentar as feras do mundo.

Evangelho – Mateus 7, 6.12-14 – “uma via de mão dupla ”

Jesus nos exorta a levarmos a sério nossa vivência de cristãos comprometidos com o Seu seguimento, não dando aos “cães as coisas santas” nem “atirando aos porcos as nossas pérolas”. As coisas santas são as coisas de Deus com as quais convivemos, participamos, usufruímos, vivenciamos e experimentamos. As nossas pérolas são o resultado do que assimilamos e apreendemos com a vivência das coisas de Deus, que nos levam a dar testemunho de verdadeira conversão. Damos aos cães as coisas santas e atiramos aos porcos as nossas pérolas quando queremos falar em nome de Deus sem ter convicção daquilo que pregamos, quando também, em Seu nome tentamos influenciar na vida das pessoas, mas damos contra testemunho e o nosso comportamento não condiz com a nossa pregação. As nossas palavras e ações precisam ter coerência com o que aprendemos com Jesus. Perdemos tempo e banalizamos as coisas de Deus, muitas vezes até discutindo e medindo forças com pessoas que não têm nenhum conhecimento da Palavra e nos questionam com o fim de nos influenciar, para destruir a nossa fé e a nossa esperança. Se não estivermos firmes nos ensinamentos de Jesus as nossas pérolas, (ideias, pensamentos, moções apreendidas), podem ser vencidas e nós seremos desmoralizados (as). Jesus também nos adverte para que o nosso relacionamento interpessoal seja uma via de mão dupla, portanto o que exigimos dos outros precisamos ser os primeiros a adotar. Se, nas nossas relações interpessoais estabelecermos que os outros nos façam o que nós mesmos não conseguiremos fazer a eles, estaremos também atirando aos porcos, o que apreendemos e o nosso testemunho não é coerente com os preceitos de Jesus. Por isso, para preservar os ensinamentos do Evangelho devemos desejar ao outro tudo o que desejarmos também para nós. Não podemos querer seguir Jesus entrando pela porta larga, pois ela nos leva ao caminho do contra testemunho, da negação aos Seus ensinamentos. A porta estreita é a porta dos ensinamentos evangélicos, que, embora sejam difíceis de vivenciarmos, dá acesso ao caminho que nos leva à vida eterna. Muitas vezes queremos seguir o caminho mais fácil, que nos custa menos, no entanto, caminhamos para a perdição. – O que você tem feito com as pérolas que tem colhido nas coisas santas? – Você tem firmeza e convicção em tudo que você tem aprendido com Jesus? – Você costuma discutir as coisas de Deus com pessoas alheias ao assunto, querendo convencê-las? - O que você quer para o seu vizinho é o mesmo que você deseja para você e os seus? - Por qual porta você tem procurado passar nas encruzilhadas da sua vida: a mais fácil ou a mais difícil?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

EVANGELHO DO DIA

Mateus 7,6.12-14

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 6“Não deis aos cães as coisas santas, nem atireis vossas pérolas aos porcos; para que eles não as pisem com o pés e, voltando-se contra vós, vos despedacem. 12Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também a eles. Nisto consiste a Lei e os Profetas. 13Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso é o caminho que leva à perdição, e muitos são os que entram por ele! 14Como é estreita a porta e apertado o caminho que leva à vida! E são poucos os que o encontram”! Palavra da Salvação.

SANTO DO DIA - SANTOS JOÃO E PAULO

Os santos que recordamos hoje pertenceram ao século IV e ali deram um lindo testemunho do martírio no ano de 362, no contexto em que a Igreja de Cristo era perseguida.

Eles pertenciam à Corte de Juliano, o Apóstata, que queria que todos os cristãos se rendessem aos deuses do Império. João e Paulo, porém, renunciaram ao cargo, e se retiraram para uma propriedade onde viveram da caridade e servindo aos pobres, testemunhando acima de tudo o amor a Deus.

Eram irmãos de sangue, mas responderam pessoalmente ao Evangelho.

O Imperador enviou uma autoridade para convencê-los a mudarem de ideia, e oferecerem sacrifícios ao deus Júpiter para não serem condenados.
Após alguns dias, os irmãos não negaram sua fé e acabaram morrendo degolados, testemunhando seu amor a Deus.

São João e São Paulo, rogai por nós!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

VATICANO PEDE MAIOR PROMOÇÃO À VOCAÇÃO SACERDOTAL


O prefeito da Congregação para a Educação Católica, Cardeal Zenon Grocholewski, apresentou a primeira parte do documento.

Foi apresentado na manhã desta segunda-feira, 25, no Vaticano, o Documento "Orientações pastorais para a promoção das vocações ao ministério sacerdotal".

O documento está estruturado em três partes: a primeira examina a situação atual, seja das vocações como do ministério sacerdotal nas várias partes do mundo; a segunda aborda a vocação e a identidade do sacerdócio; e a última parte, por fim, indica propostas para a pastoral das vocações sacerdotais.

Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Orientações para promoção das vocações sacerdotais


O prefeito da Congregação para a Educação Católica, Cardeal Zenon Grocholewski, explica que a primeira parte do documento indica, sobretudo, três razões principais que contrastam a pastoral vocacional e que tornam evidente nas Igrejas de antiga tradição cristã no ocidente: O declínio da população e da crise da família; a difusão da mentalidade secularizada; as difíceis condições de vida e do ministério do padre.

Já na segunda parte é oferecida uma apresentação resumida e global da identidade e do ministério sacerdotal, mais concentrada no perfil teológico e espiritual do padre.

"A síntese da doutrina teológica e espiritual apresentada nestes parágrafos responde a duas exigências. Antes de tudo, a intenção é colocar em destaque as características essenciais da vocação ao sacerdócio, com referência à sintese oferecida pelo Concíclio Vaticano II e desenvolvida no Ministério pós-concílio, sobretudo na Pastores dabo vobis", explica o secretário da Congregação para a Educação Católica, Dom Jean-Louis Bruguès.

A terceira parte é a mais longa do documento e propõe uma série de indicações concretas sugeridas por todas as conferências episcopais consultadas. Na primeira frase do capítulo lê-se: “Em alguns países registra-se um vigoroso e promissor florescimento das vocações sacerdotais, que encoraja o prosseguimento no caminho da promoção vocacional”.

“É interessante confrontar a evolução das vocações ao sacerdócio ocorrida nos últimos 10 anos. Observamos o número de estudantes de filosofia e teologia, seja nas dioceses que nas congregações religiosas masculinas distribuídas nas diversas áreas geográficas”, esclarece o subsecretário da Congregação para a Educação Católica, Dom Angelo Vincenzo Zani.

Na Europa, por exemplo, se constatou uma maior carência de vocações sacerdotais. Os estudantes de teologia e filosofia nos centros diocesanos em 2000 eram 26.879 e em 2010 passaram a ser 20.564.

Já na América Latina, os dados se mostram mais estáveis, mas com uma pequena elevação: Em 2010, os estudantes de teologia e filosofia nos centros diocesanos em eram 20.79, e, em 2010, passaram a ser 20.919.

Uma solicitação importante feita no documento diz respeito à Vigília do Ano da Fé que é um chamado a “propor a experiência de fé como relação pessoal e profunda com o Senhor Jesus Cristo”.

“O documento repete novamente o campo fértil para a semeação vocacional, é uma comunidade cristã que ouve a Palavra, reza com a liturgia e testemunha a caridade. Ele dirige a toda Igreja a um encorajamento, a retomar com confiança o próprio empenho educativo para o acolhimento do chamado de Deus ao ministério sacerdotal”, conclui Dom Angelo.

Nicole Melhado/Canção Nova Notícias, com Boletim

da Santa Sé (Tradução: equipe CN Notícias)


Arquivo